As hemerotecas digitais discursivizadas na web: heterogeneidade discursiva e formação imaginária na rede

Francis Lampoglia, Valdemir Miotello, Lucília Romão

Resumo


Este trabalho estuda o funcionamento discursivo de duas páginas da web, sendo uma do Arquivo Público do Estado, referente à hemeroteca do jornal Última Hora, e outra referente ao site do jornal O Estado de S. Paulo, mais precisamente à seção "Especiais", intitulado "Nas páginas do Estadão, a luta contra a censura". Sob a orientação da Análise do Discurso de matriz francesa, fundada por Michel Pêcheux, com o apoio dos estudos sobre o dialogismo de Mikhail Bakhtin e das discussões sobre o virtual de Pierre Lévy, esse trabalho visa compreender o modo como são produzidos efeitos de sentido sobre o entrelaçamento de vozes que compõem as páginas web analisadas, bem como analisar qual a formação imaginária que tais sites constroem de si e de seus leitores através do discurso eletrônico. Inseridos em um ambiente eletrônico, os sites que abrigam acervos de jornais e revistas, além de constituir um arquivo sob uma perspectiva histórica, também tentam construir uma imagem de si e/ou do jornal que abrigam. Entendendo que a rede mundial de computadores é uma realidade, destacamos a importância de se estudar o discurso presente nos sites como forma de romper com a suposta neutralidade da imprensa e da web.


Palavras-chave


Análise do Discurso. Hemeroteca digital. Sujeito.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.4.2.2-6

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Texto Livre: Linguagem e Tecnologia
ISSN 1983-3652 (eletrônica)

Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais

Belo Horizonte - Minas Gerais (Brasil)

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.