Poemas sobre objetos: os sonetos de bolso de Luiz Bacellar / Poems about objects: the bag sonnets of Luiz Bacellar

Fadul Moura

Resumo


Resumo: O presente trabalho procura analisar a seção intitulada “Dez sonetos de bolso”, encontrada em Frauta de barro (2011 [1963]), do poeta brasileiro Luiz Bacellar. Primeiramente será abordada a relação intertextual com Sebastião da Gama, português, ladeada ao trabalho com os objetos do mundo. Em seguida, será desenvolvida a análise dos poemas do livro, com o objetivo de evidenciar o procedimento poético sobre objetos, acreditando que ele seja o ponto principal para a construção da coleção do autor.
Palavras-chave: Poesia brasileira; coleção; objetos; Luiz Bacellar.

Abstract: This article is dedicated to analyze the session “Dez sonetos de bolso” from Frauta de barro (2011 [1963]), by the Brazilian poet Luiz Bacellar. At first, it will be demonstrated the intertextual connection with Sebastião da Gama, Portuguese, alongside the objects of the world. Subsequently, the poems themselves will be analyzed, aiming to make evident the poetic process applied over the objects, considering that this is the foundation to build the author’s collection.
Keywords: Brazilian poetry; collection; objects; Luiz Bacellar.


Palavras-chave


Poesia brasileira; coleção; objetos; Luiz Bacellar

Texto completo:

PDF

Referências


BACELLAR, L. Frauta de barro. 9. ed. Editora Valer: Manaus, 2011.

BAUDRILLARD, J. O sistema dos objetos. Tradução de Zulmira Ribeiro Tavares. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. 7. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994. (Obras Escolhidas, v. I).

BENJAMIN, W. Passagens. Tradução de Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.

BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. 6. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

BRADLEY, F. Surrealismo. Tradução de Sérgio Alcides. São Paulo: Cosac Naify, 1999.

FRIEDRICH, H. Estrutura da lírica moderna: da metade do século XIX a meados do século XX. Tradução de Marise M. Curioni. São Paulo: Duas cidades, 1978.

GAMA, S. Soneto do guarda-chuva. Sebastião da Gama – Biblioteca Virtual, [s. l.], 6 nov. 2014. Disponível em: http://poemasgamavirtual.blogspot.com.br/2014/11/soneto-do-guarda-chuva.html. Acesso em: 20 jul. 2015.

HANCIAU, N. J. Entre-lugar. In: FIGUEIREDO, Eurídice (org.). Conceitos de literatura e cultura. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFJF; EdUFF, 2010. p. 125-141.

MACIEL, M. E. As ironias da ordem: coleções, inventários e enciclopédias ficcionais. Belo Horizonte: Editora UFMF, 2009.

MOURA, F. A cartografia do tempo: forma colecionadora e traços do canto em Frauta de barro, de Luiz Bacellar. In: MOURA, F; SERAFIM, Y; OLIVEIRA, R. B. de. (org.). Amazônia em perspectivas: cultura, poesia, arte. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2017.

PAZ, O. O arco e a lira. Tradução de Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

RILKE, R. M. Poemas e cartas a um jovem poeta. Tradução e prefácios de Geir Campos e Fernando Jorge. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013. (Coleção Saraiva de Bolso).

ROLNIK, S. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina: Editora da UFRGS, 2011.

SARAIVA, F. R. dos S. Novíssimo dicionário latino-português: etimológico, prosódico, histórico, geográfico, mitológico, biográfico, etc. 12. ed. Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 1934.

SELIGMANN-SILVA, M. Coisas e anjos de Rilke e o desafio da tradução. Revista USP, São Paulo, n. 54, p. 170-177, 2002. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/35239/37960. Acesso em: 20 jul. 2015. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i54p170-177.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Fadul Moura

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.