UM OLHAR PARA A MILITÂNCIA NO FACEBOOK: A DISCURSIVIZAÇÃO DO(S) ENUNCIADO(S) (ANTI)FEMINISTA(S)

Filipe Santos Guerra, Márcia Helena de Melo Pereira, Ana Claudia Oliveira Azevedo

Resumo


A internet e as mídias digitais, cada vez mais presentes em nossas vidas, têm instituído uma nova forma de elaborarmos/recepcionarmos discursos. Tendo em vista a pertinência do tema e considerando que se faz necessário pensarmos nas prerrogativas que o uso da língua(gem) associado às tecnologias digitais pode trazer para a nossa sociedade, tencionamos analisar a materialização do discurso nessas mídias digitais. Mais especificamente, lançamos um olhar sobre a discursivização do(s) enunciado(s) (anti)feminista(s) em posts de Facebook, website de alto alcance e que conta com diversas formas de interação. Nosso objetivo é investigar como os discursos dialogam entre si, percebendo as vozes sociais que ecoam deles e a(s) relação(ões) dialógica(s) que se estabelece(m) entre o conteúdo de posts de Facebook e seus comentários. Os dados foram analisados a partir da arquitetônica e do dialogismo bakhtiniano. Em vista disso, utilizamos como aporte teórico do trabalho as assertivas de Bakhtin e seu Círculo (1997; 2012; 2014) acerca da teoria da análise dialógica do discurso (ADD) e as contribuições de Cortes (2015) e Grigoletto (2011) sobre o espaço virtual. Verificamos que a enunciação nas mídias digitais entrega muito mais ferramentas de feitura/recepção de discursos aos seus enunciadores/interlocutores. Confirmamos que o Facebook conta com uma base sociocultural extremamente produtiva para estudos de Linguagem e(m) Sociedade. Concluímos, também, que nossas palavras não “tocam” as coisas, mas entranham-se na camada de discursos sociais que revestem as coisas, uma vez que o dialogismo é resultado de um embate de vozes, algo que ocorre com frequência nas mídias digitais.

https://eventos.textolivre.org/moodle/mod/forum/discuss.php?d=1063


Palavras-chave


Dialogismo; Discursivização; Facebook; Feminismo; Militância

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, C. N. Sejamos todos feministas. Baum, Christina. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

BAKHTIN, M. A estética da criação verbal. Trad. PEREIRA, M. E. G. São Paulo: Martins Fontes, 1997. (Original de 1979).

BAKHTIN, M. (VOLOCHÍNOV). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico da linguagem).16. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

CORTES, G. R. O. Do lugar discursivo ao efeito-leitor: a movimentação do sujeito no discurso em blogs de divulgação científica. Tese (Doutorado em Letras). Recife: Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Artes e Comunicação, 2015.

COSTA, S. M. Tweet: reelaboração de gêneros em 140 caracteres. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Centro de Humanidades, Departamento de Letras Vernáculas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza, 2012.

FARACO, C. A. Linguagem & Diálogo: as ideias linguísticas do Círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial. 2009.

GRIGOLETTO, E. O discurso nos Ambientes Virtuais de Aprendizagem: entre a interação e a interlocução. In.: GRIGOLETTO, E.; DE NARDI, F. S.; SCHONS, C. R. (orgs.). Discursos em rede: práticas (re)produção, movimentos de resistência e constituição de subjetividades no ciberespaço. Recife: Ed. Universitária – UFPE, 2011.

MEDVIÉDEV, P. N. O método formal nos estudos literários: introdução crítica a uma poética sociológica. Tradução de Sheila Camargo Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Contexto, 2012.

PÊCHEUX, M. Análise Automática do Discurso. In: Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1969, p.61-161.

QUEIROZ, I. A. O conceito de arquitetônica na teoria bakhtiniana: uma abordagem historiográfica, filosófica e dialógica. ESTUDOS LINGUÍSTICOS (SÃO PAULO), v. 46, n. 2, p. 625-640, 2017.

RODRIGUES, A. L.; XAVIER, M. M. Nas trilhas do discurso: as contribuições de Mikhail Bakhtin e Michel Pêcheux. Revista Saridh, v. 1, p. 67-90, 2019.

XAVIER, A. C. Leitura, texto e hipertexto. In: MARCUSCHI, L. A.; XAVIER, A. C. (orgs.). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas e construção de sentido. São Paulo: Cortez, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2317-0239 (Eletrônico)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.