A laringalização enquanto pista prosódica de fronteiras de grupos acentuais no Português Brasileiro

Julio Cesar Cavalcanti, Luciana Lucente, Plínio Almeida Barbosa

Resumo


Este trabalho tem por objetivo analisar a ocorrência da laringalização e a sua relação com a estrutura prosódica do Português Brasileiro, a partir da verificação dos pontos recorrentes do fenômeno na fala semi-espontânea.Foram analisados 10 sujeitos, cinco homens e cinco mulheres, falantes do mesmo dialeto, com idades que variaram entre 20 e 26 anos. O corpus consistiu da gravação do reconto de uma história intitulada "Pear Film”, um curta metragem de cerca de seis minutos. Os dados de fala foram segmentados e analisados por meio do software Praat. A identificação da laringalização se deu a partir da análise de oitiva de cada segmento produzido no fluxo da fala, segmentos vocálicos e consonantais, com confirmação através da análise da forma de onda e do espectrograma. A partir da segmentação manual da fala em unidades do tamanho da sílaba, utilizou-se um script no Praat que permitiu a segmentação automática da fala em unidades de grupos acentuais, as quais foram posteriormente analisadas em relação as ocorrências da laringalização. Os resultados revelaram uma tendência de que a laringalização esteja associada a regiões de fronteiras prosódicas no português brasileiro, indicando uma provável relação entre o fenômeno e a estruturação prosódica da fala.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Anais do Colóquio Brasileiro de Prosódia da Fala - ISSN 2237-6836