Caligrama: Revista de Estudos Românicos

Caligrama: Revista de Estudos Românicos é um periódico quadrimestral, com avaliação de pares, mantido pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais(Brasil) desde 1981. Tem como missão fomentar a produção científica na área de Línguas e Literaturas Românicas, permitindo a pesquisadores do Brasil e do exterior divulgarem suas pesquisas e contribuírem para o debate e o progresso científico na área. A revista destaca-se como um dos raros periódicos brasileiros voltados estritamente para o domínio românico. Ao final do primeiro semestre de cada ano é publicado um número dedicado a estudos literários e ao final do segundo semestre um número dedicado a estudos linguísticos.

Caligrama: Revista de Estudos Românicos is a peer-reviewed journal published three times a year, sponsored by the School of Letters of the Federal University of Minas Gerais (Brazil) since 1981. It aims to promote scientific production in the field of Romance Languages and Literatures, allowing researchers from Brazil and abroad to share their research and contribute to the debate and scientific progress in the area. The journal stands out as one of the rare Brazilian periodicals focused strictly on the Romance domain. At the end of the first semester of each year an issue devoted to literary studies is published and at the end of the second one dedicated to linguistic studies.

Qualis B1, área de Letras e Linguística, ano base de 2015.

A revista Caligrama recebe atualmente artigos em fluxo contínuo: os artigos na área de estudos literários serão publicados no primeiro número (jan.-jun.) do ano e os na área de estudos linguísticos no segundo número (jul.-dez.).



Imagem para capa da revista

Notícias

 

CHAMADA CALIGRAMA: Revista de Estudos Românicos

 

Call for papers

N. 3 de 2019 (Dezembro)

Número temático: Estudos andinos e amazônicos

Editores convidados: Rômulo Monte Alto (Fale/UFMG); Gonzalo Espino Reluce (Facultad de Letras y Ciencias Humanas/UNMSM/Peru)

A região andina difere de sua matriz latino-americana em razão de duas marcas bem definidas: a persistência de uma matriz econômica subdesenvolvida de base extrativa voltada para a exportação de matérias primas, assentada sobre uma sociedade que se estratificou em classes mediante um processo perverso que juntou o critério econômico com o racial, gerando um imaginário que naturalizava a exploração humana e ambiental. Desse modo, um histórico de violências atravessou a história dessa região, produzindo um conjunto de iniquidades que se pode rastrear desde sua formação colonial e foram objetos de estudo de vários estudiosos em distintas disciplinas. Assim, partindo da consciência da colonialidade do poder (Aníbal Quijano) que revela a natureza das condições de base que sustentam as estruturas de poder, assim como da heterogeneidade em conflito (Antonio Cornejo Polar), porque constitutiva dos sujeitos em permanente mutação, como princípios fundantes da necessidade de descolonizar práticas e imaginários concretos, é que nos acercamos à região andina como projeto de estudo e campo de articulação específico, convidando os estudiosos e pesquisadores dessa região, em especial, e outras cujas narrativas geram ressonâncias nas leituras que procuram descolonizar os olhares e práticas seculares, a apresentar artigos acadêmicos.

Encorajamos o envio, até 30 de setembro de 2019, de artigos sobre o tema. Para maiores informações e submissão de artigos, acesse o site do periódico:

http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/caligrama

 
Publicado: 2019-05-12
 
Outras notícias...