A prosódia da sintaxe e a prosódia do sentido

Camila Leite, Ceriz Bicalho, José Olímpio Magalhães

Resumo


O objetivo desse estudo foi pesquisar aspectos prosódicos de duas situações de leitura em voz alta de um texto: na primeira, os sujeitos desconheciam o sentido real do que estava sendo dito; na segunda, os sujeitos sabiam do que o texto tratava. Com o pressuposto de que a compreensão de um texto pode ser medida pela produção prosódica, elaboramos as seguintes hipóteses: (i) na primeira situação, os sujeitos praticariam uma prosódia guiada simplesmente pela sintaxe; (ii) na segunda situação, praticariam uma prosódia atrelada ao sentido, diferente, portanto, da primeira situação. Os resultados apontam para características distintas entre as duas prosódias no que se refere à segmentação dos sintagmas entoacionais (I), à variação de F0 e às taxas de elocução e de articulação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Anais do Colóquio Brasileiro de Prosódia da Fala - ISSN 2237-6836