A Bíblia Hebraica, uma obra aberta

Glauber Pereira Quintão

Resumo


O livro A Bíblia Hebraica como obra aberta foi originalmente concebido como uma tese de doutorado defendida por Eliana Branco Malanga, em 2002, no programa de Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaicas da faculdade de Letras da Universidade de São Paulo. O estudo de Malanga visa a, basicamente, verificar as possibilidades de se extender o conceito de “obra aberta”, cunhado por Umberto Eco, para uma leitura da Bíblia Hebraica. Esse conceito, tomado da teoria semiológica, compreende a designação das obras de arte que admitem “múltiplas possibilidades de decodificação em virtude da densidade de significados” que possuem (p. 19). A abertura das interpretações do texto bíblico, no entanto, parecem extrapolar os limites estruturais e permite o reconhecimento dessa abertura em um sentido muito mais amplo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.2.2.155-157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.