Da relação de condição no português: formas e sentidos

Taísa Peres de Oliveira

Abstract


O objetivo principal do estudo que se apresenta é verificar a expressão da condicionalidade na língua portuguesa. Nesse sentido, faz-se um levantamento das conjunções condicionais nessa língua, a partir das conjunções arroladas nos compêndios gramaticais. Verifica-se que, embora os estudos descritivos sobre as orações condicionais centrem seu foco de interesse na oração condicional iniciada pela conjunção
se, expediente canônico para a expressão da relação de condição, outras conjunções e locuções conjuntivas concorrem para atualizar o sentido condicional. Além disso, o estudo mostra que a condicionalidade se realiza na expressão de diferentes sentidos, subdividindo as conjunções condicionais em três grupos: restritivas positivas, restritivas negativas, hipotéticas. Considerando-se os sentidos expressos pelas conjunções, procurou-se investigar se a conjunção tem alguma influência sobre a oração condicional que ela introduz. Para tanto, considerou-se a tipologia dos modificadores oracionais, tal qual a teoria da Gramática Discursivo Funcional propõe. O que se verificou é que o sentido expresso pela conjunção
não opera sobre a configuração formal da oração que ela introduz.

Keywords


Conjunções condicionais; Restritivas positivas; Restritivas negativas; Hipotéticas.

References


BARRETO, T. M. M. Gramaticalização das conjunções na história do português. 1999. 326 f., v. I e II. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Instituto de Letras – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1999.

BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.

FARIA, E. Gramática Superior da Língua Latina. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1958.

DECAT, M. B. N. Uma abordagem funcionalista da hipotaxe adverbial em português. In: CAMPOS, O. G. L. A. S. (Org.). Descrição do português: abordagens funcionalistas. Araraquara, S. P.: Curso de Pós-Graduação em Letras – SCL – AR, 1999.

DIK, S. C. et al. The semantics of conditionals. In: NUYTS, J.; BOLKESTEIN, A. M.; VET, C. (Ed.). Layers and Levels of Representation in Language Theory: a functional view. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 1990. p. 233-261.

FERREIRA, A. B. F. A variação posicional das orações condicionais: uma análise funcional-discursiva. 1997. 138 f. Dissertação (Mestrado em Letras: Língua Portuguesa) – Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 1997.

GRYNER, H. Graus de vinculação nas cláusulas condicionais. Cadernos de Estudos Linguísticos, v. 28, p. 69-83, 1995.

HIRATA, F. B. M. A hipotaxe adverbial condicional no português escrito contemporâneo do Brasil. 1999. 231 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 1999.

LUFT, C. P. et al. Novo manual de português. 7. ed. São Paulo: Globo, 1989.

MONTOLIO, E. On affirmative and negative complex conditional connectives. In: COUPER-KUHLEN, E.; KORTMANN, B. (Ed.). Cause, condition, concession, contrast: cognitive and discourse perspectives. Berlin, New York: Mouton de Gruyter, 2000.

NEVES, M. H. M. Gramática de usos do português. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

NEVES, M. H. M. As construções condicionais. In: NEVES, M. H. M. (Org.) Gramática do português falado. Novos Estudos. v. VII. Campinas: Editora da UNICAMP/FAPESP, 1999.

ROCHA LIMA, C. H. da. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. 31. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972.

VAN der AWERA, J. Language and logic. A speculative and condition-theoretic study. Amsterdam: John Benjamins, 1983.

VISCONTI, J. On English and Italian complex conditional connectives: matching features and implicatures in defining semanto-pragmatic equivalence. Language Sciences, v. 18 , n.2, p. 549-573, 1996.

VISCONTI, J. A Comparative Glossary of Conditionals in Legal Language: English, Italian, German, French. (s/d, mimeo).

VISCONTI, J. I connettivi condizionali complessi in italiano e in inglese. Uno studio contrastivo. Torino: Edizioni dell’Orso, 2000.

VISCONTI, J. Conditionals and Subjectification: Implications for a Theory of Semantic Change. In: FISHER, O. et al (Ed.). Up and Down the cline: The nature of Grammaticalization. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2004. p. 169-192.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.17.1.101-118

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c)



e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)