Investigação sobre a negação verbal no português brasileiro através de corpus de fala espontânea: restrições prosódico-informacionais

Luis Filipe Silva, Heliana Mello

Resumo


O sistema de negação verbal do português brasileiro (PB) apresenta três formas: (i) pré-verbal:  *FLA: [538] nũ tem Prato Fino //  (ii) dupla: *REN: [541] acho que nũ tem não // (iii) pós-verbal:*BAR: [87] tá não //. O objetivo deste trabalho é verificar como as três formas são distribuídas na fala espontânea. O corpus utilizado é o C-ORAL-BRASIL [1], um corpus de referência do português brasileiro falado informal. Para verificar a distribuição das três formas foi levada em consideração a Teoria da Língua em Ato [2], que estabelece a relação unidade tonal-unidade informacional no fluxo da fala. As unidades tonais se referem ao nível prosódico da fala, ao passo que as unidades informacionais são localizadas no nível pragmático. A metodologia se baseou na oitiva, na segmentação anotada do corpus e no julgamento como falantes nativos do PB para a análise dos dados. Os resultados mostram que a negação pré-verbal possui distribuição livre em relação às unidades informacionais textuais, já as negações dupla e pós-verbal só ocorrem em unidades ilocucionárias.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Anais do Colóquio Brasileiro de Prosódia da Fala - ISSN 2237-6836