Uma pesquisa-ação no ensino-aprendizagem da língua inglesa para crianças com uso de tecnologias digitais / An action research in english language teaching and learning for children with use of digital technologies

Maria Carolina Coelho Chimenti, Heloísa Andreia de Matos Lins

Resumo


RESUMO: O presente artigo baseia-se numa pesquisa de campo que objetivou oferecer subsídios pedagógicos à utilização de tecnologias digitais no processo de ensino-aprendizagem da língua inglesa, em duas turmas de 5º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública municipal em Campinas, São Paulo, Brasil. Com base na perspectiva da pedagogia da infância, que concebe a criança como protagonista e também (re)produtora de conhecimentos, foram realizadas atividades com vídeos do YouTube, jogos online, músicas, entre outros objetos de aprendizagem. Da mesma forma, observações, entrevistas e questionários foram feitos com as professoras e os alunos envolvidos na pesquisa. Com base nessa pesquisa-ação, foram analisados aspectos referentes às contribuições de alguns recursos digitais no ensino e na aprendizagem da língua inglesa no Ensino Fundamental (ciclo I) e obtiveram-se dados que permitiram conhecer: a importância da aprendizagem na infância de um idioma estrangeiro nos dias atuais, principalmente o inglês, e de que forma as tecnologias digitais podem tornar o aprendizado mais contextualizado, significativo, motivando as crianças para a aprendizagem do idioma, num cenário em que possam ser (cri)ativas.

PALAVRAS-CHAVE: língua inglesa; tecnologias na educação; ensino de línguas; aprendizagem; infância.

 

ABSTRACT: The present article is based on a field research that aimed to provide educational subsidies for the use of digital technologies in teaching and learning process of English language, in two classes of the fifth grade from the elementary school, at the public school located in Campinas, São Paulo, Brazil. Based on the perspective of childhood pedagogy, which conceives the child as the protagonist and also (re)productive of knowledge, activities were carried with YouTube videos, online games, music, and many other learning objects. Likewise, observations, interviews and questionnaires were made with teachers and students involved in the research. Based on the action research, we analyzed aspects related to the contribution of some digital resources in teaching and learning of English at elementary school and we obtained many elements that allowed us to know the importance of learning a foreign language in the childhood nowadays, mainly English, and how new technologies can make learning more contextualized, meaningful, motivating children for language learning in a context in which they can be (cri)ative.

KEYWORDS: English language; technology in education; language teaching; learning; childhood.


Palavras-chave


língua inglesa; tecnologias na educação; ensino de línguas; aprendizagem; infância.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, W. M. J. e OZELLA, S. Núcleos de significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 26 n. 2, p. 55-57, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pcp/v26n2/v26n2a06.pdf. Acesso em: 14 nov. 2016.

ALVARENGA, C. E. A. Autoeficácia de professores para utilizarem tecnologias de informática no ensino. 195f. Tese de Doutorado (em Psicologia Educacional) – Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2011. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000789633&fd=y. Acesso em: 14 nov. 2016.

AUDINO, D. F.; NASCIMENTO, R. S. Objetos de aprendizagem – Diálogo entre conceitos e uma nova proposição aplicada à educação. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, jul/dez 2010. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/1620/1468. Acesso em: 14 nov. 2016.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais – terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental MEC, 1998.

BROUGÈRE, G. Brinquedo e cultura. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2014. (Coleção questões da nossa época; v. 20).

BUCKINGHAM, D. Crescer na era das mídias eletrônicas. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

CAMARGO L. S. A.; VIDOTTI, S. A. B. G. Uma estratégia de avaliação em repositórios digitais. In: XV Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, São Paulo, 2008, Anais do XV SNBU 2008, São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.sbu.unicamp.br/snbu2008/anais/site/pdfs/3560.pdf. Acesso em: 14 nov. 2016.

CAMERON, L. Teaching English to Young Learners. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

CAMERON, L. Challenges for ELT from the expansion in teaching children. ELT Journal, v. 57/2, p. 105-112, April 2003. Disponível em: http://eltj.oxfordjournals.org/content/57/2/105.abstract. Acesso em: 14 nov. 2016.

CETIC. Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação. Relatório TIC educação. 2011. Disponível em: http://cetic.br/media/docs/publicacoes/2/ticeducacao-2011.pdf. Acesso em: 24 fev. 2013.

CHIMENTI, M. C. C. Contribuições das Novas Tecnologias para o ensino-aprendizagem de Inglês nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Trabalho de Conclusão de Curso – Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2012. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/alle/pdf/TCC-MariaChimenti.pdf. Acesso em: 03 out. 2016.

FERREIRA, J. F. The effects of Role-play tasks on EFL learners’ oral fluency. 198 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/91558. Acesso em: 14 nov. 2016.

FIGUEIRA. C. D. S. Crianças alfabetizadas aprendendo língua estrangeira. In: ROCHA, C. H.; BASSO, E. A. (Orgs.). Ensinar e aprender língua estrangeira nas diferentes idades: reflexões para professores e formadores. São Carlos: Claraluz, 2008, p. 35-62.

FOLHA DE SÃO PAULO. Entenda o que é Web 2.0. [online]. 10 jun. 2006. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u20173.shtml. Acesso em: 10 ago. 2012.

FREIRE, W.; AMORA, D.; SANTOS, E.O.; LEITE, L. S.; SILVA, M.; FILÉ, V. Tecnologia e Educação. As mídias na prática docente. Rio de Janeiro: Ed. Walk, 2011.

JUNQUEIRA, E. O problema da implantação das tecnologias digitais nas escolas e as identidades profissionais dos professores: uma análise sócio-histórica. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 13, n. 30, p. 1-14, 2012. Disponível em: http://www.periodicos.proped.pro.br/index.php?journal=revistateias&page=issue&op=current. Acesso em: 24 mar. 2013.

LEITE, S. A. S. Afetividade e práticas pedagógicas. São Paulo: Casa do psicólogo, 2006.

LINS, H. A. M. Os blogs, as novas tecnologias e as práticas pedagógicas: questões socioculturais, políticas e de formação docente. Instrumento: Revista de Estudo e Pesquisa em Educação, Juiz de Fora, v. 13, n. 2, p. 35-42, jul./dez. 2011.

LINS, H. A. M. Dimensões afetivas em docentes frente às novas tecnologias na sala de aula: alfabetização e letramento de crianças ouvintes e surdas em foco. X Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e VII Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online. Belo Horizonte (online). 2013. II Anais do Evidosol/Ciltec-online, Belo Horizonte: UFMG, v. 2, n. 1, p. 1-6. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/anais_linguagem_tecnologia/article/view/4772. Acesso em: 12 ago. 2013.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 1986.

MARCONDES FILHO, C. Esquecer Peirce?: Dificuldades de uma teoria da comunicação que se apoia no modelo lógico e na religião. Parte II. Galáxia [online], São Paulo, v. 13, n. 25, p. 38-51, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/gal/v13n25/v13n25a04.pdf. Acesso em: 24 jul 2015.

NASCIMENTO, M. A. G; SILVA, C. N. M. Rodas de conversa e oficinas temáticas: Experiências Metodológicas de Ensino-Aprendizagem em Geografia. 10º Encontro Nacional de Prática de Ensino em Geografia (ENPEG). Porto Alegre, ago./set. 2009. Anais… Porto Alegre, s/n, 2009.

PAIVA, V. L. M. O. A www e o ensino de Inglês. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 93-116, 2001.

PEREIRA, A. Ambientes Virtuais de Aprendizagem: em diferentes contextos. Rio de Janeiro: Ciência Moderna Ltda, 2007.

ROCHA, C. H. Provisões para ensinar LE no Ensino Fundamental de 1° a 4° séries: Dos parâmetros oficiais e objetivos dos agentes. Dissertação de mestrado em linguística aplicada. Campinas – IEL/Unicamp, 2007.

ROCHA, C. H e BASSO, E. A. Ensinar e aprender língua estrangeira nas diferentes idades. Reflexões para professores e formadores. São Carlos – SP: Ed. Claraluz Ltda, 2008.

SCARAMUCCI, M. V.; COSTA, L. P.; ROCHA, C. H. A avaliação no ensino-aprendizagem de línguas para crianças: conceitos e práticas. In: ROCHA, C. H.; BASSO, E. A. (Orgs.) Ensinar e aprender língua estrangeira nas diferentes idades: reflexões para professores e formadores. São Carlos: Claraluz. 2008, p. 85-114.

SILVEIRA, R. M. H. A entrevista na pesquisa em educação – uma arena de significados. In: COSTA, M. V.; VEIGA-NETO, A. et. al. (Orgs.). Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2002, p. 119-141.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez Editora, 1995.

UNESCO/SITEAL. Informe sobre tendencias sociales y educativas em América Latina: Políticas TIC em los sistemas educativos de América Latina. 2014. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002300/230080s.pdf. Acesso em: 15 jul 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.9.2.128-147

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.