Uso de Técnicas Acústicas para Verificação de Locutor em Simulação Experimental

Aline Machado, Plínio Almeida Barbosa

Resumo


Este artigo tem como objetivo investigar a eficácia de um conjunto de medidas acústicas no que concerne ao reconhecimento da fala de um indivíduo, denominado “criminoso”, em um grupo de dez falantes da variação do português brasileiro (PB). Os parâmetros escolhidos, entre eles estão as frequências dos dois primeiros formantes, a frequência fundamental média, duração de unidades do tamanho da sílaba e da vogal, a taxa de dinamicidade de frequência do segundo o desvio padrão de durações de intervalos consonânticos (ΔC), das vogais do PB. Comparamos as amostras de fala extraídas de entrevistas realizadas em ambiente acústico de baixa qualidade (ao ar livre e ligações de telefone celular) com a gravação do criminoso (em um ambiente sem ruído). Através de técnicas de análise estatística – ANOVA de um fator e Teste de Duncan – concluímos que parâmetros rítmicos e temporais, tais como duração média das vogais, taxa de elocução, ΔC e taxa de movimento do segundo formante, mantiveram-se robustas com a troca de transmissão de gravação (direta e telefônica). Os resultados mostram também que os mesmos parâmetros foram os mais discriminantes para o reconhecimento do “criminoso”.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Anais do Colóquio Brasileiro de Prosódia da Fala - ISSN 2237-6836