A Morfologia Distribuída no Brasil: duas décadas de existência

Miriam Lemle, Ana Paula Scher, Maria Cristina Figueiredo Silva, Alessandro Boechat de Medeiros

Abstract


Este artigo é um conjunto de quatro testemunhos de pesquisadoresbrasleiros que se apaixonaram pela Morfologia Distribuída desdea publicação do artigo inaugural de autoria de Morris Halle eAlec Marantz, “Distributed morphology and the pieces ofinflection”, em 1993. Essa teoria propõe uma nova arquitetura degramática que tem muito em comum com a sintaxe e pouco a vercom a morfologia tradicional – por exemplo, o antigo léxico édecomposto em três diferentes listas. Cada um dos contribuidoresfoi convidado a responder as seguintes questões: (i) Qual foi acaracterística da Morfologia Distribuída que levou você a gostarmais dessa versão da gramática gerativa?; (ii) Qual foi o primeirotema que você mesma/mesmo explorou com base nessa teoria?;(iii) Por que razão esse modelo parece a você mais vantajoso doque o modelo gerativo tradicional de morfologia?; (iv) Que outrostemas você incentivou e vem incentivando alunos seus a explorar, e que interfaces do modelo ganham foco em cada caso?; (v) Emque novas questões você tem vontade de trabalhar a curto prazo?

Keywords


Morfologia Distribuída; Gramática Gerativa; Português Brasileiro.

References


ALEXIADOU, A. Functional Structure in Nominals: Nominalization and Ergativity. Amsterdam: John Benjamins, 2001.

ARAD, M. Locality Constraints on the interpretation of roots: the case of Hebrew denominal verbs. NLLT, v. 21, p. 737-778, 2003.

BASÍLIO, M. Formação e uso da nominalização deverbal sufixal no português falado. In: CASTILHO, A.; M. BASÍLIO (Org.). Gramática do português falado. Vol. IV. Campinas: UNICAMP/FAPESP, 1996. p. 23-30.

BORER, H. Roots and Categories. Colloquium on Generative Grammar, 19th Abril de 2009, Proceedings... University of the Basque Country.

BORER, H. The grammar machine. In: ARTEMIS, A.; AGNOSTOPOULOU; M. EVERAERT (Ed.). The Unaccusativity Puzzle: Explorations of the Syntax-Lexicon Interface. Oxford: Oxford University Press, 2004. p. 288-331.

BORER, H. Structuring Sense. Oxford: Oxford University Press, 2005.

CAMPBELL, R. G. The Grammatical Structure of Verbal Predicates. 1989. Tese (Doutorado) – UCLA, Los Angeles, 1989.

CASTRO, C. S.; LEMLE, M. Composicionalidade semântica em LSB – fronteiras e encaixes. In: SALLES, H. M. L.; R. R NAVES (Org.). Estudos de língua de sinais brasileira e aquisição do português (L2) por surdos. Goiânia: Cânone Editorial, 2010. p. 109-150.

CASTRO, C. S. Composicionalidade semântica em Libras: fronteiras e encaixes. 2007. Tese (Doutorado) – UFRJ, Rio de Janeiro, 2007.

CHOMSKY, N. Derivation by phase. MITOPL 18, 1999. [Reeditado em KENSTOWICZ, M. (Ed.). Ken Hale: a Life in Language. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 2001. p. 1-52].

CHOMSKY, N. The Minimalist Program. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1995.

CHOMSKY, N. Lectures on Government and Biding. Dodrecht, The Netherlands: Foris, 1981.

CHOMSKY, N. Remarks on Nominalization. In: JACOBS, R.; ROSENBAUM, P. (Ed.). Readings in English Transformational Grammar. Waltham, MA: Ginn and Co., 1970. [Reeditado em CHOMSKY, N. Studies on Semantics in Generative Grammar. The Hague: Mouton, 1972. p. 11-61].

CHOMSKY, N. Aspects of the Theory of Syntax. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1965.

CHOMSKY, N. Syntactic Structures. The Hague: Mouton, 1957.

COSTA, J.; FIGUEIREDO SILVA, M. C. Nominal and Verbal Agreement in Portuguese: an Argument for Distributed Morphology. In: _____ (Org.). Studies on Agreement. Amsterdam: John Benjamins, 2006. p. 25-46.

DUBINSKY, S. Syntactic underspecification and light-verb phenomena in Japanese. Linguistics, v. 35, p. 627-672, 1997.

EMBICK, D. On the Structure of Resultative Participles in English. Linguistic Inquiry, v. 35. p. 355-392, 2004.

EMBICK, D.; NOYER, R. Movement Operations after Syntax. Linguistic Inquiry, v. 32, p. 555-595, 2001.

FAAB, N. Linguistics and Literature. In: ARONOFF, M.; J. REES-MILLER (Ed.). The Handbook of Linguistics. Blackwell Publishing, 2002.

FIGUEIREDO SILVA, M. C. Morfologia. Material instrucional disponibilizado em rede para o curso de licenciatura à distância Letras-Libras. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

FIGUEIREDO SILVA, M. C.; MIOTO, C. Considerações sobre a prefixação. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, v. 7, 2009. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/artigos/revel_12_consideracoes_sobre_a_prefixacao.pdf.

FIGUEIREDO SILVA, M. C.; SELL, F. F. Algumas notas sobre compostos em português brasileiro e em Libras. In: PIRES DE OLIVEIRA, R.; MIOTO, C. (Org.). Percursos em Teoria da Gramática. Florianópolis: Editora da UFSC, 2011. p. 17-41.

FIGUEIREDO SILVA, M. C. Sobre a distinção entre composição e expressões idiomáticas. Apresentação na Mesa redonda “Distribuindo Morfologia: desdobramentos recentes da Morfologia Distribuída”. Congresso Internacional da Abralin, VII, fevereiro/2011, Anais... Curitiba, Brasil.

FILLMORE, C. The Case for Case. In: BACH, E.; R.T. HARMS (Ed.). Universals in Linguistic Theory. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1968.

FRANÇA, A. I. O léxico mental em ação: muitas tarefas em poucos milissegundos. LinguíStica, UFRJ, v. 1, p. 45-80, 2005.

FRANÇA, A. I. Concatenações linguísticas: estudo de diferentes módulos cognitivos na aquisição e no córtex. 2002. Tese (Doutorado) – UFRJ, Rio de Janeiro, 2002.

FUCHS, C. Y. Os marcadores -ga e -wa em japonês: um estudo dos traços morfossintáticos e semânticos para a inserção vocabular. 2009. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

GRIMSHAW, J. Argument Structure. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1990.

GRIMSHAW, J.; MESTER, A. Light verbs and T-marking. Linguistic Inquiry, v. 19. p.205-232, 1988.

GRODZINSKY, Y. The battle for Broca’s region. Trends in Cognitive Science, v. 12, p. 474-480, 2008.

HALE, K.; KEYSER, S. J. On Argument Structure and the Lexical Expression of Syntactic Relations. In: HALE, K.; S. J. KEYSER (Ed.). The View From Building 20, Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1993. p. 53-109.

HALE, K.; KEYSER, S. J. Prolegomenon to a Theory of Argument Structure. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 2002.

HALLE, M.; MARANTZ, A. Some Key features of Distributed Morphology. MIT Working Papers in Linguistics, v. 21, p. 275-288, 1994.

HALLE, M.; MARANTZ, A. Distributed morphology and the pieces of inflection. In: HALE, K.; S. J. KEYSER (Ed.). The View From Building 20, Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1993. p. 111-176.

HARLEY, H. The bipartite structure of verbs cross-linguistically. Congresso Internacional da Abralin, Anais... UFMG, 2007.

HARLEY, H.; NOYER, R. State-of-the-article: Distributed Morphology. Glot International, v. 4, n.4, p. 3-9, 1999.

IPPOLITO, M. On the past participle morphology in Italian. MIT Working Papers in Linguistics, v. 33, p. 111-137, 1999.

JACKENDOFF, R. Semantic Structures. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1990.

KIPARSKY, P. Word formation and the lexicon. In: INGEMAN, F. (Ed.). Mid-America Linguistics Conference, Proceedings... Kansas: University of Kansas, 1982.

KRATZER, A. Severing the External Argument from its Verb. In: ROORYCK, J.; L. ZARING (Ed.). Phrase Structure and the Lexicon. Dodrecht: Kluwer Academic Publishers, 1996. p. 109-137.

KRATZER, A. “Building Statives”. 2000. Disponível em: http://semanticsarchive. net/Archive/GI5MmI0M/kratzer.building. statives.pdf. Acesso em: 18 abr. 2003.

LAGE, A. C. Aspectos neurofisiológicos de concatenação e idiomaticidade em português do Brasil: um estudo de potenciais bioelétricos relacionados a eventos linguísticos (ERPs). 2005. Tese (Doutorado) – UFRJ, Rio de Janeiro, 2005a.

LAGE, A. C. Concatenações do objeto em português e no alemão. Conclusões de experimentos psicolinguísticos on-line. LinguíStica, UFRJ, v. 1, p. 81-108, 2005b.

LEMLE, M.; CASTRO, C. S. Polissemia em verbos segundo uma abordagem Exoesqueletal. In: NAVES, R. R.; H. M. L. SALLES (Org.). Estudos Formais da Gramática das Línguas Naturais. Goiânia: Cânone Editorial, 2012. p. 217-226.

LEMLE, M.; FIGUEIREDO SILVA, M. C. Variação na expressão da concordância: muitas gramáticas e muitos gramáticos. Ensino de Morfologia. ECLAE, V, setembro/2011, Anais... Natal, Brasil.

LEMLE, M. Arbitrariedade saussureana, saltos e sobressaltos. XXIII Reunião anual da ANPOLL, UFG, 2008. Ms. 36p.

LEMLE, M. Mudanças sintáticas e sufixos latinos. LinguíStica, UFRJ, v. 1, p. 5-44, 2005.

LEMLE, M. Sufixos em verbos: onde estão e o que fazem. Revista Letras, UFPR, v. 58, p. 279-324, 2002.

LEMLE, M. O novo estruturalismo em lingüística: Noam Chomsky. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 15/16: Estruturalismo, p. 60-65, 1967.

LEVIN, B.; RAPPAPORT HOVAV, M. Unaccusativity: At the Syntax-Lexical Semantics Interface. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1995.

LEVINSON, L. The Roots of Verbs. 2007. Tese (Doutorado) – New York University, Nova Iorque, 2007.

LIN, J. Event Structure and the Encoding of Arguments: The Syntax of the Mandarin and English Verb Phrase. 2004. Tese (Doutorado) – MIT, 2004.

MARANTZ, A. Argument Structure and Morphology: Noun Phrases that Name Events, Manuscrito, New York University, 2006.

MARANTZ, A. Words. Apresentação feita no WCCFL 2001, como Keynote Speaker. Califórnia: USC, 2001.

MARANTZ, A. No escape from syntax: don’t try morphological analysis in the privacy of your own lexicon. In: DIMITRIADIS, A. et al. (Ed.). Annual Penn Linguistics Colloquium, 21th, Proceedings... University of Pennsylvania Working Papers in Linguistics, v. 4.2. p. 201-225. 1997.

MEDEIROS, A. B. Considerações sobre o prefix re-. Revista Alfa, São Paulo, v. 56, n. 2, p. 583-610, 2012.

MEDEIROS, A. B. Para uma abordagem sintático-semântica do prefixo des-. Revista da ABRALIN, v. 9, n.2. p. 95-121, 2010.

MEDEIROS, A. B. Traços morfossintáticos e subespecificação morfológica na gramática do Português: um estudo das formas participiais. 2008. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

MEDEIROS, A. B. Sintaxe e semântica do particípio passado. 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

MEDEIROS, A. B. Os sufixos nominalizadores -ção e -mento. Estudos Lingüísticos, v. XXXVI, n. 1, p. 89-96, 2007.

MEDEIROS, A. B. Aspectos da derivação prefixal e sufixal no português do Brasil. 2009. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

OLIVEIRA, S. M. Derivação Prefixal: um estudo sobre alguns prefixos do Português brasileiro. 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

PARSONS, T. Events in the Semantics of English: A Study in Subatomic Semantics. Cambridge, Mass.: The MIT Press., 1990.

PEREIRA, A.L. Os pronomes clíticos do PB contemporâneo na perspectiva teórica da Morfologia Distribuída. 2006. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

PESETSKY, D. Zero Syntax – Experiencers and Cascades. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1995.

PYLKKÄNEN, L. Causation and external arguments. MIT Working Papers in Linguistics, v. 35, p.161-183, 1999.

PYLKKÄNEN, L. Introducing Arguments. 2002. Tese (Doutorado) – MIT, 2002.

RAMCHAND, G. Verb Meaning and the Lexicon: A First Phase Syntax. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

RIZZI, L. Null objects in Italian and the theory of pro. Linguistic Inquiry, 17, p. 501-557, 1986.

SCHER, A. P.; MEDEIROS, A. B.; MINUSSI, R. D. Estrutura Argumental em Morfologia Distribuída. In: NAVES, R. R.; SALLES, H. M. L. (Org.). Estudos Formais da Gramática das Línguas Naturais. Goiânia: Cânone Editorial, 2012. p. 175-198.

SCHER, A. P. Nominalizações em –ada em Construções com o Verbo Leve dar em Português Brasileiro. Letras de Hoje, v. 41, nº 1. p.29-48, 2006.

SCHER, A. P. As Construções com o Verbo Leve dar e as Nominalizações em –ada no Português do Brasil. 2004. Tese (Doutorado) – UNICAMP, Campinas.

SPENCER, A. Morphological Theory. Londres: Blackwell, 1993.

STOWELL, T. Elements of Phrase Structure. 1981. Tese (Doutorado) – MIT, 1981.

TENNY, C. The Aspectual Interface Hypothesis. In: SAG, I. A.; SZABOLCSI, A. (Ed.). Lexical Matters. Stanford: Standford University, 1992. p. 1-27.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.20.2.141-182

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c)



e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)