Clarice Lispector e Adriana Varejão: o corpo aberto da escrita e da arte

Eleonora Frenkel, Rebecca Monteiro

Resumo


Este artigo se propõe a abrir um espaço comparativo entre algumas das obras de Clarice Lispector e de Adriana Varejão, observando especialmente a questão do corpo e de sua “dissecação” simbólica, poética, metalinguística e meta-artística a partir das coordenadas da memória, da reescrita, da abertura e da transfiguração. A aproximação intensiva, menos analítica que experimental, pretende dar conta da potencialidade poética dessas obras, de seu caráter visceral, exposto, transbordante e vivo.


Palavras-chave


Literatura; arte; corpo; memória; Clarice Lispector; Adriana Varejão

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. Aula. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Cultrix, 1988.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. Tradução de Mario Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

BLANCHOT, Maurice. A parte do fogo. Tradução de Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

CURI, Simone Ribeiro da Costa. A escritura nômade em Clarice Lispector. Chapecó: Argos, 2001.

DERRIDA, Jacques. Salvo o nome. Tradução de Nícia Adan Bonatti. Campinas: Papirus, 1995.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 4. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

FOUCAULT, Michel. Ordem do discurso. 10. ed. São Paulo: Loyola, 2004.

GARRAMUÑO, Florencia. A experiência opaca: literatura e desencanto. Tradução de Paloma Vidal. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

HERKENHOFF, Paulo. Pintura/sutura. In: VAREJÃO, Adriana. Adriana Varejão. São Paulo: Galeria Camargo Vilaça, 1996. Disponível em: http://www.adrianavarejao.net/sites/default/files/herkenhof_pintura_sutura.pdf. Acesso em: 17 jun. 2013.

LISPECTOR, Clarice. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

LISPECTOR, Clarice. A paixão segundo G.H. Edição crítica. Coordenação de Benedito Nunes. São Paulo: ALLCA XX; Scipione Cultural, 1997.

LISPECTOR, Clarice. Água viva. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

LISPECTOR, Clarice. Perto do coração selvagem. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990.

MIRANDA, Wander Melo. Água viva: auto-retrato (im)possível. Ensaios de Semiótica: Cadernos de Lingüística e Teoria da Literatura, Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, ano V, n. 10, p. 219-234, dez. 1983.

MONTEIRO, Rebecca. Em função do agora: aproximações entre literatura e política em Clarice Lispector. São Paulo: Annablume, 2012.

MUSEU DE ARTE MODERNA. Adriana Varejão: histórias às margens. São Paulo: Museu de Arte Moderna, 2013. Catálogo de exposição, set.-dez. 2012, Museu de Arte Moderna.

NANCY, Jean-Luc. La mirada del retrato. Tradução de Irene Agoff. Buenos Aires: Amorrortu, 2006.

SANTIAGO, Silviano. Bestiário. Cadernos de Literatura Brasileira. Clarice Lispector. São Paulo: Instituto Moreira Salles. n. 17-18, p. 192-223, dez. 2004. Número especial.

VAREJÃO, Adriana. Chambre d’échos/Câmara de ecos. Entrevista com Hélène Kelmachter, 2004. In: VAREJÃO, Adriana. Chambre d’échos/Câmara de ecos. Paris: Fondation Cartier pour l’Art Contemporain; Actes Sud, 2005. Disponível em: http://www.adrianavarejao.net/sites/default/files/ kelmachter_entrevista.pdf. Acesso em: 17 jun. 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.23.3.73-83

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 Eleonora Frenkel, Rebecca Monteiro



Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.