A LIBERDADE COMO PAGAMENTO: MEDIAÇÃO DA LEITURA LITERÁRIA NO CONTEXTO PRISIONAL

Pedro Borges Pimenta Júnior

Resumo


O presente artigo é fruto de pesquisa-ação desenvolvida no âmbito do projeto de extensão Remição pela leitura, desenvolvido por professores e estudantes do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais – IFNMG com recuperandos da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado / APAC – Januária, entre 2019 e 2020. Assim, com base na observação das oficinas de leitura e escrita realizadas e à luz dos estudos de Cosson (2015), Britto (2009), Lajolo e Zilberman (2009), Rouxel (2009) e outros, concluiu-se que a adequada mediação da leitura literária em contextos de privação de liberdade é imprescindível e precisa colaborar para a construção de um espaço de liberdade, em que o leitor se identifique com a obra, alterando-a e, em contrapartida, sendo modificado por ela. Sem isso, portanto, a leitura pode tornar-se mais uma prisão.

Palavras-chave


mediação da leitura; leitura literária; tecnologia; remição

Texto completo:

PDF

Referências


BRITTO, Luiz Percival Leme. Literatura: conhecimento e compromisso com a liberdade. Leitura: Teoria & Prática, Campinas, v. 27, n. 53, p. 17-23, jan. 2009. Disponível em: https://ltp.emnuvens.com.br/ltp/article/view/401 Acesso em: 01 ago. 2020.

BRITTO, Luiz Percival Leme; BARZOTTO, Valdir. Promoção x mitificação da leitura. Boletim informativo da ALB. Campinas: Associação de Leitura do Brasil, 1998.

COSSON, Rildo. A prática da leitura literária na escola: mediação ou ensino? Nuances: estudos sobre Educação, v. 26, n. 3, p. 161-173, 2015. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/3735. Acesso em: 01 ago. 2020.

DEPEN – DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias / atualização junho de 2017. Brasília: Ministério da Justiça e Segurança Pública, DEPEN, 2019, 87 p. Disponível em: http://depen.gov.br/DEPEN/depen/sisdepen/infopen/relatorios-sinteticos/infopen-jun-2017-rev-12072019-0721.pdf Acesso em: 14 ago. 2020.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. Das tábuas da lei à tela do computador: a leitura em seus discursos. 1ª ed., São Paulo: Editora Ática, 2009, 176 p.

LISPECTOR, Clarice. Felicidade clandestina. São Paulo: Rocco, 1998.

MENDES, Gilvã. Queria brincar de mudar meu destino. 1. ed., 1. reimpres. Campinas - SP: Papirus, 2009, 144 p.

MINAS GERAIS. Resolução Conjunta SEDS/TJMG nº 204, de 08 de Agosto de 2016.. Belo Horizonte - MG, Disponível em: http://www.tjmg.jus.br/data/files/5B/30/9E/42/D443B510F6A902B5480808A8/RESOLUCAO-SEDS-TJMG-204-2016%20_1_.pdf. Acesso em: 01 jul. 2020.

RIBEIRO, Maria L. da Costa; ROCHA, Maria do Rosário C. Olhando pelo avesso: reflexões sobre a remição pela leitura e a escolarização nas prisões brasileiras. In: SANTOS, Fernanda Marsaro dos; et. al. (orgs.) Educação nas Prisões. Jundiaí: Paco Editorial, 2019. E-book. Não paginado.

ROUXEL, Annie. Aspectos metodológicos do ensino de literatura. In: DALVI, Maria Amélia et. al. (orgs.). Leitura de literatura na escola. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2013, 168 p.

TORRES, Eli da Silva. Prisão, educação e remição de pena no Brasil. Paco e Littera, 2020. E-book. Não paginado.

Outras obras consultadas:

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Recomendação nº 44/2013, de 26 de novembro de 2013. Disponível em: https://atos.cnj.jus.br/atos/detalhar/1907 Acesso em: 01 jul. 2020.

QUE DIA É HOJE?: Texto de Vinícius Caldernoni. [S. l.] Trovão Mídia, 11 mai. 2010. Podcast. Disponível em: https://open.spotify.com/show/1e8gFFZeB3Ablr0ihOgmj4?si=6c9GxJADSIOuQi2XHM2ixQAcesso em: 14 jul. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2317-0239 (Eletrônico)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.