Diferenças condensadas em palavras

Sírio Possenti

Abstract


Resumo: O objetivo maior do presente trabalho é analisar alguns aspectos da polêmica que se formou em torno da palavra “golpe”, considerando-a fundamentalmente no contexto do processo de impeachment que se encontra atualmente em curso no Brasil. Em um primeiro momento, menciona ou faz breves análises de outras palavras controversas e, em seguida, apresenta diversas acepções do termo “golpe”, tomando por base dois dicionários de línguas e dois dicionários políticos. Finalmente, propõe hipóteses de abordagem da palavra e mostra que, sendo ela fortemente disfórica, todos tentam evitá-la, por um lado, e, por outro, atribuí-la aos outros, em prováveis golpes de interpretação.

Palavras-chave: golpe; impeachment; polêmica; política.

Abstract: The main objective of this paper is to analyze some aspects of the controversy that surrounds the word “coup”, considering it mainly in the context of the impeachment process currently ongoing in Brazil. It also mentions or makes brief analysis of other controversial words 1076 Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v.26, n.3, p. 1075-1099, 2016 and presents different meanings of the word “coup”, considering two Portuguese dictionaries and two political dictionaries. Finally, it proposes several hypotheses about the meaning of the word “coup” and shows that, being it a strongly dysphoric word, all speakers try to avoid it, on the one hand, and to assign it to others, on the other hand, in what we may call “interpretation coups”.

Keywords: Coup; Impeachment; Polemics; Politics.


Keywords


Coup; Impeachment; Polemics; Politics.

References


AB’SABER, T. Dilma Rousseff e o ódio político. São Paulo: Hedra, 2015.

AGAMBEN, G. O que é um povo? In: ______. Meios sem fim. São Paulo: Autêntica, 1996/2015. p.35-40.

BARBÉ, C. Golpe de Estado. In: BOBBIO, N. et al. Dicionário de Política. Brasília: Editora UnB, 1986. p.545-547.

DUQUE, P. H. Teoria dos protótipos, categoria e sentido lexical. 2005. Disponível em: http://www.filologia.org.br/revista/artigo/7(22)13.htm.

FARHAT, S. Dicionário parlamentar e político: o processo político e legislativo. Petrópolis: Vozes, 1996.

HENRY, P. A ferramenta imperfeita; língua, sujeito e discurso. Campinas, SP: Ed. da Unicamp, 1992.

KRIEG-PLANQUE, A. A noção de “fórmula” em Análise do Discurso: quadro teórico e metodológico. São Paulo: Parábola, 2009/2010.

MAINGUENEAU, D. Novas tendências em análise do discurso. Campinas, SP: Pontes, 1987.

PÊCHEUX, M. Discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas, SP: Pontes, 1988/1990.

RIBEIRO, R. J. A sociedade contra o social ou A sociedade privatizada. In: ______. A sociedade contra o social; o alto custo da vida pública no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. p.19-25.

SILVA, A. S. da. A linguística cognitiva: uma breve introdução a um novo paradigma em linguística. Revista Portuguesa de Humanidades, Universidade Católica Portuguesa, v. 1, 1997.

WILLIAMS, R. Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo, 1976/2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.24.3.1075-1099

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2016 REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)