Extensão para a educação: a experiência de capacitação a distância do Espaço do Produtor

João Batista Mota, Silvane Guimarães Silva Gomes, Estela da Silva Leonardo

Resumo


RESUMO: Este artigo apresenta e analisa os resultados da experiência do site Espaço do Produtor, desenvolvido e mantido pela Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância (CEAD) da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Para isso, associaram-se os resultados coletados por pesquisa realizada com os usuários em 2012 a uma revisão literária sobre o tema, particularmente sobre os cursos online oferecidos pelo site. Neles, são utilizados recursos das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), a fim de estimular o autoaprendizado do usuário, dentre outras particularidades da Educação a Distância (EaD). Ao mesmo tempo, pretende-se confirmar a viabilidade técnica e institucional de se desenvolver um site para a realização de atividades de extensão de universidades públicas, fundamentando-as com dados e depoimentos da pesquisa. Entre os empecilhos para o desenvolvimento de atividades e projetos de extensão estão o alto custo e a falta de estímulo para participação de pesquisadores e de alunos. Conclui-se que, com o site, é possível alcançar um grande público, que muitas vezes, por condições geográficas ou falta de tempo, não poderia se dedicar a um curso presencial ou a distância. Além disso, o usuário consegue se aprofundar no assunto, que tem grande importância para a sua tomada de decisões presentes ou futuras na vida profissional e no dia a dia.

PALAVRAS-CHAVE: cursos livres; educação a distância; espaço do produtor; extensão.

 

ABSTRACT: This article presents and analyzes the results of the experience related to Espaço do produtor’s website (Producer space, in free translation), developed and maintained by Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância (Cead), from Universidade Federal de Viçosa (UFV). For this purpose, we associated the results acquired by researches made with the website users in 2012, and a literature review about the theme, particularly about the online courses offered by the website. In those courses, the information and communication technologies (TIC) were used to stimulate users’ self-learning, among others e-learning particularities. At the same time, we intend to confirm the technical and institutional viability to develop a website to promote extension activities in education public institutions, grounding them with the help of data and research testimonials. Among the obstacles for the development of activities and extension projects, we found the high costs and the lack of incentive for researches and students’ participation. We conclude that it is possible to reach a large audience, that often, due to geographic condition or lack of time, could not dedicate to a classroom or distance course. Besides that, the user can go further in the matter, which has big importance for his decisions, in the present or future, for the professional or everyday life.

KEYWORDS: free courses; distance learning; Espaço do produtor; extension.


Palavras-chave


cursos livres; educação a distância; espaço do produtor; extensão.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Decreto-lei n. 19.850 de 11 de abril de 1931. Cria o Conselho Nacional de Educação. Brasília, 1931. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19851-11-abril-1931-505837-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 12 jul. 2016

BRASIL. Ministério da Educação. Referenciais de qualidade em EAD. Brasília: MEC, Secretaria de Educação a Distância. 2007.

BRASIL. Senado Federal. Lei n, 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 12 jul. 2016.

BROOK, D. O tsunami provocado pela internet nas universidades. Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo, 7 maio 2012. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/509241-o-tsunami-provocado-pela-internet-nas-universidades. Acesso em: 12 jul. 2016.

CAMPOS, J. P. Avaliação e projeto de interfaces humano-computador do PVANet II. 2007. Monografia (Bacharelado em Ciência da Computação) – Universidade Federal de Viçosa, 2007.

CASTELLS, M. A. A sociedade em rede: do conhecimento à ação política. Lisboa: Imprensa Nacional, Casa da Moeda, 2005.

CENSO EaD.BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2012. Curitiba: Ibpex, 2013. Disponível em: http://www.abed.org.br/censoead/censoEAD.BR_2012_pt.pdf. Acesso em: 25 mar. 2014.

CHERMANN, M.; BONINI, L. M. Educação a Distância. Novas tecnologias em ambientes de aprendizagem pela Internet. Mogi das Cruzes, SP: Universidade Braz Cubas, 2000.

CORREA, E. J. Institucionalização da extensão nas universidades públicas brasileiras: estudo comparativo 1993/2004. Belo Horizonte: Coopmed, 2007.

CSEH, M. et al. Re-conceptualizing Marsick and Watkins' model of informal and incidental learning in the workplace. Proceedings of the 1999 Conference of the Academy of Human Resource Development, 1999 apud FLACH, L.; ANTONELLO, C. S. A teoria sobre aprendizagem informal e suas implicações nas organizações. Revista Gestão, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 193-208, maio/ago. 2010.

ENES, T. Arquivo Histórico da Universidade Federal de Viçosa: subsídios e perspectivas para a história da educação superior no Brasil do século XX. In: CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 6., Uberlândia, 2006. Anais... Uberlândia: Editora da UFU, 2006. 1 CD-ROM. p. 5108-5116.

ESPAÇO do Produtor. 2011. Disponível em: https://www2.cead.ufv.br/espacoProdutor/scripts/inicio.php. Acesso em: 23 jun. 2016.

FLACH, L.; ANTONELLO, C. S. A teoria sobre aprendizagem informal e suas implicações nas organizações. Revista Gestão, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 193-208. maio/ago. 2010.

FREIRE, R. B. Repensando a extensão universitária. Participação, Brasília, n. 7, p. 12-15, 2000.

FURTER, P. O planejador e a educação permanente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 27, p. 73-99, 1978. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1731/. Acesso em: 30 jul. 2015.

KUNSCH, M. M. K. Universidade e comunicação na edificação da sociedade. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

MORAN, J. Novas tecnologias e o re-encantamento do mundo. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v. 23, n.126, p. 24-26, set.-out. 1995.

PUNIE, Y. et al. A review of the impact of ICT on learning: working paper prepared for DG EAC, October 2006. Luxemburg: European Commission, Joint Research Centre, Institute for Prospective Technological Studies, 2008. Disponível em: http://www.jrc.ec.europa.eu/. Acesso em: 24 jun. 2016.

SANTOS, B. S. Plano Nacional de Extensão Universitária: 2000/2001. Disponível em: http://www.portal.ufpa.br/docsege/Planonacionaldeextensaouniversitaria.pdf. Acesso em: 12 jul. 2016.

SILVA, M. G. M.; SPELLER, P. Extensão universitária: qual o seu lugar no contexto da universidade? apud TORRES, A. F. B. Análise e sistematização das proposições sobre a extensão universitária brasileira. 2003. 223 f. Dissertação (Mestrado em Extensão Rural) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG.

SILVA, U. M. da. Extensão universitária: a interação do conhecimento na Semana do Fazendeiro – UFV. Viçosa: UFV, 1995.

TORI, R. A distância que aproxima. Revista de Educação a Distância, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 1-7, 2002. Disponível em: http://www.abed.org.br. Acesso em: 10 jun. 2015.

TORRES, A. F. B. Análise e sistematização das proposições sobre a extensão universitária brasileira. 2003. 223 f. Dissertação (Mestrado em Extensão Rural) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Pró-reitoria de Planejamento e Orçamento. Relatório de atividades 2010. Viçosa, MG: Divisão de Gráfica Universitária, 2010. Relatório.

VEEN, W.; VRAKKING, B. Homo zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.9.1.160-172

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.