Considerações sobre educação de surdos e tecnologias a partir da análise das estratégias de ensino de um professor surdo / Considerations about deaf education and technologies by the teaching strategies analysis of a deaf professor

Aryane Nogueira, Janaina Cabello

Resumo


RESUMO:Pretendemos neste trabalho tecer algumas considerações acerca das possibilidades das tecnologias para a educação de surdos a partir da análise de registros gerados por meio de gravação em vídeo e observação de situações em que um professor surdo promove a construção de conhecimentos na Língua Portuguesa escrita por parte de um grupo de crianças surdas, entre 7 e 11 anos de idade e em processo de apropriação do português escrito. As observações foram realizadas durante aulas ministradas em Libras, oferecidas em uma instituição no interior do estado de São Paulo. Trata-se de um trabalho de cunho qualitativo, norteado pela perspectiva bilíngue na educação de surdos e os estudos nas perspectivas interlocutiva e histórico-cultural. Ao destacar algumas formas pelas quais o professor estabeleceu relações com um material digital e propôs o andamento de sua aula, buscamos evidenciar a complexidade dessas relações e problematizar o fato de que, na situação de ensino observada, tal como relatado em outros estudos, as tecnologias em si mesmas não instituíram novas formas de fazer ou pensar a partir apenas de sua presença, no mesmo sentido em que somente a apresentação de determinados recursos linguísticos ou semióticos não oportunizaram o aprendizado automático pelos surdos.

 

ABSTRACT:We intend in this work to make some considerations about the possibilities of technologies for deaf education by the analysis of records generated by video recording and observing situations in which a deaf professor promotes the construction of knowledge about the written Portuguese language within a group of deaf children, with ages between seven and eleven years old, and in process of appropriation of written Portuguese. The observations were made during lectures given in Brazilian Sign Language, offered at an institution in the interior of the state of São Paulo. This qualitative work is guided by the bilingual perspective in deaf education and the studies in the interlocutory, historical and cultural perspectives. In detaching some of the ways in which the teacher established relationships with a digital material and proposed the course of his class, we sought to highlight the complexity of these relationships and to problematize the fact that in the observed teaching situation, as reported in other studies, the technologies themselves did not instituted new ways of making or thinking only by their presence, in the same sense that the simple presentation of certain linguistic or semiotic resources did not allow automatic learning by deaf students.


Palavras-chave


educação de surdos; tecnologias; práticas de letramento; recursos multissemióticos.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWSKI, A. ¿Cómo mirar, mostrar, sentir y enseñar en un mundo que mira, muestra y siente demasiado? Curso: Educación, i mágenes y medios. Grupo 8. 2012. Disponível em: http://virtual.flacso.org.ar/mod/book/view.php?id=5845 . Acesso em: 14 dec. 2012.

ALVES, L. R. G.; PRETTO, N. Escola: um espaço de aprendizagem sem prazer? Comunicação & Educação, São Paulo, n. 16, p. 29-35, 1999.

BABIN, P.; KOULOUMDJIAN, M. F. Os novos modos de compreender: a geração do audiovisual e do computador. São Paulo: Hucitec, 1989.

BARTON, D; LEE, C. Linguagem on line – textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2005.

BELLONI, M. L.; GOMES, N. G. Infância, mídias e aprendizagens: cenários de mudança. Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 104, p. 717-746, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302008000300005

BUCKINGHAM, D. Cultura digital, educação midiática e o lugar da escolarização. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 3, p. 37-58, 2010.

CABELLO, J. Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem para alfabetização de crianças surdas: novas tecnologias e práticas pedagógicas. 2015. 182f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 2015.

CAMPELLO, A. R. S. Aspectos da visualidade na educação de surdos. 2008. 228f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2008.

COSCARELLI, C. V.; RIBEIRO, A. E. (Orgs.) Letramento digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2007.

GESUELI, Z. M. Língua de sinais e aquisição da escrita. In: SILVA, I. R.; KAUCHAKJE, S.; GESUELI, Z. M. (Orgs.). Cidadania, surdez e linguagem – desafios e realidades. São Paulo, Plexus, 2003, p. 147-159.

GESUELI, Z. M. A escrita como fenômeno visual nas práticas discursivas de alunos surdos. In: LODI, A. C. B.; HARRISON, K. M. P.; CAMPOS, S. R. L. Leitura e escrita no contexto da diversidade. Porto Alegre: Mediação, 2004, p. 39-49.

GESUELI, Z. M.; MOURA, L. Letramento e surdez: a visualização das palavras. Educação Temática Digital, Campinas, v. 7, n. 2, p. 110-122, 2006. DOI: https://doi.org/10.20396/etd.v7i2.796

GUIMARÃES, C. Arquitetura pedagógica computacional para interações intelectuais entre crianças surdas e pais não-surdos em Libras e Português. 2013, 161f. Tese (Doutorado em Informática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2013.

JUNQUEIRA, E. O problema da implantação das tecnologias digitais nas escolas e as identidades profissionais dos professores: uma análise sócio-histórica. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 13 n. 30, p. 291-310, 2012.

LACERDA, C. B. F.; SANTOS, L. F. Tenho um aluno surdo, e agora? Introdução à Libras e educação de surdos. São Carlos: EdUFSCar, 2014.

LEBEDEFF, T. B. Aprendendo "a ler" com outros olhos: relatos de oficinas de letramento visual com professores surdos. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 36, p. 175-196, 2010.

LEBEDEFF, T. B. Objetos de aprendizagem para o ensino de línguas: vídeos de curta metragem e o ensino de Libras. RBLA, Belo Horizonte, v. 14, n. 4, p. 1073-1094, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1984-63982014005000020

LÉVY. P. O que é o virtual? Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LIMA, E. W. G.; CARDOSO, C. J. A criança surda: desafios e possibilidades para a alfabetização. Revista Brasileira de Alfabetização – ABAlf, Vitória, v. 1, n. 1, p. 91-110, jan./jun. 2015.

LINS, H. A. M. Os blogs, as novas tecnologias e as práticas pedagógicas: questões sócio-culturais, políticas e de formação docente. Instrumento, Juiz de Fora, v. 13, p. 35-42, 2011.

LINS, H. A. M. Dimensões afetivas em docentes frente às novas tecnologias na sala de aula: alfabetização e letramento de crianças ouvintes e surdas em foco. In: Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, 2013, Belo Horizonte (online), Anais do X Evidosol/VII Ciltec-online. Belo Horizonte, v. 2, p. 1-6, 2013. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/anais_linguagem_tecnologia/article/view/4772 . Acesso em: 20 jul. 2016.

LINS, H. A. M. Cultura visual e Pedagogia da Imagem: recuos e avanços nas práticas escolares. Educação em Revista (Online), Belo Horizonte, v. 30, p. 1-16, 2014.

MARTINS, L. M. N.; LINS, H. A. M. Tecnologia e educação de surdos: possibilidades de intervenção. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente-SP, v. 26, n. 2, p. 188-206, maio/ago. 2015. Disponível em: http://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/3481/3073 . Acesso em: 14 mai. 2017.

MINAYO, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S. (Org.); DESLANDES, S. F.; NETO, O. C.; GOMES, R. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis/RJ: Vozes, 1994, p. 9-29.

MOITA LOPES, L. P. Pesquisa interpretativista em Linguística Aplicada: a linguagem como condição e solução. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 10, n. 2, p. 329-338, 1994.

MCLUHAN, M. The medium is the message. Harmondsworth. Penguin Books, 1965.

NOGUEIRA, A. S. Práticas de letramento multimodais em ambiente digital: uma possibilidade para repensar a educação de surdos. Revista Intercâmbio, Montes Claros, v. XXVIII, p. 19-45, 2014.

NOGUEIRA, A. S. “O surdo não ouve, mas tem olho vivo” – a leitura de imagens por alunos surdos em tempos de práticas multimodais. 2015. 307f. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada – Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 2015.

REILY, L. H. As imagens: o lúdico e o absurdo no ensino de arte para Pré- escolares surdos. In: SILVA, I. R.; KAUCHAKJE, S.; GESUELI, Z. M. (Orgs.), Cidadania, Surdez e Linguagem: desafios e realidades. São Paulo: Plexus Editora, 2003, p. 161-192.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

ROJO, R.; MOURA, E. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

SEDREZ, N. H. Reusabilidade de Objetos de Aprendizagem de Línguas para alunos surdos e ouvintes. 2014. 147f. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2014.

SILVA, S. G. L. Pedagogia surda e ensino da língua portuguesa para surdos. In: PERLIN, G.; STUMPF, M. (Orgs). Um olhar sobre nós surdos. Curitiba: Editora CRV, 2012, p.265-272.

STROBEL, K. L. Os sobreviventes das políticas surdas: opressão da cultura surda e de seus valores linguísticos na educação. In: PERLIN, G.; STUMPF, M. (Orgs). Um olhar sobre nós surdos. Curitiba: Editora CRV, 2012, p. 97-108.

TAVEIRA, C. C.; ROSADO, L. A. S. Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes: articulando pesquisas sobre letramento, matrizes de linguagem e artefatos surdos. Revista Espaço, Rio de Janeiro, n. 39, p. 27-42, jan/jun. 2013.

VALENTE, J. A. (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: UNICAMP/NIED, 1999.

VILHALVA, S. Anatomia do sentimento surdo. In: PERLIN, G.; STUMPF, M. (Orgs). Um olhar sobre nós surdos. Curitiba: Editora CRV, 2013, p. 59-66.

ZANCHETTA JR., J. Estudos sobre recepção midiática e educação no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 101, p. 1455-1475, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.10.1.242-256

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.