ESCREVIVÊNCIAS AUDIOVISUAIS: LINGUAGEM E SUJEITO NO DESPERTAR DE MOVIMENTOS SOCIAIS DE MULHERES QUILOMBOLAS E INDÍGENAS

Paula Simone Busko

Resumo


O objetivo desta comunicação é apresentar um modelo de narrativas audiovisuais como forma de difundir espaços de cidadania na formação de identidades e luta social em meios rurais. Enquanto ferramenta que promove movimentos sociais em seus espaços de conscientização, o audiovisual corrobora para o fortalecimento de identidades culturais e formação política. Através de um documentário-ensaio proposto evidenciando a vida destas populações, localizadas no Vale do Ribeira em São Paulo, determinados discursos linguagem e sujeito se tornam referências e representações do meio onde vivem, configurando aspectos sociais e demandas políticas próprias de sua gente. Escrevivências audiovisuais dá um sentido mais abrangente à construção e a (re) produção de sentidos. Também servirão de alerta, ao narrar um tempo de costumes, da falta de conscientização, de direitos negados e injustiças.


Palavras-chave


Comunicação audiovisual; Linguagem e discurso; Movimentos Sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. O ensaio como forma. In: COHN, G. Theodor W. Adorno - Sociologia. São Paulo: Ática, 1986.

CASTELLS, M. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.____. A Sociedade em Rede. 17ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

EVARISTO, C. Becos da Memória. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. 2ª. ed. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 2016.

FERRAZ, M.H.C. T.; FUSARI, M. F.R. Arte na Educação Escolar. São Paulo: Cortez, 1992.

GOMES, A. C.(Org). Escrita de si, escrita da História. Rio de Janeiro:

Editora FGV, 2004.

MARTÍN-BARBERO, J.; REY, G. Los ejercicio del ver. Hegemonía audiovisual y ficción televisiva. Barcelona: Editorial Gedisa, 1999.

MATOS, M. I.; SOLER, M. A.(Orgs.). Gênero em Debate: Trajetória e Perspectivas na Historiografia Contemporânea. São Paulo: EDUC, 1997.

MOITA LOPES, L. P. (Org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

POLLAK, M. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, v. 2. N. 3. Rio de Janeiro, 1989.

SANTOS, B. S. de. Conhecimento prudente para uma vida decente: ‘um discurso sobre as ciências’ revisitado. São Paulo: Cortez, 2004. p. 667-709.

SOF - SEMPRE VIVA ORGANIZAÇÃO FEMINISTA. Gênero e Agricultura Familiar. 1998. Disponível em: < http://www.sof.org.br/a-sof/#a-sof> Acesso em: 12 de jun. de 2020.

WALSH, C. Interculturalidade crítica y pedagogía de-colonial: apuestas (des)de el in-surgir, re-existir e re-vivir. Coleção Digital. PUC-Rio. 2012. Disponível em:

https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/13582/13582.PDF> Acesso em: 11 de dez. de 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2317-0239 (Eletrônico)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.