Material didático digital: nova forma de o aluno surdo “ler” e “interagir” com os conteúdos educacionais? / Digital teaching material: a new way for deaf students to “read” and “interact” with educational content?

Dayse Garcia Miranda

Resumo


RESUMO: O presente artigo se predispõe a discutir a elaboração de material didático acessível e/ou adaptado a alunos surdos, apoiando-se no argumento de que o contexto educacional contemporâneo é marcado pela diversidade e flexibilidade, como também pela necessidade de atender às diferentes demandas de ordens linguísticas, culturais, sociais e regionais. Nesse sentido, para considerar a escola como “espaço para todos”, deve-se orientar pela ideia de que as ações educativas inclusivas têm como eixos o convívio com as diferenças, a aprendizagem como experiência relacional e a interação que produz sentido para o aluno, pois é essa interação que contempla a sua subjetividade. Assim, pretende-se refletir quanto à produção de material e ações educativas para alunos surdos, nomeados recursos didático-pedagógicos, tendo como base teórica Batista (2009), Bunzen; Rojo (2005), Coscarelli (1996), Costa; Paes de Barros (2012), Lacerda; Lodi (2009), Natividade; Pimenta (2009) e Skliar (1999), entre outros.

PALAVRAS-CHAVE: material didático digital; surdos; educação inclusiva.

 

ABSTRACT:This paper aims at discussing the elaboration of teaching materials accessible and/or adapted for deaf students, what is supported by the concept of the contemporary educational context as diverse and flexible and by the need to meet the different demands at linguistic, cultural, social and regional levels. In this sense, in order to consider the school as a “space for all”, we must apply the idea that inclusive educational actions are mainly based on socializing regardless of the differences, learning as a relational experience, and interacting as a meaning production mechanism, since this interaction contemplates students’ subjectivity. Thus, the intention of this work is to think about educational actions and material production for deaf students that are named didactic-pedagogical resources, what is theoretically based on the works of Batista (2009), Bunzen; Rojo (2005), Coscarelli (1996), Costa; Paes de Barros (2012), Lacerda; Lodi (2009), Natividade; Pimenta (2009) and Skliar (1999) and others.

KEYWORDS: digital teaching materials; deaf people; inclusive education.


Palavras-chave


material didático digital; surdos; educação inclusiva.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, M. L. C. Estilos de Interação Web de Navegação e Ajuda Contextual para Usuários Surdos em Plataformas de Gestão da Aprendizagem. 2012. 124f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação). Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, 2012.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Hucitec, 2002.

BASSO, I. M. S. Mídia e educação de surdos: transformações reais ou uma nova utopia? Ponto de Vista, Florianópolis, n. 5, p. 113-128, 2003. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/pontodevista/article/view/1247. Acesso em: 14 nov. 2016.

BATISTA, A. A. O conceito do livro didático. In. BATISTA, A. M. de O.; GALVÃO, A. A. G.. Livros Escolares de Leitura no Brasil – elementos para uma história. Campinas: Mercado de Letras, 2009, p. 41-73.

BRAIT, B.; MELO, R. Enunciado/enunciado concreto/enunciação. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: Conceitos-Chave. São Paulo: Editora Contexto, 2007.

BUNZEN, C.; R. ROJO. Livro didático de língua portuguesa como gênero do discurso: autoria e estilo, In: COSTA VAL, M. G.; MARCUSCHI, V. B. (Orgs.). Livros didáticos de língua portuguesa: letramento, inclusão e cidadania. Belo Horizonte: Ceale/Autêntica, 2005, p. 73-117.

CARNEIRO, B.; NUNES, E. Estratégias de Tradução do Português Escrito para a Libras: uma proposta de atuação para o intérprete educacional. Revista Virtual de Cultura Surda, Petrópolis, EAA-Editora Arara Azul Ltda. Edição nº 11, jun. 2013.

COSCARELLI, C. V. Leitura em ambiente multimídia e a produção de inferências. In: GUIMARÃES, A. M. (Ed.). Anais do VII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Belo Horizonte: DCC/UFMG, p. 449-456, nov. 1996.

COSTA, E. P. M.; PAES DE BARROS, C. G. Os gêneros multimodais em livros didáticos: formação para o letramento visual? Bakhtiniana. Revista de Estudos do Discurso, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 38-56, dez. 2012. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/bakhtiniana/article/view/10605/9323. Acesso em: 14 nov. 2016.

FISCARELLI, R. B. O Material didático: discurso e saberes. Araraquara: Junqueira e Marins Editora, 2008.

FOURQUIN, J-C. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Tradução de Guacira Lopes Louro. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FREIRE, F. M. F. Surdez e Tecnologia de Informação e Comunicação. In: SILVA, I., KAUCHAKJE, S. E GESUELI, Z. (Orgs.). Cidadania, surdez e linguagem: Desafios e realidades. São Paulo: Editora Plexus, 2003, p. 119-218.

LACERDA, C. B. F.; LODI, A. C. B. A inclusão escolar bilíngue de alunos surdos: princípios, breve histórico e perspectivas. Uma escola, duas línguas. Porto Alegre: Editora Mediação, 2009.

LINS, H. A. M. TDICs e os processos de alfabetização e letramento de crianças surdas e ouvintes: Formação de professores. IX Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e VI Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online. Belo Horizonte (online). 2012. I Anais do Evidosol/Ciltec-online, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, 2012. Disponível em http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/anais_linguagem_tecnologia/article/view/1945. Acesso em: 14 nov. 2016.

MIRANDA, D. G. As Mediações Linguísticas do Intérprete de Língua de Sinais na Sala de aula Inclusiva. 2010. 194f. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2010.

NATIVIDADE, C.; PIMENTA, S. A Semiótica Social e a Multimodalidade. In: LIMA, C. H. P.; PIMENTA, S. M. O.; AZEVEDO, A. M. T. Incursões Semióticas: Teoria e Práticas de Gramatica Sistêmico-Funcional, Multimodalidade, Semiótica Social e Análise Crítica do Discurso. Rio de Janeiro: Editora Livre Expressão, 2009, p. 21-29.

PINHEIRO, M. P. Livro didático de Língua Portuguesa: tecnologia a serviço de que. In: RIBEIRO, A. E.; COURA-SOBRINHO, J.; VILLELA, A. M. N.; SILVA R. B. (Orgs.). Leitura e Escrita em Movimento. São Paulo: Peirópolis, 2010, p. 147-156.

RAMOS, C. Livro Didático Digital em Libras: Uma Proposta de Inclusão para Estudantes Surdos. Revista Virtual de Cultura Surda, Petrópolis, n. 11, jul. 2013. Disponível em: http://editora-arara-azul.com.br/site/admin/ckfinder/userfiles/files/1)%20Ramos%20REVISTA%2011.pdf. Acesso em: 14 nov. 2016.

ROSA, A. A. C. O desafio de se ensinar português para falantes de outras línguas: Analise linguístico-discursivo de um livro didático para o ensino de PLE. Anais do SIELP. Uberlândia: EDUFU, v. 2, n. 1, s/n, 2012.

SANTOS, E. R. O Ensino de Língua Portuguesa para Surdos: Uma Analise de Estrategias e Materiais Didáticos. Anais do SIELP. Uberlândia: EDUFU, v. 2, n. 1, 2012.

SILVA, I. R.; NOGUEIRA, A. S.; HILBEBRAND, H. R.; KUMADA, K. M. O. O uso de jogos no processo ensino-aprendizagem de surdos. In: VALLE, L. R.; MATOS, M. J. V. M.; COSTA, J. C. Educação Digital: a tecnologia a favor da inclusão. PO: Penso, 2013, p. 213-238.

SKLIAR, C. (Org.). Atualidade da Educação Bilíngue para Surdos. Porto Alegre: Mediação, v. 2. 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.9.2.185-198

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.