Intelectualidade e escritas de si: traços (auto)biográficos na obra de O. G. Rego de Carvalho / Intellectuality and Self Writing: (Auto)Biographical traits in the Literary Work of O. G. Rego de Carvalho

Pedro Pio Fontineles Filho

Resumo


Resumo: O objetivo principal deste estudo é compreender os traços (auto)biográficos na obra do literato O. G. Rego de Carvalho (1930-2013). Metodologicamente, o estudo fez a leitura analítico-interpretativa do universo documental, que foi composto pelo livro Como e por que me fiz escritor (1994), de livros em forma de antologias e fortuna crítica sobre a obra do literato. Como arcabouço teórico-metodológico, foram utilizadas as proposições de Bourdieu (2010, 2006), Chartier (2002), Certeau (2011) e Lejeune (2008), para pensar o “campo literário”, a biografia e a autobiografia. O estudo considerou, em linhas gerais, que a obra do literato é fulcral para pensar os elementos dinâmicos da escrita (auto)biográfica.
Palavras-chave: literatura; (auto)biografia; escrita; leitura; O. G. Rego de Carvalho.

Abstract: The main goal of this study is to comprehend the (auto)biographical traits in literary work of O. G. Rego de Carvalho (1930-2013). Methodologically, the study did the analytical and interpretative reading of the documental universe, which was composed by the book Como e por que me fiz escritor (1994), anthology books and critical fortune about the literary work of the writer. As theoretical and methodological framework, the propositions by Bourdieu (2010, 2006), Chartier (2002), Certeau (2011) and Lejeune (2008) were used to think about “literary field”, biography and autobiography. The study considered, in general, that work of the literate is the key to think the dynamic elements of the (auto)biographical writing.
Keywords: literature; (auto)biography; writing; reading; O. G


Palavras-chave


literatura; (auto)biografia; escrita; leitura; O. G. Rego de Carvalho.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, José de. Como e porque sou romancista. Campinas, SP: Pontes, 2005.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAPTISTA, Abel Barros. Autobiografias: solicitação do livro na ficção de Machado de Assis. Campinas, SP: EDUNICAMP, 2003.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. (org.). Usos e abusos da história oral. 8. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

BOURDIEU, Pierre. As Regras da Arte: gênese e estrutura do campo literário. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

CARVALHO, O. G. Rego de. Como e por que me fiz escritor. Teresina: Projeto Lamparina, 1994.

CARVALHO, O. G. Rego de. Lembrança da Arcádia. O Piauí. Teresina, n. 501, p. 03, 9. jul. 1949a.

CARVALHO, O. G. Rego de. O. G. Rego de Carvalho. Entrevista concedida a Cineas Santos. Revista Presença. Teresina, n. 12, p. 20-25, set. /nov. 1982.

CARVALHO, O. G. Rego de. Prosaicos e Cabotinos. O Piauí. Teresina, n. 502, p. 03,12. jul. 1949b.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre incertezas e inquietude. Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: EDUFRGS, 2002.

ELIAS, Norbert. Mozart: sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do Saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? 4. ed. Portugal: Veja/Passagens, 2002.

FREYRE, Gilberto. Como e porque sou e não sociólogo. Brasília, DF: Editora da UnB, 1968.

KRUEL, Kenard. Entrevistas. In: KRUEL, Kenard. O. G. Rego de Carvalho: fortuna crítica. Teresina: Zodíaco, 2007d.

KRUEL, Kenard. Entrevistas. In: KRUEL, Kenard. O. G. Rego de Carvalho: fortuna crítica. Teresina: Zodíaco, 2007b.

KRUEL, Kenard. Entrevistas. In: KRUEL, Kenard. O. G. Rego de Carvalho: fortuna crítica. Teresina: Zodíaco, 2007c.

KRUEL, Kenard. Entrevistas. In: KRUEL, Kenard. O. G. Rego de Carvalho: fortuna crítica. Teresina: Zodíaco, 2007a.

LEJEUNE, Philippe. O Pacto autobiográfico: de Rosseau à internet. Belo Horizonte: EDUFMG, 2008.

ROSSI, Daniel; NOLASCO, Edgar Cézar. Tempo liberado? Ubiquidade temporal em Trópico de Câncer. In: I ENCONTRO DO GRUPO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES DE LITERATURA E TEORIA LITERÁRIA – MOEBIUS. Anais. Dourados, MS: UFGD, 2010.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Pedro Pio Fontineles Filho

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.