A compreensão da argumentação linguística: hipótese de interação entre leitura e oralidade

Ana Cláudia de Souza, Helena Cristina Weirich, Leonilda Procailo

Abstract


Resumo: Este artigo objetiva desenvolver e discutir aspectos teóricos relativos à hipótese que fundamenta a interação entre os sistemas linguísticos verbais, no que diz respeito à interferência do conhecimento da linguagem verbal escrita para fins de leitura na maneira como se compreendem aspectos da argumentação linguística na oralidade. A hipótese discutida se fundamenta nos estudos de Olson (1977; 1996; 1997), e a perspectiva de argumentação linguística, nas formulações teóricas de Ducrot (1987; 1989; 2002). Se o domínio da leitura interfere no modo de compreensão de articuladores de argumentação linguística, é possível que se explique por que tais elementos da linguagem verbal, conforme advoga Kail (1978; 2013), são adquiridos tardiamente.

Palavras-chave: compreensão da linguagem; argumentação linguística; domínio da leitura; hipótese da interação entre os domínios linguísticos escrito e oral.

Abstract: The present article aims at developing and discussing theoretical aspects pertaining to the hypothesis that underlies the interaction between verbal linguistic systems in terms of interference of written verbal language knowledge with reading purposes in the way comprehension aspects of oral linguistic argumentation happen. The hypothesis under discussion herein is grounded in studies by Olson (1977; 1996; 1997), and the linguistic argumentation perspective is based on the theoretical formulations by Ducrot (1987; 1989; 2002). If reading ability influences the way connectives of linguistic argumentation are comprehended, it is plausible to argue that those verbal language elements, according to Kail (1978; 2013), are only acquired later.

Keywords: language comprehension; linguistic argumentation; reading ability; oral and written linguistic domains interaction hypothesis.


Keywords


language comprehension; linguistic argumentation; reading ability; oral and written linguistic domains interaction hypothesis.

References


ABREU, M. (Org.). Leitura, história e história da leitura. 3.ed. Campinas: Mercado de Letras/ALB/FAPESP, 2000. PMCid:PMC89876.

ANSCOMBRE, J. C.; DUCROT, O. Deux mais en français? Lingua, v. 43, p. 23-40, 1977.

BINGHAM, A.B. Readers’ and listeners’ use of cohesive ties in processing relational meaning. Language Sciences, v. 8, n.1, 1986, p. 49-61. https://doi.org/10.1016/S0388-0001(86)80005-5.

BLACHMAN, B. A. Phonological awareness. In: KAMIL, M. L.; MOSENTHAL, P. B.; PEARSON, P. D.; BARR, R. Handbook of reading research: volume III. New Jersey/London: Lawrence Earlbaum Associates, 2000. p.483-502.

BRITTO, L. P. L. Inquietudes e desacordos: a leitura além do óbvio. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

CAGLIARI, L. C. Alfabetizando sem o bá-bé-bi-bó-bu. São Paulo: Scipione, 1998.

CAIN, K.; NASH, H. M. The influence of connectives on young readers’ processing and comprehension of text. Journal of Educational Psychology, v. 103, n.2, p. 429-441, maio 2011. https://doi.org/10.1037/a0022824.

CAREL, M. Pourtant: argumentation by exception. Journal of Pragmatics, v. 24, p.167-188, 1995. https://doi.org/10.1016/0378-2166(94)00106-O.

CASTRO, S.L. A linguagem escrita e o seu uso: uma perspectiva cognitiva. In: GRIMM-CABRAL, L.; MORAIS, J. (Org.). Investigando a linguagem. Florianópolis: Mulheres, 1999.

CASTRO, M.F.P. de. Aprendendo a argumentar. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

CHARTIER, R. Práticas de leitura. Tradução de Cristiane Nascimento. São Paulo: Estação Liberdade, 1996.

CHARTIER, R. Os desafios da escrita. Tradução de Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: Unesp, 2002.

DEL RÉ, A. A pesquisa em aquisição da linguagem: teoria e prática. In: DEL RÉ, A. et al. Aquisição da linguagem: uma abordagem psicolinguística. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2013. p. 13-44.

DEL RÉ, A. A criança e a magia da linguagem: um estudo sobre o discurso humorístico. São Paulo, 2003. Tese (Doutorado em Linguística) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2003.

DUCROT, O. O dizer e o dito. Revisão técnica da tradução de Eduardo Guimarães. Campinas: Pontes, 1987. PMid:3442742.

DUCROT, O. Argumentação e “topoi” argumentativos. In: GUIMARÃES, E. (Org). História e sentido da linguagem. Campinas: Pontes, 1989. p.13-38.

DUCROT, O. Os internalizadores. Letras de Hoje. Porto Alegre, v. 37, n.3, p. 7-26, set. 2002.

DUCROT, O. Argumentação retórica e argumentação linguística. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 44, n. 1, p. 20-25, 2009.

DUCROT, O.; CAREL, M. Descrição argumentativa e descrição polifônica: o caso da negação. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 43, n. 1, p. 7-18, 2008.

EHRI, L. C. O desenvolvimento da leitura imediata de palavras: fases e estudos. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (Org.). A ciência da leitura. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 153-172.

FARACO, C. A. Linguagem escrita e alfabetização. São Paulo: Contexto, 2012.

FERREIRA, A. P. M. O desenvolvimento de condutas opositivas em crianças: antecipação de posições contrárias. 2005. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife. 2005.

FROST, R. Sistemas ortográficos e processos de reconhecimento de palavras na leitura. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (Org.). A ciência da leitura. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 290-313.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GODOY, D. M. A. Aprendizagem inicial da leitura e da escrita no português do Brasil: Influência da consciência fonológica e do método de alfabetização. 2005. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2005.

GRAY, D. E. Pesquisa no mundo real. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

KAIL, M. La compréhension des présuppositions chez I’enfant. L’Anée psychologique, 78, p. 425-444, 1978.

KAIL, M. Aquisição de linguagem. Tradução de Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2013.

KAIL, M.; WEISSENBORN, J. A developmental crosslinguistic study of adversative connectives: French “mais” and German “aber/sodern”. Journal of Child Language, 11, p. 143-158, 1984. https://doi.org/10.1017/S0305000900005638. PMid:6699107.

KAIL, M.; WEISSENBORN, J. Conjunctions: Developmental Issues. In: PIÉRAUT-LE-BONNIEC, G.; DOLITSKY, M. (Org.). Language Bases: Discourse Bases. Amsterdam: Benjamins, 1991.

KAMIL, M. L.; MOSENTHAL, P. B.; PEARSON, P. D.; BARR, R. Handbook of Reading Research: volume III. New Jersey/London: Lawrence Earlbaum Associates, 2000.

LEITÃO, S.; ALMEIDA, E. G. S. A Produção de Contra-Argumentos na Escrita Infantil. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 13, n. 3, p.351-361, 2000. https://doi.org/10.1590/S0102-79722000000300004.

LEITÃO, S.; BANKS-LEITE, L. Argumentação na linguagem infantil: algumas abordagens: In: DEL RÉ, A. (Org.). Aquisição da linguagem: uma abordagem psicolinguística. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2013. p. 45-61.

LEMOS, C.T.G. Das vicissitudes da fala da criança e de sua investigação. Caderno de Estudos Linguísticos. Campinas, v. 42, p. 41-69, 2002.

LEYBAERT, J. Aprendendo a ler com uma deficiência auditiva. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (Org.). A ciência da leitura. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 397-414.

McGUINNESS, D. Why our children can’t read and what we can do about it: a scientific revolution in Reading. New York: Touchstone, 1999. PMCid:PMC1905163.

McGUINNESS, D. O ensino da leitura: o que a ciência nos diz sobre como ensinar a ler. Tradução de Luzia Araújo. Porto Alegre: Artmed, 2006.

MORAIS, A. G. de. (Org.). O aprendizado da ortografia. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

MORAIS, A. G. de. Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

MORAIS, J. Alfabetizar para a democracia. Porto Alegre: Penso, 2014.

MORAIS, J.; KOLINSKY, R. Letramento e mudança cognitiva. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (Org.). A ciência da leitura. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 207-222.

MOURA, H. M. M. Semântica e argumentação: diálogo com Oswald Ducrot. D.E.L.T.A: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, v. 14, n. 1, p.1-7, fev. 1998. https://doi.org/10.1590/S0102-44501998000100008.

OLSON, D. R. From utterance to text: the bias of language in speech and writing. Harvard Educational Review, 47, p. 257-281, 1977. https://doi.org/10.17763/haer.47.3.8840364413869005.

OLSON, D. R. Towards a psychology of literacy: on the relations between speech and writing. Cognition, [s.i], v. 60, p.83-104, 1996.

OLSON, D. R. O mundo no papel: as implicações conceituais e cognitivas da leitura e da escrita. São Paulo, Ática: 1997.

OLSON, D. R.; OATLEY, K.. The Quotation Theory of Writing. Written Communication, [s.l.], v. 31, n. 1, p.4-26, dez. 2014.

ORDEN, G. C. V.; KLOOS, H. A relação entre fonologia e leitura. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (Org.). A ciência da leitura. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 79-96.

SALLES, J. F.; PARENTE, M. A. M. P. Relação entre os processos cognitivos envolvidos na leitura de palavras e as habilidades de consciência fonológica em escolares. Pró-Fono Revista de Atualização Científica. Carapicuíba, SP, v. 14, n. 2, p. 175-186, maio-ago. 2002.

SCLIAR-CABRAL, L. Princípios do sistema alfabético do português do Brasil. São Paulo: Contexto, 2003.

SCLIAR-CABRAL, L. Sistema Scliar de alfabetização: fundamentos. Florianópolis: Lili, 2013.

SEIMETZ-RODRIGUES, C.; SOUZA, A. C. Ensino da leitura a surdos: o conhecimento do objeto de ensino e suas implicações para a prática pedagógica. Revista Linguagem e Ensino, Pelotas, RS, v. 19, n.1, p.55-79, jan.-jun. 2016.

SOUZA, A. C. Leitura emergente: a alfabetização como chave à produção de sentidos a partir do escrito. In: GARCIA, W. A. C; SOUZA, A. C. A produção de sentidos e o leitor: os caminhos da memória. Florianópolis: NUP/CED. 2012. p. 43-60. PMid:22441595.

VASCONCELOS, E. M. Complexidade e pesquisa interdisciplinar: epistemologia e metodologia operativa. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

VIEIRA, A.J.; LEITÃO, S. Argumentação e explicação. In: DEL RÉ, A.; PAULA, L.; MENDONÇA, M.C. (Org.). Explorando o discurso da criança. São Paulo: Contexto, 2014.

VOGT, C. O intervalo semântico - contribuição para uma teoria semântica argumentativa. 1974. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1974.

WEIRICH, H. C. Domínio da leitura e compreensão oral do mas argumentativo. 2016. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2016.

WELP, A.K.S. Uma visão argumentativa do mas. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 40, n. 1, p. 299-325, mar. 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.25.2.873-901

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2016 REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)