A dedirrósea aurora: feminismo e totalidade histórica em Vai raiar o sol, de Júlia Lopes de Almeida / The Dawn of Pink Fingers: Feminism and Historical Totality in Vai raiar o sol, by Júlia Lopes de Almeida

Ivan Delmanto

Resumo


Resumo: A análise de um texto de Júlia Lopes de Almeida, que permaneceu inédito e desconhecido por muito tempo, procura tornar visível o papel desempenhado pelas mulheres na história da dramaturgia brasileira, buscando contribuir não só para recuperar uma parte das inúmeras vozes emudecidas pela historiografia oficial, mas também para mostrar que, a despeito de a organização social da produção teatral ter excluído sistematicamente através dos séculos a participação das mulheres, há contribuições decisivas de dramaturgas brasileiras na história de nossa formação negativa. Mais do que isso, procuraremos demonstrar que Vai raiar o sol expressa, por meio do deslocamento de diversos procedimentos que marcam o modelo hegemônico do drama burguês, aspectos históricos importantes da situação das mulheres trabalhadoras durante o longo século XX brasileiro.

Palavras-chave: Dramaturgia; teatro brasileiro; teoria crítica.

Abstract: The analysis of a text written by Júlia Lopes de Almeida, which remained unpublished and unknown for a long time, seeks to represent the role played by women in Brazilian dramaturgy history, contributing not only to recover a part of the countless voices muted by official historiography, but also to show that there are decisive contributions by Brazilian playwrights in the history of our negative formation. Such contributions occurred despite the fact that the social organization of theatrical production has systematically excluded the participation of women over the centuries. Furthermore, we will try to demonstrate that Vai raiar o sol expresses, through the displacement of several procedures that mark the hegemonic model of bourgeois drama, important historical aspects of the situation of working women during the long Brazilian twentieth century.

Keywords: Dramaturgy; Brazilian theater; critical theory.


Palavras-chave


dramaturgia; teatro brasileiro; teoria crítica; dramaturgy; Brazilian theater; critical theory.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, José. A comédia brasileira. In: Obras completas, vol. IV. Rio de Janeiro: Aguilar, 1960.

ALMEIDA, Júlia Lopes de. Elles e ellas. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1910.

ALMEIDA, Júlia Lopes de. Vai raiar o sol. In: FANINI, Asmas Michele. A (in)visibilidade de um legado: seleta de textos dramatúrgicos inéditos de Júlia Lopes de Almeida. São Paulo: Intermeios, Fapesp, 2016.

ANDRADE, Oswald. Um homem sem profissão: sob as ordens de mamãe. Rio de Janeiro: Globo, 2002.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. Belo Horizonte: Editora Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1975.

FANINI, Asmar Michele. A (in)visibilidade de um legado: seleta de textos dramatúrgicos inéditos de Júlia Lopes de Almeida. São Paulo: Intermeios, Fapesp, 2016.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Editora Elefante, 2017.

FEDERICI, Silvia. Revolución en punto cero - Trabajo doméstico, reproducción y luchas feminista. Madrid: Traficantes de sueños, 2013.

FERGUSON, Susan. Feminismos interseccional e da reprodução social: rumo a uma ontologia integrativa. Cadernos Cemarx, 2017, n. 10. p. 13-38. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/cemarx/. Acesso em: 01 out. 2018.

FERGUSON, Susan; MCNALLY, David. Capital, força de trabalho e relações de gênero. Revista Outubro, n. 29, nov. 2017, p. 23-59. Disponível em: http://outubrorevista.com.br/capital-forca-de-trabalho-e-relacoes-de-genero/. Acesso em: 01 out. 2018.

FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho. Homens livres na ordem escravocrata. 3. ed. São Paulo: Kairós, 1983.

HOMERO. Odisséia. Tradução de Manuel Odorico Mendes. São Paulo: Edusp/ArsPoetica, 1992.

IBSEN, Henrik. Peças escolhidas 3. Lisboa: Cotovia, 2008.

LACAN, Jacques. O seminário, livro VII: a ética da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

SCHWARZ, Roberto. Os sete fôlegos de um livro. In: Seqüências brasileiras: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, p. 46-58.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno. São Paulo: Cosac Naify, 2001.

VOGEL, Lise. Marxism and the Oppression of Women: Toward a Unitary Theory. New Brunswick/New Jersey: Rutgers University Press, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.28.3.137-162

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ivan Delmanto

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.