HILDA HILST E O DEVIR-ANIMAL EM COM OS MEUS OLHOS DE CÃO

Eduavison Pacheco Cardoso

Resumo


A literatura de Hilda Hilst é constituída por uma animália muito diversificada que comunga bichos domésticos, silvestres, reais e fantásticos. Com os meus olhos de cão, de 1986, é uma novela que trata da passagem de um professor de matemática em cachorro, animal que ocupa um espaço importante na produção literária e na vida da autora paulista, já que ela chegou a abrigar quase 100 cães em sua chácara, a Casa do Sol. O objetivo deste trabalho, portanto, é investigar essa travessia do homem, dotado do logos, para o cão, cuja vida é pura imanência no mundo. O cruzamento dessa fronteira humana para o âmbito canino será analisado à luz do devir-animal, especialmente o conceito formulado por Gilles Deleuze e Félix Guattari, e por considerações acerca do cinismo, corrente filosófica da antiguidade que dotava o filósofo de uma prática também imediata com o ambiente exterior.

Palavras-chave


Hilda Hilst; Devir-animal; Cão

Texto completo:

PDF

Referências


CORRÊA, Murilo Duarte Costa. Devir-animal (ou cinismo). In: SOPRO. nº 22, fevereiro/2010. Disponível em http://www.academia.edu/5159011/Devir-animal_ou_cinismo. Acesso em 20 de setembro de 2017.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: Editora 34, 1997. (Coleção TRANS).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Devir-intenso, devir-animal e devir-imperceptível. In: DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil platôs - capitalismo c esquizofrenia, vol. 4. Tradução de Suely Rolnik. São Paulo: Ed. 54, 1997. (Coleção TRANS).

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou (a seguir). Tradução de Fábio Landa. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

GUIDA, Angela. Para uma poética do humano e do animal. São Carlos: Pedro & João Editores, 2016.

HILST, Hilda. Com os meus olhos de cão e outras novelas. São Paulo: Editora Globo, 2006. (Obras reunidas de Hilda Hilst/organização e plano de edição Alcir Pécora).

______. Estar sendo. Ter sido. São Paulo: Editora Globo, 2006b. (Obras reunidas de Hilda Hilst/organização e plano de edição Alcir Pécora).

______. Com os meus olhos de cão e outras novelas. São Paulo: Editora Brasiliense, 1986.

______. O Unicório. In: Hilst, Hilda. Fluxo-floema – textos em ficção. São Paulo: Perspectiva, 1970.

MACIEL, Maria Esther. Literatura e animalidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016. (Coleção Contemporânea).

______. Poéticas do animal. In: MACIEL, Maria Esther (Org.). Pensar/escrever o animal: ensaios de zoopoética e biopolítica. Florianópolis: UFSC, 2011.

ONFRAY, Michel. Cinismos, retrato de los filósofos llamados perros. Tradução de Alcira Bixio. Buenos Aires: Paidós, 2002. (Espacios del saber).

PÉCORA, Alcir. “Nota do organizador”. In: HILST, Hilda. Com os meus olhos de cão e outras novelas. São Paulo: Editora Globo, 2006. (Obras reunidas de Hilda Hilst/organização e plano de edição Alcir Pécora).

ZOURABICHVILI, François. O vocabulário de Deleuze. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2009. (Coleção Conexões).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2317-0239 (Eletrônico)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.