José Lins do Rego: um guia brasileiro de Israel

Glauber Pereira Quintão

Resumo


Este artigo procura analisar, de forma crítica, o livro de José Lins do Rego, Roteiro de Israel, 1955. Busca-­se destacar duas facetas suplementares: a de um olhar poético e a de uma preocupação ético-política lançados pelo escritor sobre a construção do novo Estado de Israel. Observa-­se também uma relação entre os signos da modernidade e das histórias arcaica judaicas. Para isso, usa-­se o conceito de palimpsesto, de Gerard Genette, e de flâneur, de Walter Benjamim.


Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. Passagens. Trad. Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. A criança no limiar do labirinto. In: História e narração em Walter Benjamin. São Paulo: Perspectiva, 1994.

GENETTE, Gérard. Palimpsestos: a literatura de segunda mão. Trad. Luciene Guimarães e Maria Antonia Ramos Coutinho. Belo Horizonte: UFMG/FALE, 2005.

NASCIMENTO, Lyslei de Souza. Genealogias judaicas na América Latina. In: MENDES, Eliana A. de M. & OLIVEIRA, Paulo M. & BENN-IBLER, Veronika (Org.) Revisitações. Edição comemorativa 30 anos. Belo Horizonte: UFMG/FALE, 1999.

REGO, José Lins do. Roteiro de Israel. Rio de Janeiro: Centro Cultural Brasil-Israel, 1955.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.4.6.59-66

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




© Copyright 2007 Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG - ISSN: 1982-3053.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.