Aspectos da pesquisa sobre tipologia textual

Luiz Carlos Travaglia

Abstract


Este artigo chama a atenção dos pesquisadores sobre tipologiatextual, na área da Linguística Textual, sobre aspectos que sãoimportantes para que estas pesquisas gerem conclusões egeneralizações mais confiáveis. Os pontos comentados são: a) anecessidade de uma teoria tipológica geral de textos que inclusivedetermine se as categorias de texto são todas da mesma natureza. Oautor propõe uma teoria geral; b) a necessidade de estudos maishorizontalizados ou amplos que estabeleçam campos de pesquisa ede estudos mais verticalizados, que aprofundam o conhecimentode pontos específicos; c) os aspectos metodológicos para superarproblemas no levantamento das categorias de texto existentes emuma sociedade e cultura, em suas diversas comunidades discursivase esferas de ação social; d) a questão dos parâmetros e critérios paraconsiderar uma categoria de texto como sendo uma categoria e seela é de determinada natureza; e) a questão dos critérios e parâmetrospara a caracterização das categorias de texto; f ) a necessidade deestudar as diversas relações de diferentes tipos que podem ocorrerentre as categorias de texto (de diferentes naturezas), tanto em suacomposição quanto em seu funcionamento sociodiscursivo; e g) aatenção que merece a questão teminológica.

Keywords


Tipologia textual; Pesquisa; Tipos; Subtipos; Gêneros; Espécies.

References


ADAM, Jean Michel. Les textes: types et prototypes – Récit, description, argumentation, explication et dialogue. Paris: Nathan, 1993.

ANDRADE, Valdete Aparecida Borges. Modalização em artigos científicos na área de Linguística. 2010. 150f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – ILEEL/Universidade Federal de Uberlândia, 2010.

ARANTES, Marilza Borges. A argumentação nos gêneros fábula, parábola e apólogo. 2006. 170f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – ILEEL/Universidade Federal de Uberlândia, 2006.

ARANTES, Marilza Borges. Apólogos, fábulas e parábolas: confluências e divergências. In: TRAVAGLIA, Luiz Carlos; FINOTTI, Luisa Helena Borges; MESQUITA, Elisete Maria Carvalho de (Org.). Gêneros de texto: caracterização e ensino. Uberlândia: EDUFU, 2008.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BAZERMAN, Charles. Gêneros textuais, tipificação e interação. Organizado por Ângela Paiva Dionísio e Judith Chambliss Hoffnagel. Traduzido e adaptado por Judith Chambliss Hoffnagel. São Paulo: Cortez, 2005.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividades de linguagem, textos e discursos – Por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo: EDUC, 2003.

CARDOSO, Solange A. Faria. O diário-de-obras no sistema de gêneros da Engenharia Civil.: Revista SELL: Simpósio Internacional de Estudos Línguísticos e Literários da UFTM, v. 2, n. 2, 2010, Uberaba, 16 p. Disponível em: http://www.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/sell/ article/view/33. Acesso em: 16 jul. 2012.

DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard e colaboradores. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita – Elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004.

FÁVERO, Leonor Lopes; KOCH, Ingedore G. V. Linguística textual: introdução. São Paulo: Cortez, 1983.

FÁVERO, Leonor Lopes; KOCH, Ingedore G. V. Contribuição a uma tipologia textual. Letras & Letras, Uberlândia, Departamento de Letras/UFU, v. 3, n. 1, p.3-10, jun. 1987.

FERREIRA, Simone Cristina Salviano. A crônica: problemáticas em torno de um gênero. 2005. 207f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Universidade Federal de Uberlândia, 2005.

GUIMARÃES, Eduardo. Os limites do sentido. Campinas, SP: Pontes, 1995.

LELLIS, Lélio Maximino. O texto nos acórdãos dos tribunais. 2008. 295f. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2008.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas, 2006.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora (Org.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro, Lucerna, 2002. p. 19-36.

MELO, Carolina Santos. Tipos de textos empregados com função de argumento na dissertação argumentativa. 2005. 177f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – ILEEL/Universidade Federal de Uberlândia, 2005.

NEPOMUCENO, Terezinha. Sob a ótica dos quadrinhos: uma proposta textual-discursiva para o gênero tira. 2005. 143f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) - Universidade Federal de Uberlândia, 2005.

PARREIRA, Míriam Silveira. Um estudo do uso de operadores argumentativos no gênero editorial de jornal. 2006. 223f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) - Universidade Federal de Uberlândia/ ILEEL, 2006.

PARREIRA, Míriam Silveira. Operadores argumentativos e técnicas de argumentação em editoriais de jornal. In: TRAVAGLIA, Luiz Carlos; FINOTTI, Luisa Helena Borges; MESQUITA, Elisete Maria Carvalho de (Org.). Gêneros de texto: caracterização e ensino. Uberlândia: EDUFU, 2008.

PIMENTA, Viviane Raposo. Textos forenses: um estudo de seus gêneros textuais e sua relevância para o gênero “sentença”. 2007. 192 + 237f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) - ILEEL / Universidade Federal de Uberlândia, 2007.

SILVA, Pollyanna Honorata. Os gêneros jornalísticos e as várias faces da notícia. 2007. 225 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) - ILEEL/Universidade Federal de Uberlândia, 2007.

SIMONIN-GRUMBACH, Jenny. Para uma tipologia dos discursos. In: Língua, Discurso, Sociedade. São Paulo: Global, 1983.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Da distinção entre tipos, gêneros e subtipos de textos. Estudos Lingüísticos, Marília, SP, n. XXX, Revista em CD-ROM, Artigo 200, 6 p. Grupo de Estudos Lingüísticos do Estado de São Paulo / Fundação de Ensino “Eurípedes Soares da Rocha, 2001. Disponível em: www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gêneros de texto definidos por atos de fala. In: ZANDWAIS, Ana (Org.). Relações entre pragmática e enunciação. Porto Alegre: Sagra Luzzato, 2002. p. 129-153. (Coleção Ensaios - nº17) Disponível em: www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Tipologias textuais literárias e lingüísticas. SCRIPTA, Belo Horizonte: CESPUC / Editora PUC-MG, v. 7, n. 14, p. 146-158, 2004. Disponível em: www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Tipelementos e a construção de uma teoria tipológica geral de textos. In: FÁVERO, Leonor Lopes; BASTOS, Neusa M. de O. Barbosa; MARQUESI, Sueli Cristina (Org.). Língua Portuguesa pesquisa e ensino. V. II. São Paulo: EDUC/FAPESP, 2007. p. 97-117. Disponível em: www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A caracterização de categorias de texto: tipos, gêneros e espécies. ALFA, São Paulo, v. 51 n. 1, p. 39-79. 2007a. Disponível em: http://www.alfa.ibilce.unesp.br/download/v51-1/03-Travaglia.pdf.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Das relações possíveis entre tipos na composição de gêneros. Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais, 4º, organizadores: Adair Bonini, Débora de Carvalho Figueiredo, Fábio José Rauen. Anais... Tubarão: UNISUL, 2007b. p. 1297-1306. Disponível em: www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Horizontalização e verticalização na pesquisa linguística – dois casos: a classificação e a caracterização de textos e a gramaticalização de verbos. Desenredo - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, UPF, v. 4, n.2, p. 212-240, jul./dez. 2008. ISSN 1808-656X. Disponível em: www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Sobre a possível existência de subtipos. Congresso Internacional da ABRALIN, VI, organizador: Dermeval da Hora. Anais... v. 2, n. 2. João Pessoa: ABRALIN/ UFPB, 2009. p. 2632-2641. Disponível em: www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Alguns gêneros militares. Simpósio Nacional, XIII / Internacional de Letras e Linguística, III. Anais... Uberlândia: EDUFU, 2011. 14 p. ISSN: 2237-6607. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosilel/pt/default.asp; www.ileel.ufu.br/travaglia.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Esferas de ação social e comunidades discursivas: conceitos superpostos, mas distintos. In: BASTOS, Neusa Barbosa (Org.). Língua Portuguesa: aspectos linguísticos, culturais e identitários. São Paulo: EDUC, 2012. p. 75-90.

VANOYE, Francis. Usos da linguagem – problemas e técnicas na produção oral e escrita. Tradução e adaptação de Clarisse Madureira Sabóia et al. São Paulo: Martins Fontes, 1982.

WEINRICH, Harald. Estructura y función de los tiempos en el lenguaje. Madrid: Gredos, 1968

WERLICH, E. Typologie der texte. Heidelberg: Quelle & Meyer, 1975.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.20.2.361-387

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c)



e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)