Sob céus estranhos: Ilse Losa e Daniel Blaufuks

Lyslei Nascimento, Saul Kirschbaum

Resumo


Ilse Losa nasceu em 1913 na Alemanha. Daniel Blaufuks, em Portugal, em 1963. Com a ascensão do nazismo, Losa emigrou para o Porto, a família de Blaufuks para Lisboa. Os trabalhos de ambos os artistas são marcados pelas reverberações da Segunda Grande Guerra. Na ficção, os artistas imprimem suas memórias pessoais, a experiência do exílio, o testemunho e a perspectiva da vida cotidiana em Portugal. Losa escreve, em 1962, Sob céus estranhos, um amplo panorama das diversas dimensões da tragédia vivida pelos refugiados que tiveram de fugir às pressas da Alemanha ou de outros países ocupados pelos nazistas, entre 1933 e 1945. Em Sob céus estranhos: uma história de exílio, publicado em 2007, Blaufuks, incluindo um filme de 57min, apresenta um álbum de fotografias de família que, por intermédio de uma revisitação ficcional e, por isso mesmo, aberta e multidimensionada da memória, expõe o pendor contemporâneo da ficção a partir de uma poética da coleção e do arquivo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Teoria do romance I: a estilística. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015.

BARTHES, Roland. A câmara clara: notas sobre fotografia. Trad. Júlio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BLAUFUKS, Daniel. Sob céus estranhos: uma história de exílio. Lisboa: Tinta-da-China, 2007.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio. Trad. Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

CAVACO, Paulo Jorge Teixeira. A representação do Holocausto em Ilse Losa. Lisboa: Universidade Aberta, 2012.

COMPAGNON, Antoine. O trabalho da citação. Trad. Cleonice Mourão. Editora UFMG, 1996.

ECO, Umberto. Casablanca, ou o ressurgimento dos deuses. In: ______. Viagem na irrealidade cotidiana. Trad. Aurora Bernardini e Homero Freitas de Andrade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984. p. 263-268.

KLÜGER, Ruth. Paisagens da memória: autobiografia de uma sobrevivente do Holocausto. Trad. Irene Aron. São Paulo: Editora 34, 2006.

LOSA, Ilse. Sob céus estranhos. Lisboa: Portugália editora, 1962.

LOSA, Ilse. A minha melhor história. Porto: Editora Nova Crítica, 1979.

LOSA, Ilse. O mundo em que vivi. Porto: Edições Afrontamento, 1987.

LOSA, Ilse. Sob céus estranhos. Porto: Edições Afrontamento, 1987.

LOSA, Ilse. Caminhos sem destino. Porto: Edições Afrontamento, 1991.

LOSA, Ilse. Ida e volta. À procura de Babbitt. Porto: Edições Afrontamento, 1993.

LOSA, Ilse. À flor do tempo. Porto: Edições Afrontamento, 1997.

MARQUES, Ana Isabel Mendes Rosa. As traduções de Ilse Losa no período do Estado Novo: mediação cultural e projecção identitária. Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 2009.

MARQUES, Karina (Org.). Ilse Losa: estreitando laços. Correspondência com os pares Lusófonos (1948-1999). Porto: Edições Afrontamento, 2018.

MUCZINIK, Ester. Portugueses no Holocausto. Lisboa: A esfera dos livros, 2012.

PIGLIA, Ricardo. Memoria y tradición. In: 2o. CONGRESSO ABRALIC: LITERATURA E MEMÓRIA CULTURAL, v. 1, 1991, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: CEGRAC, 1991. p. 60-66.

QUEIROZ, Maria José de. Os males da ausência ou a literatura do exílio. Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

SEMPRUN, Jorge. A escrita ou a vida. Trad. Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SPITZER, Leo. Apresentação. In: BLAUFUKS, Daniel. Sob céus estranhos: uma história de exílio. Lisboa: Tinta da China, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.13.24.89-112

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.