A construção da imagem do escravo em ações de liberdade na comarca do Rio das Mortes no século XIX

Carla Leila Oliveira Campos, Cristiano Lima Silva, Roberto Rômulo Braga Tavares

Abstract


Este trabalho se insere no quadro teórico da Análise do Discurso e objetiva analisar o papel das unidades lexicais na construção da imagem do escravo em ações de liberdade e de manutenção de liberdade do século XIX na Comarca do Rio das Mortes. Analisamos dois processos: Anna Crioula (1838) e Ritta Guilhermina de Jesus(1863). Nessas análises, observamos o papel da formação discursiva escravocrata na construção da imagem do negro e as possibilidades de novos sentidos quando essa formação discursiva é posta em relação com seu exterior.

Keywords


ações de liberdade; discurso jurídico; imagem do negro; léxico e história

References


ARQUIVO DO IPHAN de São João del-Rei, cópia da Ação de Liberdade de Anna Crioula (1838), caixa n. 001.

ARQUIVO DO IPHAN de São João del-Rei, cópia da Ação de Ritta Guilhermina de Jesus (1863), caixa n. 001.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Contribuições de Bakhtin às teorias do discurso. In: BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. Campinas: Ed. UNICAMP, 1997. p. 27-36.

BELLINI, Ligia. Por amor e por interesse: a relação senhor-escravo em cartas de alforria. In: REIS, João José (Org.). Escravidão e invenção da liberdade: estudos sobre o negro no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BRANDÃO, Helena H. Nagamine. Introdução à Análise do Discurso. Campinas: Ed. UNICAMP, 1993.

BROOKSHAW, David. Literatura abolicionista: a criação do estereótipo. In: BROOKSHAW, David. Raça e Cor na Literatura Brasileira. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1983.

CAMPOS, Carla Leila Oliveira; SILVA, Cristiano Lima da; OLIVEIRA, Sabrina Marcília. O papel argumentativo dos valores em ações de liberdade do século XIX na comarca do Rio das Mortes. Vertentes, n. 34, p. 158-169, jul./dez. 2009.

CHALHOUB, Sidney. Visões da liberdade: Uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis Historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Sobre os silêncios da lei: lei costumeira e positiva nas alforrias de escravos no Brasil do século XIX. Revista Mexicana de Sociologia, ano XLVI, v. XLVI, n. 2, p. 45-59, abr./jun. 1984.

DE NARDI, Fabiele Stockmans. Entre a lembrança e o esquecimento: os trabalhos da memória na relação com língua e discurso. Organon,v. 17, n. 35, p. 65- 83, 2003.

FOUCAULT, Michel. L’Archéologie du Savoir. Paris: Gallimard, 1969.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo: Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. As regularidades discursivas. In: ______. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense, 1997. p. 21-85.

GRAÇA FILHO, Afonso de Alencastro. A Princesa do Oeste e o Mito da Decadência de Minas Gerais: São João del-Rei (1830-1888). São Paulo: Annablume, 2002.

GRINBERG, Keila. Liberata – a lei da ambiguidade: as ações de liberdade da Corte de Apelação do Rio de Janeiro no século XIX. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos discursos. Curitiba: Criar, 2007.

MAINGUENEAU, Dominique. Novas tendências em análise do discurso. Campinas: Pontes/Ed. da UNICAMP, 1997.

MALHEIRO, Perdigão. A Escravidão no Brasil: Ensaio Histórico, Jurídico, Social. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1976.

MATTOSO, Kátia M. de Queirós. Ser escravo no Brasil. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990.

MOURA, Clóvis. Dicionário da escravidão negra no Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. A boa nova da memória anunciada: o discurso fundador da afirmação do negro no Brasil. In: ______. (Org.). Discurso Fundador: a formação do país e a construção da identidade nacional. Campinas: Pontes, 2001. p. 59-68.

PAIVA, Eduardo França. Escravos e libertos nas Minas Gerais do século XVIII: estratégias de resistência através dos testamentos. São Paulo: Annablume, 1995.

PAIVA, Eduardo França. Pelo justo valor e pelo amor de Deus: as alforrias nas minas. In: Seminário sobre a Economia Mineira, 9, Diamantina, 2000. Anais. v. 1. Diamantina: CEDEPLAR/UFMG, 2000.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Unicamp, 1975.

POSSENTI, Sírio. Teoria do Discurso: um caso de múltiplas rupturas. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina. (Org.). Introdução à Lingüística 3: fundamentos epistemológicos. São Paulo: Cortez, 2007. p. 353-392.

RIBEIRO, Núbia Braga. Cotidiano e liberdade: um estudo sobre os alforriados em Minas Gerais no século XVIII. 1998. 79 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

SLENES, Robert W. Escravos, cartórios e desburocratização: o que Rui Barbosa não queimou será destruído agora? Produção e Transgressões: Revista Brasileira de História (ANPUH), v. 5, n. 10, p. 166-196, mar.-ago. 1985.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.21.2.217-243

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c)



e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)