“Maria Maria”: o percurso co(n)textual de uma recategorização pela via ressignificada da teoria / “Maria Maria”: the co(n)textual path of a recategorization by the resignified pathway of the theory

Silvia Adelia Henrique Guimarães

Abstract


Resumo: O presente estudo nasceu de dois objetivos centrais que se retroalimentam. O primeiro é discutir o estatuto atual da teoria da recategorização compreendido pela dimensão discursiva e perpassado pelos níveis cognitivos e interacionais (JAGUARIBE, 2007; LIMA; CAVALCANTE, 2015; CAVALCANTE; BRITO, 2016). Por meio da análise do texto “Maria Maria”, mediante a perspectiva do discurso literomusical (COSTA, 2001), o segundo objetivo foi testar os limites atualmente evocados para a recategorização. Para testar esse limite e as potencialidades do processo de recategorizar, este ligado intimamente ao próprio ato de referir, foi estudado o referente “Maria” pelos aspectos macrossociais e investigados como e por que o objeto de discurso instaurado chega a representar, por meio da recategorização, grupos distintos, de lutas e de classes também distintas. Trata-se de uma abordagem que encontra ancoragem em outras pesquisas que estudam nomes próprios (CUSTÓDIO FILHO, 2011; BASSETTO, 2015; SOARES, 2018), mas que delas se distingue por observar um contexto de recategorização que transcende a constituição referencial inicial e passa a representar diferentes objetos do mundo.

Palavras-chave: referenciação; recategorização; discurso literomusical.

Abstract: The present study is born from two central objectives, which are retro nourished. The first is to discuss the current status of the theory of recategorization understood by the discursive dimension and run through by the cognitive and interactional levels (JAGUARIBE, 2007; LIMA; CAVALCANTE, 2015; CAVALCANTE; BRITO, 2016). Through the analysis of the text “Maria Maria”, seen from the perspective of the literature-musical discourse (COSTA, 2001), our second objective was to test the limits currently evoked for Recategorization. To test this limit and the potentialities of the process of recategorization, this linked intimately to the very act of referring, we study the referent “Maria” from the macro-social perspective and investigate how and why the object of discourse instituted comes to represent, through recategorization, distinct groups, of social struggles and distinct classes. It is an approach that finds support in other researches that study personal names (CUSTÓDIO FILHO, 2011; BASSETTO, 2015; SOARES, 2018), however distinguished from these, because we observe a context of recategorization that transcends the initial referential constitution and becomes able to represent different objects of the world.

Keywords: referring; reclassification; literature-musical discourse.


Keywords


referenciação; recategorização; discurso literomusical; referring; reclassification; literature-musical discourse.

References


ADAM, J. M. A linguística textual: introdução à análise textual dos discursos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

ALVES FILHO, F. Sua casinha é meu palácio: por uma concepção dialógica de referenciação. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, SC, v. 10, n. 1, p. 207-226, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1518-76322010000100010

APOTHÉLOZ, D.; REICHLER-BÉGUELIN, M. Construção da referência e estratégias de designação. Tradução (inédita) de Mônica Magalhães Cavalcante. In: BERRENDONNER, A.; REICHLER-BÉGUELIN, M. J. (org.). Du sintagme nominal aux objects-de-discours. Neuchâtsh: Université de Neuchâtsh, 1995. p. 227-271.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BASSETTO, L. M. T. O funcionamento de nomes próprios no processo de referenciação. 2015. 204f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2015.

BLIKSTEIN, I. Kaspar Hauser ou a fabricação da realidade. São Paulo: Cultrix; Editora da Universidade de São Paulo, 1983.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos. Por um interacionismo sociodiscursivo. 2. ed. São Paulo: EDUC, 2012.

CAVALCANTE, M. M Anáfora e deixis: quando as retas se encontram. In: KOCH, I. V.; MORATO, E. M. M.; BENTES, A. C. (org.) Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005. p. 125-149.

CAVALCANTE, M. M. Referenciação: sobre coisas ditas e não ditas. Fortaleza: Edições UFC, 2011. v. 1.

CAVALCANTE, M. M.; BRITO, M. A. P. O caráter naturalmente recategorizador das anáforas. In: AQUINO, Z. G. O.; GONÇALVES-SEGUNDO, P. R. (org.). Estudos do discurso: caminhos e tendências. São Paulo: Paulistana, 2016. Disponível em: http://cied.fflch.usp.br/sites/cied.fflch.usp.br/files/u31/Livro-CIED-2016-final.pdf. Acesso em: 5 jun. 2018.

CAVALCANTE, M. M.; CUSTÓDIO FILHO, V. Revisitando o estatuto do texto. Revista do GELNE, Natal, v. 2, p. 56-71, 2010.

CAVALCANTE, M. M.; CUSTÓDIO FILHO, V; BRITO, M. A. Coerência, referenciação e ensino. São Paulo: Cortez, 2014.

CAVALCANTE, M.; SANTOS, L. W. Referenciação e marcas de conhecimento compartilhado. Lingua(gem) em Discurso, Tubarão, SC, v. 12, n. 3, p. 657-681, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1518-76322012000300002

CIULLA, A. Os processos de referência e suas funções discursivas: o universo literário dos contos. 2008. 201f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2008.

CIULLA, A. Categorização e referência: uma abordagem discursiva. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 56, n. 2, p. 247-258, jul./dez. 2014. DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v56i2.8641477

COSTA, N. B. A produção do discurso literomusical brasileiro. 2001. 486f. Tese (Doutorado em Linguística) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2001.

COSTA, N. B. As letras e a letra: o gênero canção na mídia literária. In: DIONÍSIO, A. P; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (org.) Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2010. p. 117-133.

COSTA, A. A. A.; SARDENBERG, C. M. O feminismo no Brasil: uma (breve) retrospectiva. In: ______. (org.). O feminismo no Brasil: reflexões teóricas e perspectivas. Salvador: UFBA/Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher, 2008. Disponível em: http://www.neim.ufba.br/site/arquivos/file/feminismovinteanos.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019

CUSTÓDIO FILHO, V. Múltiplos fatores, distintas interações: esmiuçando o caráter heterogêneo da referenciação. 2011. 330f. Tese. (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística do Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

DELL’ISOLA, R. L. P. Retextualização de gêneros escritos. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

DIJK, T. V. Discurso e contexto: uma abordagem sociocognitiva. São Paulo: Contexto, 2012.

FRANCHINI, B. S. O que são as ondas do feminismo? Revista QG Feminista, [S.l.], 2017. Disponível em: https://medium.com/qg-feminista/o-que-s%C3%A3o-as-ondas-do-feminismoeeed092dae3a. Acesso em: 20 jul. 2019.

GUIMARÃES, S. A. G. Periferias cariocas e sua geografia linguística: aspectos da referenciação na diversidade da língua escrita – entre o ideal e o real. 2018. 338f. Tese (Doutorado) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

JAGUARIBE, V. M. F. O jogo da recategorização no texto poético. In: JORNADA – GELNE, XX., 2004, João Pessoa. Anais [...] João Pessoa: UFPB, 2004. p. 2597-2608. Disponível em: http://www.gelne.com.br/arquivos/anais/gelne-2004/prin_total.htm. Acesso: 22 jul. 2019.

JAGUARIBE, V. M. F. Os caprichos e as condescendências do discurso literário. In: CAVALCANTE, M. et al. (org.). Texto e discurso sob múltiplos olhares: referenciação e outros domínios discursivos. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007. v. 2. p. 221-249.

KOCH, I. G. V. Introdução à linguística textual: Trajetória e grandes temas. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

KOCH, I. G. V. Argumentação e linguagem. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KOCH, I. G. V.; MARCUSCHI, L. A. Processos de referenciação na produção discursiva. Delta, São Paulo, n. 14, 1998. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-44501998000300012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44501998000300012&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 15 jan. 2016.

LIMA, S. M. C. Entre os domínios da metáfora e da metonímia: um estudo de processos de recategorização. 2009. 204 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

LIMA, S. M. C.; CAVALCANTE, M. M. Revisitando os parâmetros do processo de recategorização. Revista Virtual de Estudos da Linguagem - ReVel, [S.l.], v. 13, n. 25, p. 295-315, 2015.

MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2000.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (org.) Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2010. p. 19-38.

MONDADA, L.; DUBOIS, D. Construção dos objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. In: CAVALCANTE, M. M.; BIASI RODRIGUES, B.; CIULLA e SILVA, A. (org.). Referenciação. São Paulo: Contexto, 2003. p. 17-52.

OLIVEIRA, T. Mulheres negras: sororidade e luta, 12 mar. 2015. Disponível em: https://revistaforum.com.br/blogs/quilombo/mulheres-negras-sororidade-e-luta/. Acesso: 20 jul. 2019.

PACHECO, M. A. Elis de todos os palcos: embriagues equilibrista que se fez canção. 2009. 246f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Brasília Programa de Pós-Graduação em História. Brasília, 2009.

RUY, J. C. Milton, Darcy e Graciliano: paixão pelo Brasil, 2012. Disponível em: http://www.vermelho.org.br/noticia/197451-1 Acesso: 20 jul. 2019.

SALOMÃO, M. M. M. A questão da construção do sentido e a revisão da agenda dos estudos da linguagem. Veredas: Revista de Estudos Linguísticos, Juiz de Fora, v. 3, n. 1, p. 61-79, 1999.

SANTOS, L. W; COLAMARCO, M. Referenciação e ensino: panorama teórico e sugestões de abordagem de leitura. Gragoatá, Niterói, n. 36, p. 43-62, 2014.

SANTOS, L. W.; CUBA RICHE, R.; TEIXEIRA, C. S. Análise e produção de textos. São Paulo: Contexto, 2015.

SILVA, C. A. S. A negritude através de Maria Maria de Milton Nascimento. 2003. 120f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão do Curso de Pós-Graduação em Literatura Brasileira e Teoria Literária, Florianópolis, 2003.

SOARES, M. S. Processos referenciais por nome próprio como estratégias argumentativas. 2018. 119f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza, 2018.

TORRES, L. S. Os benefícios intersemióticos do gênero canção popular para o aprendizado de Língua Portuguesa no Ensino Fundamental II. UERJ: Projeto de Pesquisa, 2018.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2020 Silvia Adelia Henrique Guimarães

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional