Do sofrimento individual à luta coletiva: as narrativas de engajamento de mães em movimentos sociais / From Individual Suffering to Collective Struggle: Narratives of Engagement of Mothers in Social Movements

Etyelle Pinheiro de Araújo

Abstract


Resumo: O estado do Rio de Janeiro soma o maior número de civis mortos (negros, em sua maioria) durante incursões policiais nas favelas. Contra essa violência e em busca de justiça, os familiares das vítimas têm se engajado em movimentos sociais como a Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência. Este artigo estuda o que chamo de narrativas de engajamento veiculadas nas manifestações por esses familiares, especialmente as mães, objetivando compreender a importância da narrativa
para a transformação do luto dessas mulheres em ação política. A metodologia engloba a perspectiva qualitativa-interpretativista de pesquisa, com observação participante. Os dados foram gerados nas manifestações organizadas pela Rede. A análise foi orientada pela compreensão da narrativa como prática discursivo-interacional que organiza a experiência humana e sugere a existência de uma espécie de “padrão” que organiza as
narrativas de engajamento dos participantes da Rede. A análise ainda identifica dois mecanismos discursivos entrelaçados: i) a racionalização dos eventos que levaram à morte do filho por meio de sistemas de coerência; ii) um movimento espiral que relaciona os eventos de ordem micro e macro na narrativa. O artigo finaliza destacando as narrativas de engajamento enquanto ferramenta desse movimento social para reivindicar suas demandas na esfera pública e resistir ao racismo estrutural.


Palavras-chave: narrativa; movimentos sociais, violência policial.


Abstract: Rio de Janeiro is the state with the highest number of homicides due to police brutality (largely Black people). Faced with this situation and seeking justice, the victims’ mothers engage in social movements such as the Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência. This paper focuses on what I will refer to as the narratives of engagement of these family members, especially mothers. It aims to understand how important narratives are for these women in the process of transforming grief into political action. The methodology encompasses a qualitative-interpretative research approach with participant observation. The data was generated in the protests organized by the Rede. The analysis was guided by the notion of narrative as a discursive and interactional practice which organizes human experience. Such practice also serves as a tool for social movements to make demands of the state. The analysis suggests the existence of a pattern that organizes the narratives of engagement; it further identifies two discursive mechanisms that interact with each other: i) the rationalization of events leading to the death of their children by using coherence systems; ii) a spiral movement that relates microsocial and macrosocial events in the narrative. The article concludes by highlighting narratives of engagement as a tool for this social movement to raise its demands in the public sphere, as well as a way of resisting structural racism.

Keywords: narrative; social movements; police violence.


Keywords


narrativa; movimentos sociais, violência policial; narrative; social movements; police violence.

References


ABU-LUGHOD, L.; LUTZ, C. Introduction. In: ABU-LUGHOD, L.;

LUTZ, C. (eds.). Language and the politics of emotion. New York:

Cambridge University Press, 1990. p. 1-23.

ARAÚJO, E. P. BIAR, L. de A.; BASTOS, L. C. Engagement in social

movements and the fight for justice: a study on the narratives of black mothers. Trab. linguist. apl., Campinas, v. 59, n. 3, p. 1690-1709, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/010318138361811120201113

ARAÚJO, E. P. A ressignificação do estigma como um ato de resistência no movimento de mães contra a violência policial. Veredas – Revista de Estudos Linguísticos, Juiz de Fora, v.25, n.1, p. 54-77, 2021a. DOI: https://doi.org/10.34019/1982-2243.2021.v25.33753

ARAÚJO, E. P. Cada luto, uma luta: narrativas e resistência de mães

contra a violência policial. 2021. 258f. Tese (Doutorado em Estudos da

Linguagem) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2021b.

BASTOS, L. C. Contando estórias em contextos espontâneos e

institucionais – uma introdução ao estudo da narrativa. Calidoscópio,

São Leopoldo , v. 3, n. 2, p. 74-87, 2005.

BASTOS, L. C.; BIAR, L. Análise de narrativa e práticas de entendimento da vida social. DELTA, São Paulo, v. 31, p. 97-126, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-445083363903760077

BIAR, L. A.; ORTON, N.; BASTOS, L. C. A pesquisa brasileira em

análise de narrativa em tempos de “pós-verdade”. Linguagem em

(Dis)curso, Tubarão, v. 21, n. 2, p. 231-251, 2021. DOI: http://dx.doi.

org/10.1590/1982-4017-210205-2920

BRUNER, J. Atos de significação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

CERQUEIRA, D. et al. Atlas da violência – 2017. Rio de Janeiro: IPEA;

São Paulo: FBSP. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/download/2/atlas-2017. Acesso em: 13 jun. de 2018.

CRAPANZANO, V. Reflections on Hope as a Category of Social and

Psychological Analysis. Cultural Anthropology, Hoboken, v. 18, n. 1, p.

-22, 2013. DOI: https://doi.org/10.1525/can.2003.18.1.3

DE FINA, A. Identity in narrative: A study of immigrant discourse.

Amsterdam: John Benjamins, 2003.

DE FINA, A. Biography as Political Tool: The Case of the Dreamers. In:

RHEINDORF, M.; WODAK. R. (eds.). Sociolinguistic Perspectives on

Migration Control. Bristol: Multilingual Matters, 2020. p. 64-85.

FAIRCLOUGH, N. Language and Power. Londres, Nova York:

Longman, 1989.

FARIAS, J. Governo de mortes: uma etnografia da gestão das populações de favelas no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Papéis Selvagens, 2020.

JASPER, J. The Art of Moral Protest: Culture, Biography, and Creativity

in social Movements. Chicago: Chicago University Press, 1997.

LABOV, W. The transformation of experience in narrative syntax. In:

LABOV, W. Language in the inner city. Philadelphia: University of

Pennsylvania Press, 1972. p.201-240.

LINDE, C. Life Stories: the creation of conference. Nova York: Oxford

University Press, 1993.

LODER, L. L.; JUNG, N. M. (orgs.) Fala-em-interação social: introdução à análise da conversa etnometodológica. São Paulo: Mercado de Letras, 2008.

MBEMBE, A. Necropolítica. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

MISHLER, L. Narrativa e identidade: a mão dupla do tempo. In: L.P.

da MOITA LOPES; L.C. BASTOS (orgs.). Identidade: recortes multi e

interdisciplinares. Campinas: Mercado de Letras/CNPQ, 2002. p. 97-119.

MISSE, M. (org.). 2011. Autos de Resistência: uma análise dos homicídios cometidos por policiais do Rio de Janeiro (2001-2011). Rio de Janeiro:Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflitos e Violência Urbana, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2011. Mimeo. 138p.

ORTON, N. “Mitos”, “verdades” e o papel da Linguística Aplicada na

Contemporaneidade. Trab. Ling. Aplic., Campinas, v. 60, n. 2, p. 455-

, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/010318131010071620210524

PAIVA, A. R. Pedagogia Alternativa nos Movimentos Sociais.

Desigualdade & Diversidade: Revista de Ciências Sociais da PUC-Rio,

Rio de Janeiro, n.12, p. 29-42, 2013.

RIESSMAN, C. K. Narrative analysis. Newbury Park, CA: SAGE

Publishings, Inc, 1993.

SCHERERWARREN, I. Cidadania sem fronteiras: ações coletivas na

era da globalização. São Paulo: Hucitec, 1999.

SIMONS, H.; PIPER, H. Questões éticas na geração de conhecimento

público. In: SOMEKH. B.; LEWIN, C. (orgs.). Teoria e métodos de

Pesquisa Social. Petrópolis: Vozes, 2015. p. 56-65.

SOUZA, A. L. S. Letramentos de Reexistência: culturas e identidades no movimento hip-hop. São Paulo: Editora Parábola Editorial, 2011.

SUGIURA, L; WILES, R; POPE, C. Ethical challenges in online

research: Public/private perceptions. Research Ethics, Preston, v. 13, n.3-4, p. 184-199, 2017. DOI: https://doi.org/10.1177/1747016116650720

TANNEN, D. Oh talking voice that is so sweet: constructing dialogue in

conversation. Talking voices. Cambridge: Cambridge University Press,

TARROW, S. O poder em movimento: movimentos sociais e confronto

político. Petrópolis: Vozes, 2009.

TELLES, V. da S. Sociedade Civil e a construção dos novos espaços

públicos. In: DAGNINO, E. (org.). Anos 90: política e a sociedade no

Brasil. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1994. p.60-92.

THOMPSON, J. B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica

na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes, 1995.

TOURAINE, A. Pensar outramente. Petrópolis: Vozes, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.0.0.%25p

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2022 Etyelle Pinheiro de Araujo

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional