A escrita em inglês como sistema adaptativo complexo: o desenvolvimento da fluência, precisão e complexidade gramatical por meio das TIC

Gisele Medina Nunes

Resumo


Na procura por uma abordagem que tratasse a aprendizagem de línguas de uma forma mais global e dinâmica, linguistas aplicados como Larsen-Freeman (1997) e Paiva (2005) recorreram às teorias do Caos/Complexidade como metáfora para tratar desse processo. Nessa perspectiva, defende-se que aprender uma língua é um sistema adaptativo complexo, porque reúne todas as suas características: é aberto, sensível a fatores externos e a condições iniciais, imprevisível, não-linear, regido por regras de baixo nível e auto-organizável. Esta pesquisa foi investigar o desenvolvimento da interlíngua em duas alunas de um curso de Licenciatura em Letras – Habilitação em Língua Inglesa – de uma universidade federal em um blog. Foram analisadas fluência, precisão e complexidade gramatical dos textos publicados além do trabalho colaborativo realizado.


Palavras-chave


Sistemas adaptativos complexos. Interlíngua. Habilidade escrita. Língua Inglesa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.7.1.49-67

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.