Capaz como marcador negativo enfático no dialeto gaúcho / “Capaz” as a Negative Emphatic Marker in Gaucho Dialect

Rerisson Cavalcante, Leonor Simioni

Abstract


Resumo: Este trabalho descreve propriedades sintáticas, semânticas e pragmáticas de sentenças que contam com o item capaz sendo utilizado com o valor de marcador negativo no dialeto gaúcho do português brasileiro (PB), em que este item expressa uma rejeição forte a um conteúdo proposicional prévio. O artigo também compara o comportamento de capaz com outros marcadores negativos não-neutros (dos tipos anafórico, enfático e metalinguístico) do português quanto à possibilidade de concordância negativa e à distribuição por tipos sentenciais distintos. E apresenta uma proposta de derivação sintática, com base no arcabouço da gramática gerativa, para as sentenças com esse item, assumindo que se trata de uma estrutura mono-oracional, em que capaz é gerado em uma posição de especificador na periferia esquerda da sentença, onde pode sofrer modificação adverbial; a cópula que opcionalmente o acompanha funciona com uma categoria funcional do sistema CP (e não como o núcleo de um VP).

Palavras-chave: negação enfática; português brasileiro; dialeto gaúcho; sintaxe.

Abstract: This paper describes the syntactic, semantic and pragmatic properties of sentences with capaz as a negative marker in the Gaúcho dialect of Brazilian Portuguese, expressing a strong rejection to a previously uttered propositional content. The paper also compares the behavior of capaz with that of other non-neuter negative markers in Portuguese (anaphoric, emphatic and metalinguistic) with regard to the possibility of negative concord and the distribution across different sentential types. It proposes a syntactic derivation for sentences with negative capaz within the framework of generative grammar, assuming a monoclausal structure in which capaz is generated in a specifier position in the left periphery, where it can be modified by adverbs. The copula that optionally accompanies capaz is assumed to be a functional category in the CP system rather than a VP nucleus.

Keywords: emphatic negation; Brazilian Portuguese; Gaúcho dialect; syntax.


Keywords


negação enfática; português brasileiro; dialeto gaúcho; sintaxe; emphatic negation; Brazilian Portuguese; Gaúcho dialect; syntax.

References


BASSI, A.; GÖRSKI, E. M. A multifuncionalidade do item “capaz” na fala gaúcha: uma abordagem baseada no uso. Alfa, São Paulo, v. 58, n. 3, p. 593-622, 2014. Doi: https://doi.org/10.1590/1981-5794-1409-4

CAVALCANTE, R. Negação pós-verbal no português afro-brasileiro: análise descritiva e teórica de dialetos rurais de afro-descendentes. 2007. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007.

CAVALCANTE, R. Negação enfática e negação exclamativa. In: ______. Negação anafórica no português brasileiro: negação sentencial, negação enfática e negação de constituinte. 2012. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012a. p. 135-239.

CAVALCANTE, R. Qual o marcador negativo enfático do português brasileiro? In: WORKSHOP INTERFACES, 2012, Campinas. Palestra apresentada. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2012b. Disponível em: . Acesso em: 28 maio 2018.

CAVALCANTE, R.; SIMIONI, L. A ordem VS em sentenças imperativas do português brasileiro. Revista Letrônica, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 304-315, jul.-dez. 2015.

CUNHA, M. A. F. da. Gramaticalização dos mecanismos de negação em Natal. In: MARTELOTTA, Mário Eduardo; VOTRE, S. J.; CEZARIO, M. M. (Org.). Gramaticalização no português do Brasil. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996. p. 167-89.

CUNHA, M. A. F. da. O modelo das motivações competidoras no domínio funcional da negação. DELTA, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 1-30, 2001.

Di TULLIO, Á. L. Palabras negativas en contexto enfático: nada, ningún. In: CONGRESO DE LA SOCIEDAD ARGENTINA DE LINGUÍSTICA, VIII., 2008, Santa Fé. Comunicação apresentada. Santa Fé: Sociedade Argentina de Linguística, 2008.

DROZD, K. F. Metalinguistic sentence negation in Child English. In: HOEKSEMA, J.; RULLMANN, H.; SANCHEZ-VALENCIA, V.; van der WOUDEN, T. (Org.). Perspectives on negation and polarity items. Amsterdam: John Benjamins, 2001. p. 49-78. Doi: https://doi.org/10.1075/la.40.04dro

HORN, L. R. A natural history of negation. Chicago: University of Chicago Press, 1989.

LAMBERTI, L. Motivações pragmáticas para o uso da dupla negação: um estudo do fenômeno no português europeu. 2014. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

LEWIS, David. Scorekeeping in a Language Game. Journal of Philosophical Logic, [S.l.], v. 8, p. 339-359, 1979.

MARCELINO, N. J. M. C. Sentenças de negação com é ruim, breu, nem a pau e vírgula no português brasileiro: uma análise sintática. 2017. Qualificação (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

MARCELINO, N. J. M. C. Sentenças de negação com é ruim e nem a pau no português brasileiro. 2018. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

MARTINS, A. M. Negação metalinguística (lá, cá e agora). In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE LINGUÍSTICA, XXV., 2010, Lisboa. Actas... Lisboa: Associação Portuguesa de Linguística, 2010. p. 567-87.

MARTINS, A. M. The Portuguese answering system: affirmation, negation and denial. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE LINGUÍSTICA HISTÓRICA, II., 2012, São Paulo. Minicurso ministrado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2012.

MELLO, N. C. Conversando é que a gente se entende. São Paulo: Texto Editores, 2009.

PINTO, C. Negação metalinguística e estruturas com nada no português europeu. 2010. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2010.

POLETTO, C. The syntax of focus negation. University of Venice Working Papers in Linguistics, Venice, v. 18, p. 181-202, 2009.

RODRIGUES, P.; LUNGUINHO, M. Pragmaticalization in Brazilian Portuguese: the case of “capaz”. ENCONTRO INTERNACIONAL DE SINTAXE, SEMÂNTICA E INTERFACES, 3., 2018, Florianópolis. Comunicação apresentada. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2018.

RONCARATI, C. A negação no português falado. In: MACEDO, A. T. de; RONCARATI, C.; MOLLICA, M. C. (Org.). Variação e discurso. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996. p. 97-112.

SCHWENTER, S. The pragmatics of negation in Brazilian Portuguese. Lingua, [s.l.], v. 115, n. 10, p. 1427-1456, 2005.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2018 Rerisson Cavalcante, Leonor Simioni

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)