A construção de nosso saber escolar – o ensino primário no Império e nos primeiros anos da República

Leonor Lopes Fávero

Abstract


Resumo: O presente trabalho objetiva examinar o ensino primário, no Brasil, no Império e nos primeiros anos da República. Nessa ocasião, a ideia de Educação para todos, a luta contra o analfabetismo, a busca pela valorização da língua nacional e o combate contra as influências estrangeiras são temas constantemente debatidos no âmbito escolar. A escola, contrapondo-se às ideias pedagógicas tradicionais, começou ver nas crianças seres com características próprias, necessitando de um ambiente pensado para elas, material didático próprio (surgem as gramáticas para a infância e os livros de composição para o trabalho com a língua portuguesa) e professores preparados. “(...) antes de tudo é preciso aprender a ensinar, para ensinar a aprender” (Carneiro Leão, 1917). O trabalho está fundamentado na História das Ideias Linguísticas (Auroux, 1989; 1992) e na História Cultural (Chartier, 1990).

Palavras-chave: Ensino primário; Império e início da República; política linguística; gramáticas da infância; livros de composição.

Abstract: This study aims at examining the primary education in Brazil, in the Empire and in the early years of the Republic. At that time, the idea of an education for all, the fight against illiteracy, the seeking for the appreciation of the national language and the fight against foreign influences are great issues constantly debated in the educational context. Schools, opposing to traditional pedagogical ideas, started to see children as beings with their own characteristics, in need of an environment thought especially for them, books designed especially for them (childhood grammars and writing books for learning Portuguese start appearing) and well prepared teachers “(...) First of all, you must learn how to teach in order to teach how to learn” (Carneiro LeÃo, 1917). This paper is based on the History of Linguistic Ideas (Auroux, 1989; 1992) and Cultural History (Chartier, 1990).

Keywords: Primary Education; Empire and Early Republic; Language Policy; Childhood Grammars; Writing Books.


Keywords


Primary Education; Empire and Early Republic; Language Policy; Childhood Grammars; Writing Books.

References


ARIÈS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2012 [1978].

AUROUX, S. Histoire des idées linguistiques. Paris: Pierre Mardaga, 1989. T. 1.

AUROUX, S. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 1992.

AZEVEDO, J. L. de. O marquês de Pombal e sua época. Rio de Janeiro; Lisboa: Anuário do Brasil; Seara Nova; Renascença Portuguesa, 1922.

BANHA DE ANDRADE, A. A. A reforma pombalina dos estudos secundários no Brasil. São Paulo: Edusp; Saraiva, 1978.

BARBOSA, R. Obras completas. Reforma do ensino primário e várias instituições complementares da instituição pública. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1947 [1883]. v. X, t. 1, 2, 3, 4.

BARROS, J. de. Gramática da língua portuguesa. Cartinha, gramática, diálogo em louvor da nossa linguagem e diálogo da viciosa vergonha. Reprodução fac-similada, leitura, introdução e anotações por Maria Leonor Carvalhão Buescu. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 1971.

BITTENCOURT, C. M. Livro didático e conhecimento histórico: uma história do saber escolar. 1993. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.

BLOCH, M. Introdução à história. Lisboa: Europa/América, 2010.

BORBA de MORAES, R. Livros e bibliotecas no Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1979.

BOTO, C. Iluminismo e educação em Portugal. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (Org.). Histórias e memórias da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2004.

CARDIM, F. Tratado da terra e gente do Brasil. Belo Horizonte; São Paulo: Itatiaia; Edusp, 1980 [1584].

CARNEIRO LEÃO, A. O Brasil e a educação popular. Rio de Janeiro: Tipografia do Jornal do Comércio, 1917.

CHARTIER, R. História cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

DELLESALLE, S.; CHEVALIER, J. C. La linguistique, la grammaire et l’école 1750-1914. Paris: Armand Colin, 1986.

FALCON, F. C. A época pombalina. São Paulo: Ática, 1982. FARIA FILHO, L. M. A instrução elementar no século XIX. In: LOPES, E. M. T. et al (Org.). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p.135-150.

FRANZEN, B. V. Os jesuítas portugueses e espanhóis e sua ação missionária no sul do Brasil e Portugal (1580-1640). 1997. Tese (Doutorado) - Universidade de Lisboa, Lisboa, 1997.

FÁVERO, L. L. As concepções linguísticas no século XVIII - a gramática portuguesa. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 1996.

FÁVERO, L. L. Heranças - a educação no Brasil colônia. Revista da Anpoll, n. 8, p.87-102, 2000.

FÁVERO, L. L. A política linguística na América Latina colonial e as línguas gerais. In: CONGRESO DE LINGUÍSTICA GENERAL, 8., 2009. Actas...Madri, 2009.

FÁVERO, L. L.; MOLINA, M. A. G. As concepções linguísticas no século XIX – a gramática no Brasil. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.

FÁVERO,L. L; MOLINA,M.A.G. A construção do saber escolar – gramáticas da infância. In: CONGRESSO DA ALFAL, 2014. Inédito.

FERNANDES, G. Livros de redação no Brasil: o começo de uma história. 2001. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, USP, São Paulo, 2001.

FERNANDES, G. Composição de textos na escola brasileira: em busca de uma história. 2006. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, USP, São Paulo, 2006.

HALLEWELL, L. O livro no Brasil. São Paulo: Queiroz Editor; EDUSP, 1985.

LEITE, S. História da Companhia de Jesus no Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1943.

MARCÍLIO, M. L. História da escola em São Paulo e no Brasil. São Paulo: Instituto Braudel; Imprensa Oficial, 2005.

MATTOS, L. A. de. Primórdios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Aurora, 1958.

MOREIRA, T.M. Prefácio às Obras Completas de Rui Barbosa. Ministério da Educação e Saúde, v. IX, t.1, 1942.

MOREIRA NETTO, C. de A. Índios da Amazônia, de maioria a minoria – 1750-1850. Petrópolis: Vozes, 1988.

MOACYR, P. A instrução e o império. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1936. v. 1.

MOACYR, P. A instrução e o Império. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1937. v. 2.

NEBRIJA, A. Gramática castellana. 6. ed. Madrid: Fundación Antonio de Nebrija, 1946 [1492].

PFROMM NETO, S. et al. O livro na educação. Rio de Janeiro: Primor; INL, 1974.

RIBEIRO, J. Grammatica Portuguêza – Curso Primário. 94. ed. São Paulo: Francisco Alves, 1937.

RODRIGUES, A. D. Línguas indígenas; 500 anos de descobertas e perdas. D.E.L.T.A., São Paulo, PUC-SP, n. 9, p. 82-104, 1993.

ROSA, M. C. A língua mais geral do Brasil nos séculos XVI e XVII. In: FREIRE, J. R. B.; ROSA, M. C. (Org.). Línguas gerais. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2003. p.133-146.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Editores Associados, 2007.

SILVA, A. D. Da Coleção da legislação portuguesa (1750-1820). Lisboa: Tipografia Maigrense, 1830.

VERÍSSIMO, J. A educação nacional. São Paulo: Francisco Alves, 1890.

WHITE, H. Meta-história: a imaginação histórica do século XIX. São Paulo: Edusp, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.24.3.703-728

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2016 REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)