Percepção intercultural e interlinguística de emoções autênticas: Estudo com sujeitos brasileiros e suecos

Wellington Silva, Plínio Almeida Barbosa

Resumo


Com o objetivo de investigar se a cultura e a língua materna influenciam na percepção de emoções expressas pela fala, conduzimos dois experimentos de percepção com sujeitos brasileiros e suecos, nos quais enunciados com emoções autênticas em português brasileiro e em sueco foram apresentados. Os sujeitos avaliaram, em escalas de 5 pontos, o grau de expressão de emoções básicas descritas por oito adjetivos nos enunciados em português brasileiro e o grau de expressão de cinco dimensões emocionais nos enunciados em sueco. A técnica de PCA revelou que dois componentes explicam mais do que 94% da variância das respostas dos juízes nos dois experimentos. Esses componentes foram preditos através de regressões lineares múltiplas por doze parâmetros acústicos automaticamente extraídos dos enunciados. Os resultados mostraram que a percepção das emoções expressas nos dois corpora foi muito semelhante entre ambas as culturas e que os sujeitos de ambas as nacionalidades se guiaram por estes mesmos parâmetros acústicos para realizar os julgamentos nos dois experimentos: inclinação do LTAS, mediana e semiamplitude entre quantis da frequência fundamental e média e desvio-padrão da inclinação espectral. Concluímos, portanto, que a cultura e a língua materna dos sujeitos brasileiros e suecos não influenciaram na percepção das emoções.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Anais do Colóquio Brasileiro de Prosódia da Fala - ISSN 2237-6836