Linguística de Corpus aplicada à Semântica de Frames: investigando conceptualizações pró-escolha no debate da Sugestão Legislativa n.º 15/2014 / Corpus Linguistics applied to Frame Semantics: investigating pro-choice conceptualizations in SUG no. 15/2014’s debate

Aline Nardes dos Santos, Rove Chishman

Abstract


Resumo: Este artigo vincula-se a uma tese doutoral cujo objetivo foi compreender, por meio da identificação de diferentes instanciações de frames semânticos, as redes de significado que (re)enquadram os direitos humanos e reprodutivos das mulheres no contexto das audiências públicas que debateram a Sugestão Legislativa (SUG) nº 15/2014 – tal proposta visou a regular o aborto nas primeiras doze semanas de gestação (SANTOS, 2020). Especificamente, o texto trata de alguns desdobramentos analíticos possibilitados pela integração da ferramenta de análise qualitativa NVivo ao recurso Sketch Engine, tendo em vista a necessidade de segmentação do corpus em unidades temáticas para posterior processamento dos dados no concordanciador. De modo a abordar tal percurso, o artigo discute a identificação de frames no discurso dos defensores da proposta da SUG nº 15, cujas escolhas lexicais refletem a conceptualização do abortamento como questão de saúde pública e de justiça social. Como resultados, o artigo destaca que o uso integrado de diferentes ferramentas de análise empírica permite uma descrição baseada em corpus que evidencia a dimensão multifacetada do frame semântico – uma estrutura sociocognitiva que se constrói nos entrelaçamentos entre léxico, discurso e cognição.

Palavras-chave: Linguística de Corpus; Semântica de Frames; Sugestão Legislativa n.º 15/2014; direitos reprodutivos.

Abstract: This article relates to a Ph.D. thesis which aimed at comprehending, throughout the identification of different semantic frame instantiations, the meaning networks that (re)frame women’s human and reproductive rights in the context of the public hearings that discussed the SUG no. 15/2014 – such a proposal intended to regulate abortion in the first twelve weeks of pregnancy, in Brazil (SANTOS, 2020). Specifically, the text presents some analytical developments made available by the integration of the qualitative analysis tool NVivo to the Sketch Engine tool, considering the need of a corpus segmentation into thematic units for a later processing of these data in a concordancer. In order to discuss this process, the article describes the identification of frames within the discourse of the ones that advocate for the SUG proposal, whose lexical choices reflect the conceptualization of abortion as a public heath matter, as well as a social justice one. Concerning the results, the article emphasizes that the integrated usage of different tools devoted to empirical analysis allows a corpus-based description that reveals the multifaceted dimension of a semantic frame – a socio-cognitive structure that is built in the interconnections between lexicon, discourse and cognition.

Keywords: Corpus Linguistics; Frame Semantics; SUG no. 15/2014; reproductive rights.


Keywords


Linguística de Corpus; Semântica de Frames; Sugestão Legislativa n.º 15/2014; direitos reprodutivos;

References


BELTRAME, P. B. Aborto: a controvérsia das feminilidades. 2016. 106f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal de Pernambuco, Natal, 2016.

BERBER SARDINHA, T. Linguística de Corpus: Histórico e Problemática. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 16, n. 2, p. 323-367, 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-44502000000200005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/delta/v16n2/a05v16n2.pdf. Acesso em: 25 set. 2020.

BOOTH, K. J. The Meaning of the Social Body: Bringing George Herbert Mead to Mark Johnson’s Theory of Embodied Mind. William James Studies, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 1-18, 2016. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/26203794?seq=1#metadata_info_tab_contents. Acesso em: 17 fev. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, 1988, Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 11 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção Humanizada ao Abortamento: Norma Técnica. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Senado Federal. Sugestão n° 15, de 2014. Atividade Legislativa. Brasília, 2014. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/119431. Acesso em: 1 mar. 2020.

BYBEE, J. Usage-Based Models in Linguistics: an Interview with Joan Bybee. Entrevista concedida a Tiago Timponi Torrent. Revista Linguíʃtica, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 1-6, 2012.

CHISHMAN, R. et al. Field – Dicionário de Expressões do Futebol: um recurso lexicográfico baseado no aporte teórico-metodológico da Semântica de Frames e da Linguística de Corpus. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 39, n. 67, p. 25-35, 2014. DOI: https://doi.org/10.17058/signo.v39i67.5128. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/signo/article/view/5128. Acesso em: 22 out. 2020.

CHISHMAN, R. et al. The Relevance of the Sketch Engine Software to Build Field – Football Expressions Dictionary. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 23, n. 3, p. 769-796, 2015. DOI: https://doi.org/10.17851/2237-2083.23.3.769-796. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/relin/article/view/8918. Acesso em: 21 out. 2020.

CHISHMAN, R. et al. Dicionário Olímpico: a Semântica de Frames encontra a lexicografia eletrônica. In: FINATTO, M. J. B.; REBECHI, R. R.; SARMENTO, S.; BOCORNY, A. E. P. (org.). Linguística de Corpus: perspectivas. Porto Alegre: Instituto de Letras - UFRGS, 2018. p. 265-298.

CHISHMAN, R. et al. Challenges and Difficulties in the Development of Dicionário Olímpico (2016). In: ELEX CONFERENCE, 2019, Sintra. Proceedings […]. Sintra: Lexical Computing CZ s.r.o., Brno, Czech Republic, 2019. p. 622-641.

DINIZ, D.; MEDEIROS, M.; MADEIRO, A. Pesquisa Nacional de Aborto 2016. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, p. 653-660, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017222.23812016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141381232017000200653&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 8 fev. 2020.

DINIZ, D.; MEDEIROS, M. Aborto no Brasil: uma pesquisa domiciliar com técnica de urna. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, supl. 1, p. 959-966, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s1/002.pdf. Acesso em: 03 jul. 2020.

DUQUE, P. H. Discurso e Cognição: uma abordagem baseada em frames. Revista da ANPOLL, Florianópolis, v. 1, n. 39, p. 25-48, 2015. DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i39.902 Disponível em: https://revistadaanpoll.emnuvens.com.br/revista/article/view/902/829. Acesso em: 10 set. 2020.

ELIAS, M. L. G. G. R. Conservadorismo, feminismo e o judiciário como arena em disputa: debate sobre aborto. In: ENCONTRO DA ABCP, 11., 2018, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: ABCP, 2018. p. 1-26.

FILLMORE, C. J. An Alternative to Checklist Theories of Meaning. In: ANNUAL MEETING OF THE BERKELEY LINGUISTICS SOCIETY, 1., Berkeley. Proceedings […]. Berkeley: Berkeley Linguistics Society, 1975. p. 123-131. DOI: https://doi.org/10.3765/bls.v1i0.2315

FILLMORE, C. J. Frame Semantics and the Nature of Language. In: CONFERENCE ON THE ORIGIN AND DEVELOPMENT OF LANGUAGE AND SPEECH, 1976, New York. Proceedings […] New York: New York Academy of Sciences, 1976. p. 20-32. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1749-6632.1976.tb25467.x

FILLMORE, C. J. Frame Semantics. In: THE LINGUISTICS SOCIETY OF KOREA (org.). Linguistics in the Morning Calm. Seoul: Hansinh Publishing, 1982. p. 111-137.

FILLMORE, C. J. Frames and the Semantics of Understanding. Quaderni di Semantica, [S.l.], v. 6, n. 2, p. 222-254, 1985.

FILLMORE, C. J.; BAKER, C. A Frames Approach to Semantic Analysis. In: HEINE, B.; NARROG, H. (ed.). The Oxford Handbook of Linguistic Analysis. New York: Oxford University Press, 2010. p. 313-339.

FONTES, M. R. Frames e valores: um estudo sobre a normatividade no espaço escolar. 2012. 157f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2012. Disponível em: http://www.ufjf.br/ppglinguistica/files/2009/12/FONTES-Mariana-Rocha-2012-Disserta%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 20 nov. 2020.

GEERAERTS, D.; KRISTIANSEN, G.; PEIRSMAN, Y. Introduction. Advances in Cognitive Sociolinguistics. In: ______. (ed.). Advances in Cognitive Sociolinguistics. Berlin; New York: De Gruyter Mouton, 2010. p. 1-22. DOI: https://doi.org/10.1515/9783110226461

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUIZZO, B. S.; KRZIMINSKI, C. O.; OLIVEIRA, D. L. L. C. O Software QSR NVIVO 2.0 na análise qualitativa de dados: ferramenta para a pesquisa em ciências humanas e da saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 24, n. 1, p. 53-60, 2003. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4437. Acesso em: 10 jun. 2018.

GUTTMACHER INSTITUTE. Abortion in Latin America and the Caribbean. New York: Guttmacher Institute, 2017. Disponível em: https://www.guttmacher.org/sites/default/files/factsheet/ib_aww-latin-america.pdf. Acesso em: 15 mar. 2020.

HANKS, W. F. O que é contexto. In: BENTES, A. C.; REZENDE, R. C.; MACHADO, M. R. (org.). Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin. São Paulo: Cortez, 2008. p. 169-203.

KOCH, I. V.; MORATO, E.; BENTES, A. C. Ainda o contexto: algumas considerações sobre as relações entre contexto, cognição e práticas sociais na obra de Teun van Dijk. Revista Latinoamericana de Estudios del Discurso, Brasília, v. 11, p. 79-92, 2011. DOI: https://doi.org/10.35956/v.11.n1.2011.p.79-91. Disponível em: http://raled.comunidadaled.org/index.php/raled/article/view/93. Acesso em: 20 set. 2020.

KOESTER, A. Building Small Specialised Corpora. In: MCCARTHY, M.; O’KEEFE, A. (ed.). The Routledge Handbook of Corpus Linguistics. London; New York: Routledge, 2010. p. 66-79. DOI: https://doi.org/10.4324/9780203856949-6

LAGE, M. C. Utilização do software NVivo em pesquisa qualitativa: uma experiência em EaD. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, v. 12, p. 198-226, 2011. DOI: https://doi.org/10.20396/etd.v12i0.1210. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/1210/pdf_57. Acesso em: 14 mai. 2020.

LANGACKER, R. W. Cognitive Grammar: A Basic Introduction. New York: Oxford University Press, 2008. DOI: https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780195331967.001.0001

LANGLOTZ, A. Creating Social Orientation Through Language. Amsterdam; Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2015. DOI: https://doi.org/10.1075/celcr.17.

LIMA, F. R. O.; MIRANDA, N. S. O frame semântico como uma ferramenta analítica de compreensão de experiências sociais educacionais. Revista Gatilho, Juiz de Fora, v. 8, p. 1-14, 2013. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistagatilho/files/2013/05/O-frame-sem%C3%A2ntico-como-ferramenta-anal%C3%ADtica.pdf. Acesso em: 25 mar. 2020.

MIRANDA, N. S. Domínios conceptuais e projeções entre domínios: uma introdução ao Modelo dos Espaços Mentais. Veredas: Revista de Estudos Linguísticos, Juiz de Fora, v. 3, n. 1, p. 81-95, 1999. Disponível em: https://veredas.ufjf.emnuvens.com.br/veredas/article/view/500. Acesso em: 03 mar. 2020.

MIRANDA, N. S. O caráter partilhado da construção da significação. Veredas: Revista de Estudos Linguísticos, Juiz de Fora, v. 5, n. 1, p. 57-81, 2001. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistaveredas/files/2009/12/artigo49.pdf. Acesso em: 08 jul. 2020.

MIRANDA, N. S.; BERNARDO, F. C. Frames, discurso e valores. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 55, n. 1, p. 81-97, 2013. DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v55i1.8636596. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8636596. Acesso em: 16 mar. 2020.

MORATO, E. M. A noção de frame no contexto neurolinguístico: o que ela é capaz de explicar? Cadernos de Letras da UFF, Niterói, n. 41, p. 93-113, 2010. Disponível em: http://www.uff.br/cadernosdeletrasuff/41/artigo4.pdf. Acesso em: 10 jan. 2020.

SALOMÃO, M. M. Gramática e interação: o enquadre programático da hipótese sociocognitiva sobre a linguagem. Veredas: Revista de Estudos Linguísticos, Juiz de Fora, v. 1, n.1, p. 23-39, 1997. Disponível em: https://bit.ly/2tZRwlH. Acesso em: 25 mar. 2020.

SALOMÃO, M. M. Teorias da linguagem: a perspectiva sociocognitiva. In: FÓRUM DE LINGUAGEM, 2., Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006. p. 1-13.

SALOMÃO, M. M. Teorias da linguagem: a perspectiva sociocognitiva. In: MIRANDA, N. S.; SALOMÃO, M. M. (org.). Construções do Português do Brasil: da gramática ao discurso. Belo Horizonte: UFMG, 2009. p. 20-32.

SANTOS, A. N. A Sugestão Legislativa nº 15/2014: entrelaçamentos e reenquadramentos de frames semânticos no debate sobre os direitos reprodutivos das mulheres no Brasil. 2020. 291f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, 2020. Disponível em: http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/9111. Acesso em: 20 nov. 2020.

SANTOS, A. N.; CHISHMAN, R. L. O. Frames de compreensão e corpora: estudo de caso com uso do Sketch Engine. In: FINATTO, M. J. B.; REBECHI, R. R.; SARMENTO, S; BOCORNY, A. E. P. (org.). Linguística de Corpus: perspectivas. Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2018. p. 183-206.

SILLIMAN, J. et al. Undivided Rights: Women of Color Organizing for Reproductive Justice. Chicago: Haymarket Books, 2016.

SILVA, A. S. Discurso na mente e na comunidade. Para a sinergia entre a Linguística Cognitiva e a Análise (Crítica) do Discurso. Revista Portuguesa de Humanidades, Braga, v. 9, n. 1, p. 53-78, 2015.

SIMAN, J. H. Frames de doença de Alzheimer. 2015. 155f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Estadual de Campinas, 2015. Disponível em: http://taurus.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/270612/1/Siman_JosieHelen_M.pdf. Acesso em: 16 mar. 2020.

SIQUEIRA, A. C. T. A Semântica de Frames na análise do discurso discente: traçando o perfil do professor de português. 2013. 152f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Juiz de Fora, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufjf.br/jspui/bitstream/ufjf/900/1/amandacristinatestasiqueira.pdf. Acesso em: 20 ago. 2020.

TANNEN, D. What’s in a Frame? Surface Evidence for Underlying Expectations. In: FREEDLE, R. (ed.). New Directions in Discourse Processing. Norwood: Ablex, 1979. p. 137-181.

TOMASELLO, M. The Cultural Origins of Human Cognition. Cambridge: Harvard University Press, 1999.

TOMASELLO, M. Constructing a Language: A Usage-Based Theory of Language Acquisition. Cambridge; London: Harvard University Press, 2003.

TOMASELLO, M. Origins of Human Communication. Cambridge; London: The MIT Press, 2008. DOI: https://doi.org/10.7551/mitpress/7551.001.0001

VEREZA, S. Mal comparando…: os efeitos argumentativos da metáfora e da analogia numa perspectiva cognitivo-discursiva. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 20, n. 40, p. 18-35, 2016a. DOI: https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2016v20n40p18. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/13964. Acesso em: 9 mar. 2020.

VEREZA, S. Cognição e sociedade: um olhar sob a óptica da Linguística Cognitiva. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 16, n. 3, p. 561-573, 2016b. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-4017-160303-0416d15. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ld/v16n3/1518-7632-ld-16-03-00561.pdf. Acesso em: 07 mar. 2020.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2020 Aline Nardes dos Santos, Rove Chishman

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional