As facetas do humano na percepção gonçalvina: uma análise da correspondência e do diário de viagem à Amazônia / Facets of Human on Gonçalves Dias’ Perception: An Analysis of His Correspondence and His Amazon Travel Journal

Renata Ribeiro Lima

Resumo


Resumo: Este artigo busca explorar a complexidade dos modos de representação do indígena em Gonçalves Dias para além da sua obra poética, a partir de textos híbridos que a complementam: seus escritos pessoais. Selecionamos, para este fim, registros de um momento crucial da trajetória do autor: o ano de 1861, em que viajou para a Amazônia e teve, assim, ocasião de confrontar o imaginário criado em torno da figura do indígena e a experiência empírica. Tendo já toda a obra indianista publicada, mas sempre com projetos de escrever mais (Os Timbiras permanecia incompleta), o poeta mestiço vive nessa viagem uma situação ímpar de reflexão, que desenvolve através da correspondência e do diário de viagem. À luz de teóricos da decolonialidade, procuramos compreender as origens do ideário que influenciou a percepção gonçalvina e situar a categoria “humano” nas suas diversas facetas, valorações e gradações. A leitura desse material sugere uma tensão racial intensa, na qual se empregam designações diversas com base na cor da pele e na miscigenação. Observamos a ambivalência presente no jogo entre convenção poética e o registro descritivo das observações pessoais, isto é, na dificuldade de definir objetivamente quem seria o índio, quem representaria a “nossa gente”.
Palavras-chave: Gonçalves Dias; correspondência; diário; humano; representação; indígena.

Abstract: This article aims to explore the complexity of indigenous modes of representation in Gonçalves Dias beyond his poetic work, from hybrid texts that complement it: his personal writings. We have selected for this purpose records of a crucial moment in the author’s trajectory: the year of 1861, when he traveled to the Amazon and had the opportunity to confront the imagery created around the figure of the Indian and the empirical experience. Having already published the entire Indianist work, but always with plans to write more (Os Timbiras remained incomplete), the mestizo poet lives on this journey a unique situation of reflection, which he develops through correspondence and travel journal. In the light of decoloniality theorists, we try to understand the origins of the ideology that influenced his perception and to situate the category “human” in its diverse facets, valuations and gradations. The reading of this material suggests an intense racial tension, in which diverse designations are used based on the color of the skin and the miscegenation. We observe the ambivalence present in the game between poetic convention and the descriptive record of personal observations, that is, in the difficulty of objectively defining who the Indian would be, who would represent “our people”.
Keywords: Gonçalves Dias; correspondence; journal; human; representation; Indian.


Palavras-chave


Gonçalves Dias; correspondência; diário; humano; representação; indígena.

Texto completo:

PDF

Referências


ANAIS da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro: Divisão de Publicações e Divulgação, 1971. v. 84 (1964). Disponível em: http://objdigital.bn.br/acervo_digital/anais/anais_084_1964.pdf. Acesso em: fev.2019.

BENJAMIN, W. Sobre o conceito de História. In: Obras Escolhidas. Magia e Técnica, Arte e Política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CABOCLO. In: MICHAELIS Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. São Paulo: Melhoramentos, 2019. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/caboclo/. Acesso em: 29 jan. 2019.

CRANIOLOGIA. In: MICHAELIS Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. São Paulo: Melhoramentos, 2019. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/craniologia/. Acesso em: 29 jan. 2019.

DIAS, A. G. Brasil e Oceania. Organização de Raymundo Netto; apresentação de Ana Miranda. Fortaleza: Armazém da Cultura, 2013.

DIAS, A. G. Gonçalves Dias na Amazônia: relatórios e diário da viagem ao rio Negro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2002.

DIAS, A. G.; LEAL, A. H. (Org.). Obras Póstumas. São Luís: Bellarmino de Matos, 1868.

DIAS; A. G; BUENO, Alexei (org.). Poesia e prosa completas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1998.

LIMA, R. R. Dialéticas de exílio e nacionalismo em Gonçalves Dias. 91 f. 2015. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários, Culturais e Interartes) – Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Porto, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/10216/79482. Acesso em: 9 set. 2019.

MARQUES, W. J. Gonçalves Dias: o poeta na contramão. São Paulo: EdUFSCar, 2010.

MIGNOLO, W. D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Tradução de Ângela Lopes Norte. Caderno de Letras da UFF, Niterói, n. 34, p. 287-324, 2008.

MIGNOLO, W. D.; WALSH, C. E. On decoloniality: concepts, analytics, praxis. London: Duke University Press, 2018. DOI: https://doi.org/10.1215/9780822371779.

MOTA, L. T. A Revista do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro (IHGB) e as populações indígenas no Brasil do II Reinado (1839-1889). Diálogos, Maringá, v. 10, n. 1, p. 117-142, 2006.

PEREIRA, L. M. A vida de Gonçalves Dias. Brasília: Senado Federal, 2016.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, E. (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas Latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

SCHWARCZ, L. Gilberto Freyre: adaptação, mestiçagem, trópicos e privacidade em Novo Mundo nos trópicos. Porto Alegre: IFCH - UFRGS, 2010. Disponível em: https://docgo.net/schwarcz-adaptacao-mesticagem-tropicos-pdf. Acesso em: 04 fev. 2019.

VELOSO JÚNIOR, C. R. Os “curiosos da natureza”: Freire-Allemão e as práticas etnográficas no Brasil do século XIX. 2013. Dissertação (Mestrado em História Social) – Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013. Disponível em: www.historia.uff.br/stricto/td/1697.pdf. Acesso em: 04 fev. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Renata Ribeiro Lima

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.