Os nativos digitais e as novas competências tecnológicas

Patrícia Margarida Farias Coelho

Resumo


Este estudo é o resultado parcial de minhas pesquisas de pós-doutoramento desenvolvida na UniversitatdeVIC/ESPANHA com o auxílio de bolsa FAPESP/BEPE. O artigo reflete sobre os nativos digitais e as novas habilidades/competências inerentes a esses, e que devem ser exploradas em ambiente escolar, enfatizando, nessa pesquisa, o uso de aplicativos de dispositivos móveis e games educativos. Com as transformações na web, as escolas tiveram que reorganizar a maneira como ensinavam. O objetivo deste estudo é evidenciar que escola e professores devem se adequar para receber esse novo aluno digital, atentando-se para as competências tecnológicas que esses já têm. As crianças nascidas a partir da década de 80 e 90 são definidos por Prensky (2002) como nativos digitais e apresentam familiaridade com o universo digital e, portanto, cabe aos educadores e pesquisadores atentarem para esse potencial. O arcabouço teórico que sustenta essa pesquisa são os estudos de McLuhan (1964, 1996) e Santaella (2003, 2010) sobre os meios de comunicação, Prensky (2001) para sustentar as pesquisas sobre nativos digitais e Bakhtin (1978, 1997) para explicar sobre os diálogos.


Palavras-chave


Nativos digitais. Midias digitais. Games educativos. Aprendizagem. Educação formal.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.5.2.88-95

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.