Dimensões da violência na linguagem: articulando cenários e perspectivas / Dimensions of violence in language: articulating scenarios and perspectives

Daniel do Nascimento e Silva, Anabella Machado Rocha, Alvaro Monteiro Carvalho Arcanjo, Clarissa Rodrigues Gonzalez

Abstract


Resumo: Este artigo tem como objetivo discutir dimensões da violência em três contextos empíricos em que as facetas física e simbólica da violência diferentemente se manifestaram: um relato de uma mulher vítima de violência sobre sua tentativa de realizar um boletim de ocorrência sobre ameaças sofridas pelo então marido; as declarações de um executivo sobre o pouco valor da vida de favelados no contexto da pandemia de Covid-19; uma capa jornalística em que a cabeça da ex-presidenta Dilma Rousseff aparece em chamas. O artigo invoca os conceitos de escala, comunicabilidade e indexicalidade para produzir sentido sobre como a violência foi percebida e enquadrada no primeiro contexto, sobre como ela circulou viralmente no segundo e sobre como ela participou da semiotização e contextualização de uma imagem no terceiro. Metodologicamente, o artigo combina abordagens etnográficas e documentais, diferentemente empregadas em cada contexto empírico. Além de promover uma discussão situada dessas três manifestações da violência, apontamos para formas de resistência à violência, algumas delas inscritas na própria produção da atividade reflexiva sobre a manifestação e os efeitos da violência.

Palavras-chave: escalas; comunicabilidade; indexicalidade; violência empírica; violência simbólica.

Abstract: This article aims at discussing dimensions of violence in three empirical scenarios in which physical and symbolic violence differently surfaced: an account of a female victim of violence about her attempt to press charges about threats made by her then husband; the comments by a businessman about the lack of value of the lives of favela residents in the context of the Covid-19 pandemics; a newspaper cover displaying the head of the former Brazilian president Dilma Rousseff on fire. The article builds on the concepts of scales, communicability and indexicality in order to render intelligible the ways in which violence was perceived and framed in the first context; in addition to how it virally spread in the second, and to how it participated in the semiotization and contextualization of an image in the third. Methodologically, the paper combines ethnographic and documental approaches, and applies them differently in each empirical context. In addition to providing a situated discussion of these three manifestations of violence, we point to modes of resistance to violence, some of which are inscribed in the very production of reflexive activity about the manifestation and effects of violence.

Keywords: scales; communicability; indexicality; empirical violence; symbolic violence.


Keywords


escalas; comunicabilidade; indexicalidade; violência empírica; violência simbólica; scales; communicability; indexicality; empirical violence; symbolic violence.

References


ALBUQUERQUE, A. A narrativa jornalística para além dos faits-divers. Lumina, Juiz de Fora, v. 3, n. 2, p. 69-91, 2000.

AUSTIN, J. L. How to Do Things with Words. Oxford: Oxford University Press, 1962.

A MÁQUINA do atraso de Dilma. Veja, São Paulo, 16 dez. 2015. Capa.

A SOLIDÃO de Dilma. Época, São Paulo, 16 abr. 2016. Capa.

AS EXPLOSÕES nervosas da presidente. Isto é, São Paulo, 6 abr. 2016. Capa.

BAHIA, J. História da imprensa brasileira. Jornal, história e técnica. Rio de Janeiro: Mauad, 2009.

BAKHTIN, M. As formas do tempo e do cronotopo. In: ______. Teoria do Romance II. Tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra; organização da edição russa de Serguei Botcharov e Vadim Kójinov. São Paulo: Editora 34, 2018. p. 11-236.

BARBOSA, M.; HESSEL, R. Pacote anunciado pelo governo deve liberar R$ 1,2 trilhão aos bancos. Correio Braziliense, Brasília, 24 mar. 2020. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2020/03/24/internas_economia,836224/pacote-anunciado-pelo-governo-deve-liberar-r-1-2-trilhao-aos-bancos.shtml. Acesso em: 9 jun. 2020.

BARONAS, R. L. A (des)ordem da imagem na comunicação política brasileira: possibilidades analíticas a partir da noção discursiva de relações intercenográficas. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, SC, v. 15, n. 3, p. 401-413, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-4017-150304-2015

BARTHES, R. A câmara clara: notas sobre a fotografia. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BAUMAN, R.; BRIGGS, C. Poetics and Performances as Critical Perspectives on Language and Social Life. Annual Review of Anthropology, Palo Alto, CA, v. 19, n. 1, p. 59-88, 1990. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev.an.19.100190.000423

BAUMAN, R.; BRIGGS, C. Voices of Modernity: Language Ideologies and the Politics of Inequality. Cambridge: Cambridge University Press, 2003. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511486647

BECKER, C.; CÉSAR, C. M.; GALLAS, D.; WEBER, M. H. Manifestações e votos sobre impeachment de Dilma Rousseff na primeira página de jornais brasileiros. ALAIC – Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, São Paulo, v. 13, n. 24, p. 96-113, 2016.

BERNADINO-COSTA, J.; GROSFOGUEL, R. Decolonialidade e perspectiva negra. Revista Sociedade e Estado, Brasília, v. 31, n. 1, p. 15-24, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-69922016000100002

BLOMMAERT, J. Chronotopes, Scales, and Complexity in the Study of Language in Society. Annual Review of Anthropology, Palo Alto, CA, v. 44, p. 105-116, 2015. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev-anthro-102214-014035

BOURDIEU, P. Language & Symbolic Power. Cambridge: Harvard University Press, 1991.

BOURDIEU, P. The Field of Cultural Production: Essays on Art and Literature. New York: Columbia University Press, 1993.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 ago. 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. COVID 19 no Brasil. 2020a. https://susanalitico.saude.gov.br/extensions/covid-19_html/covid-19_html.html. Acesso em: 30 ago. 2020.

BRASIL. Painel Coronavírus do Ministério da Saúde. 2020b. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em 11 jun. 2020.

BRIGGS, C. Communicability, Racial Discourse, and Disease. Annual Review of Anthropology, Palo Alto, CA, v. 34, p. 269-291, 2005. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev.anthro.34.081804.120618

BRIGGS, C. Anthropology, Interviewing, and Communicability in Contemporary Social Life. Current Anthropology, Chicago, v. 48, n. 4, p. 551-580, 2007. DOI: https://www.https://doi.org/10.1086/518300

BRIGGS, C. On Virtual Epidemics and the Mediatization of Public Health. Language & Communication, [S.l.], v. 31, n. 3, p. 217-228, 2011. DOI: https://doi.org/10.1016/j.langcom.2011.03.003

BROWN, P.; LEVINSON, S. Politeness: Some Universals in Language Usage. Cambridge: Cambridge University Press, 1987. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511813085

BUTLER, J. Excitable Speech: A Politics of the Performative. London: Routledge, 1997.

CALDEIRA, T. City of Walls. Crime, Segregation and Citizenship in São Paulo. Berkeley: University of California Press, 2000.

CARDOSO, V. G. “As explosões nervosas da presidente”: uma análise do processo de impeachment de Dilma Rousseff na revista semanal Isto é. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO, 11., WOMEN’S WORLD CONGRESS, 13th., Florianópolis, 2017. Anais [...]. Florianópolis: UFSC, 2017. Disponível em: http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1496529401_ARQUIVO_VivyaneGarbeliniCardoso.pdf. Acesso em: 10 jun. 2020.

CARR, S.; LEMPERT, M. (org.). Scale: Discourse and Dimensions of Social Life. Berkeley: University of California Press, 2016. DOI: https://doi.org/10.1525/9780520965430

CARUSO, C. Charge do Chico. O Globo, Rio de Janeiro, 8 mar. 2015. Capa.

CARVALHO, L. Governo e economia. In: SIMPÓSIO DIREITAS BRASILEIRAS, 2., 2020, Campinas. [Mesa: “Governo e economia”, com participação de Marcos Nobre e Sávio Cavalcante]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-bZ19AkrFhQ. Acesso em: 9 jun. 2020.

DAS, V. Life and words: Violence and the descent into the ordinary. Berkeley: University of California Press, 2007.

DE FINA, A. Identity in Narrative: A Study of Immigrant Discourse. Amsterdam: John Benjamins, 2003. DOI: https://doi.org/10.1075/sin.3

DE LARA, B. et al. Meu amigo secreto: feminismo além das redes. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2016.

DERRIDA, J. Assinatura acontecimento contexto. Trad. Joaquim Torres Costa e Antônio M. Magalhães. In: ______. Margens da filosofia. Campinas. Papirus. 1991. p. 349-373.

DILMA pisou no tomate. Veja, São Paulo, 17 abr. 2013. Capa.

DURANTI, A. Linguistic Anthropology. Cambridge: Cambridge University Press, 1997. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511810190

ESTADÃO. São Paulo, 4 mai. 2016. Capa

ESTADÃO. “Estadão” faz entrevista ao vivo com o presidente da XP Investimentos. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oQYh2JKx-wc. Acesso em: 9 jun. 2020.

FABRÍCIO, B. F. Narrativização da experiência: o triunfo da ordem sobre o acaso. In: MAGALHÃES, I.; CORACINI, M. J.; GRIGOLETTO, M. (org.). Práticas identitárias: língua e discurso. São Carlos, Claraluz, 2006. p. 191-210.

FEDERICI, S. Mulheres e caça às bruxas. São Paulo, Boitempo, 2019.

FONTCUBERTA, J. La cámara de Pandora. La fotografi@ después de la fotografía. Barcelona: Gustavo Gili, 2011.

FREITAS, G. Viver pela metade. O Povo, Fortaleza, 7 out. 2006.

FREUD, S. Além do princípio do prazer. Trad. P. C. Souza. In: ______. Obras Completas de Sigmund Freud. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. v. 14, p. 161-239.

GOFFMAN, E. On Face-Work: An Analysis of Ritual Elements in Social Interaction. Psychiatry: Journal for the Study of Interpersonal Processes, Washington, DC, v. 18, n. 3, p. 213-231, 1955. DOI: https://doi.org/10.1080/00332747.1955.11023008

GONZALEZ, C. Foto-grafia: a monstrualização de performances de gênero não binárias. Düsseldorf: NEA: Novas Edições Acadêmicas, 2017.

GONZALEZ, C.; MOITA LOPES, L. P. da. The Maternity Dispositif in All About My Mother: Entextualization and Scalar Processes. Alfa: Revista de Linguística, Assis, v. 64, n. 1, p. 1-27, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5794-e11313

GUERREIRO, G. Presidente do Senado ataca Planalto e diz que Dilma envelheceu. Folha de S. Paulo, São Paulo, 11 mar. 2015. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/03/1601243-presidente-do-senado-ataca-planalto-e-diz-que-governo-dilma-envelheceu.shtml. Acesso em: 11 jun. 2020.

HANKS, W. Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin. São Paulo: Cortez, 2008.

IBGE. 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/ livros/liv101681_informativo.pdf; https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/ 25844-desigualdades-sociais-por-cor-ou-raca.html?=&t=publicacoes. Acesso em: 15 maio 2020.

LATOUR, B.; WOLGAR, S. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LEVI, P. É isto um homem? Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

LIMA, V. A. de. Imprensa em questão. A capa do ‘Correio Braziliense’. Observatório da Imprensa, Campinas, ed. 815, 9 set. 2014. Disponível em: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-em-questao/_ed815_a_capa_do_correio_braziliense/. Acesso em: 27 ago. 2020.

LOPES, L. et al. Letramentos de sobrevivência: costurando vozes e histórias. In: LOPES, A. C.; FACINA, A.; SILVA, D. N. (org.). Nó em pingo d’água: sobrevivência, cultura e linguagem. Rio de Janeiro: Mórula; Florianópolis: Insular, 2019. p. 31-57.

MACCORD, M.; SOUZA, R. Trabalhadores livres e escravos. In: SCHWARCZ, L.; GOMES, F. (org.). Dicionário da Escravidão e Liberdade 50 textos críticos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018. p. 420-426.

MALKKI, L. Purity and Exile: Violence, Memory, and National Cosmology Among Hutu Refugees in Tanzania. Chicago; London: The University of Chicago Press, 1995. DOI: https://doi.org/10.7208/chicago/9780226190969.001.0001

MEY, J. Pragmatics: An Introduction. London: Blackwell, 2001.

MICHAELIS. Dicionário de português brasileiro. 2020. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br. Acesso em: 8 jun. 2020.

MOITA LOPES, L. P. (org.). Português no século XXI. Cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Parábola, 2013.

MOITA LOPES, L. P.; FABRÍCIO, B. F.; GUIMARÃES, T. F. Scaling Queer Performativities of Genders in Sexualities in the Periphery of Rio de Janeiro in Digital and Face-to-Face Semiotic Encounters. In: KROON, S.; SWANENBERG, J. (org.). Language and Culture on the Margins. New York: Routledge, 2019. p. 127-144. DOI: https://doi.org/10.4324/9781351244350-8

MORETZSOHN, S. D. Ponto de vista: A bruxa na fogueira do Estadão, uma imagem e seus símbolos. ObjETHOS, Florianópolis, 5 maio 2016. Disponível em: https://objethos.wordpress.com/2016/05/05/ponto-de-vista-a-bruxa-na-fogueira-do-estadao-uma-imagem-e-seus-simbolos. Acesso em: 27 ago. 2020.

NERI, M. A escalada da desigualdade: qual foi o impacto da crise sobre a distribuição da renda e da pobreza? Rio de Janeiro: FGV, 2019. Disponível em: https://cps.fgv.br/desigualdade. Acesso em: 9 jun. 2020.

NEVES, R. A.; NEVES, H. A. A representação da “mulher descontrolada” na capa da revista Isto é que retratou a presidenta Dilma “gritando”. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO, 11., WOMEN’S WORLD CONGRESS, 13th., Florianópolis, 2017. Anais [...]. Florianópolis: UFSC, 2017.

O PASSADO de Dilma. Época, São Paulo, 16 ago. 2010. Capa.

OSTERMANN, A. Communities of Practice at Work: Gender, Facework and the Power of Habitus at an All-Female Police Station and a Feminist Crisis Intervention Center in Brazil. Discourse & Society, [S.l.], v. 4, n. 4, p. 473-505, 2003. DOI: https://doi.org/10.1177/0957926503014004004

OSTERMANN, A; COSTA, C. Gender and Professional Identity in Three Institutional Settings in Brazil: The Case of Responses to Assessment Turns. Pragmatics, [S.l.], v. 22, n. 2, p. 203-230, 2012. DOI: https://doi.org/10.1075/prag.22.2.02ost

OXFORD. Oxford English Dictionary. 2020. Disponível em: https://www.oed.com. Acesso em: 8 jun. 2020.

PEIRCE, C. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2005.

RAJAGOPALAN, K. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e a questão ética. São Paulo: Parábola, 2003.

RAJAGOPALAN, K. A nova pragmática: fases e feições de um fazer. São Paulo: Parábola, 2010.

ROQUE, T. Por causa de robôs, ideia de renda básica universal ganha mais adeptos. Folha de S. Paulo. São Paulo, 17 fev. 2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2018/02/por-causa-de-robos-ideia-de-renda-basica-universal-ganha-mais-adeptos.shtml. Acesso em: 8 jun. 2020.

SAFFIOTI, H. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

SCARRY, E. The Body in Pain: The Making and Unmaking of the World. Oxford: Oxford University Press, 1987.

SCHMITT-PANTEL, P. “A criação da mulher”: um ardil para a história das mulheres? In: MATOS, M. I.; SOIHET, R. (org.). O corpo feminino em debate. São Paulo, Editora da Unesp, 2003. p. 129-156.

SELIGMANN-SILVA, M. O local do testemunho In: COELHO, F.; MAGALHÃES, M.; CÊRA, F. (org.). Literatura. Rio de Janeiro: FUNARTE, 2017. p. 249-268.

SILVA, D. Pragmática da violência: o nordeste na mídia brasileira. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2012.

SILVA, D. Investigating Violence in Language: An Introduction. In: ______. Language and Violence: Pragmatic Perspectives. Amsterdam; Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2017. p. 1-29. DOI: https://doi.org/10.1075/pbns.279

SILVERSTEIN, M. Metapragmatic discourse and metapragmatic function. In: LUCY, J. (org.). Reflexive Language: Reported Speech and Metapragmatics. Cambridge: Cambridge University Press, 1993. p. 33-58. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511621031.004

SILVERSTEIN, M. Indexical Order and the Dialectics of Sociolinguistic Life. Language & Communication, [S.l.], v. 23, n. 3-4, p. 193-229, 2003. DOI: https://doi.org/10.1016/S0271-5309(03)00013-2

SILVERSTEIN, M. Pragmatic Indexing. In: MEY, J. L. Concise Encyclopedia of Pragmatics. London: Elsevier, 2006. p. 756-759. DOI: https://doi.org/10.1016/B0-08-044854-2/00381-3

STRATHERN, M. Partial Connections. Walnut Creek: AltaMira Press, 2004.

VERAS, V. Verdade em tradução: um testemunho da dor das palavras. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 50, n. 2, p. 459-478, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-18132011000200014

VÍDEO “Na favela, o Estado já é mínimo” – conversa com Preto Zezé. Canal Henry Bugalho. Disponível em: https://youtu.be/1o7WEvPBMu8. Acesso em: 29 ago. 2020.

VIEIRA, J. L. Dilma e o sexo. Época, São Paulo, 20 ago. 2015. Disponível em: http://epoca.globo.com/vida/romance-urbano/joao-luiz-vieira/noticia/2015/08/dilma-e-o-sexo.html. Acesso em: 9 jun. 2020.

ZDEBSKYI, J. F.; MARANHÃO, E. M de A.; PEDRO, J. M. A histérica e as belas, recatadas e do lar: misoginia à Dilma Rousseff na concepção das mulheres como costelas e dos homens como cabeça da política brasileira. Espaço e Cultura, Rio de Janeiro, v. 38, p. 225-250, 2015. DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2015.29077


Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2020 Daniel do Nascimento e Silva, Anabella Machado Rocha, Alvaro Arcanjo, Clarissa Gonzalez

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional