Mistura de gêneros, dentro e fora da literatura

Fernando Baião Viotti

Resumo


Resumo: Poucas vezes uma premiação literária provocou tanto debate quanto o Nobel de Literatura concedido a Bob Dylan em 2016. A láurea trouxe para a esfera pública uma discussão em geral reservada ao ambiente acadêmico, quanto ao que se deve ou não abrigar sob a denominação de literatura. Dylan respondeu à sua maneira, manejando recursos de linguagem peculiares. Cada um dos quatro lances da sua resposta lida com elementos típicos do discurso literário: a elipse, a ironia, a representação e a heterogeneidade. Da distinção de gêneros entre poesia e canção surge um questionamento mais amplo quanto às fronteiras que separam o discurso literário dos demais. O jogo de Dylan com a linguagem expande o cruzamento de fronteiras entre os gêneros que sua obra coloca para além dela mesma, abrangendo os discursos não literários e até mesmo um determinado modo de ser.

Palavras-chave: gêneros; canção; poesia; século XX; Bob Dylan; Nobel Prize.

Abstract: Few times has a literary prize generated such controversy as the Nobel Prize of literature awarded to Bob Dylan in 2016. After the announcement, a discussion, normally kept inside the walls of universities, spread out to the public sphere, centered on which art forms should be called literature. Dylan answered on his own terms, using a peculiar range of language resources. Each of the four acts of his answer deals with elements typical of literary space, such as ellipsis, irony, representation and heterogeneity. From the main distinction between poetry and song arises a more comprehensive questioning about the boundaries that puts literary discourse apart from other kinds of discourses. Dylan’s play with language expands the border crossing among genres suggested by his work beyond itself, encompassing non-literary discourses and even his unique modus vivendi.

Keywords: genres; song; poetry; 20th century; Bob Dylan; Nobel Prize.


Palavras-chave


genres; song; poetry; 20th century; Bob Dylan; Nobel Prize.

Texto completo:

PDF

Referências


DYLAN, Bob. Banquet Speech. Stockholm: The Nobel Foundation, 2016. Disponível em: https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/literature/laureates/2016/dylan-speech_en.html. Acesso em: 15 dez. 2017.

DYLAN, Bob. Nobel Lecture. Stockholm: The Nobel Foundation, 2017. Disponível em: https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/literature/laureates/2016/dylan-lecture.html. Acesso em: 3 dez. 2017.

ELIOT, T.S. Ensaios. Tradução de Ivan Junqueira. São Paulo: Art Editora, 1989.

FRYE, Northrop. Anatomia da crítica. Tradução de Péricles Eugênio da Silva Ramos. São Paulo: Cultrix, 1973.

GUNDERSEN, Edna. World exclusive: Bob Dylan – I’ll be at the Nobel Prize ceremony... if I can. The Telegraph, 29 oct. 2016. Disponível em: http://www.telegraph.co.uk/men/the-filter/world-exclusive-bob-dylan---ill-be-at-the-nobel-prize-ceremony-i/. Acesso em: 15 nov. 2017.

HEYLIN, Clinton. Behind the Shades: The 20th anniversary edition. London: Faber & Faber, 2011.

LUKACS, 2000. A teoria do romance. São Paulo: Duas cidades: Editora 34, 2000.

PONTIKIS, Annika. Newsroom for the Nobel Foundation. Stockholm: The Nobel Foundation, 2016. Disponível em: https://www.nobelprize.org/press/#/publication/581. Acesso em: 3 dez. 2017.

SAFATLE, Vladimir. Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo, 2008.

SARTRE, Jean Paul. Carta à Academia Sueca. Última hora, 23 out. 1964. Disponível em: http://homoliteratus.com/carta-de-jean-paul-sartre-recusando-o-premio-nobel-de-literatura/. Acesso em: 5 dez. 2017.

SMITH, Patti. How does it feel. New Yorker, 14 dec. 2016. Disponível em: https://www.newyorker.com/culture/cultural-comment/patti-smith-on-singing-at-bob-dylans-nobel-prize-ceremony. Acesso em: 15 dez. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2317-2096.28.1.83-98

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Fernando Baião Viotti

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Aletria: Revista de Estudos de Literatura
ISSN 1679-3749 (impressa) / ISSN 2317-2096 (eletrônica)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.