Como se estivéssemos em palimpsesto de Elvira Vigna: apagamento feminino e corrosão subjetiva// As if we were in Elvira Vina’s palimpsest:female erasure and subjective corrosion

Gleydson André da Silva Ferreira

Resumo


Resumo: No presente artigo, Como se estivéssemos em palimpsesto de putas de Elvira Vigna é analisado com base no apagamento feminino e na corrosão subjetiva. Recorre-se à imagem do próprio palimpsesto para o exame proposto. Desse modo, o apagamento ocorre como uma rasura, tornando as mulheres indiscerníveis entre si. Problema suscitado já ao se privar de nome a voz narrativa. Destacam-se, a esse respeito, questões de gênero e de classe, evidenciando assim maneiras distintas de violência conforme o estrato social, em claro prejuízo das prostitutas. Por sua vez, vale-se da corrosão subjetiva para a investigação do contraponto masculino, representado por João. Sua percepção é discutida pelo deslocamento, realizado pela variação do foco narrativo. Detém-se, com isso, em procedimentos composicionais, tratados em sua complexidade formal e temática, a fim de desvelar uma elaboração literária contrastante com o tom despretensioso do romance.
Palavras-chave: Como se estivéssemos em palimpsesto de putas; Elvira Vigna; apagamento feminino; corrosão subjetiva.


Abstract: In the present article, Como se estivéssemos em palimpsesto de putas by Elvira Vigna is analyzed based on female erasure and subjective corrosion. The image of the palimpsest itself is used for the proposed assessment. In this way, the erasure overlaps women, making them indistinguishable from each other. A problem already raised when depriving the narrative voice of a name. In this regard, gender and class issues stand out, thus highlighting different ways of violence according to the social stratum, to the clear detriment of prostitutes. In turn, it draws on subjective corrosion to investigate the male counterpoint, represented by João. His perception is discussed by the displacement, carried out by the variation of the narrative focus. It focuses on, therefore, in compositional procedures, treated in its formal and thematic complexity, in order to unveil a literary elaboration that contrasts with the unpretentious tone adopted in the novel.
Keywords: Como se estivéssemos em palimpsesto de putas; Elvira Vigna; female erasure; subjective corrosion.


Palavras-chave


Como se estivéssemos em palimpsesto de putas; Elvira Vigna; apagamento feminino; corrosão subjetiva; female erasure; subjective corrosion.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Notas de literatura I. Trad. Jorge M. B. de Almeida. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2012.

BECKETT, Samuel. Proust. Trad. Arthur Nestrovski. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

CANAL DA BIBLIOTECA DE SÃO PAULO. Segundas intenções com Elvira Vigna. São Paulo: BSPbiblioteca, 2016. 1 vídeo (1:53:42). Disponível em: https://youtu.be/-QWSvZhNGlY. Acesso em: 08 de agosto de 2022.

GENETTE, Gerárd. Palimpsestos: a literatura de segunda mão. Trad. Sônia Queiroz. Belo Horizonte: Edições Viva voz, 2006.

RANCIÈRE, Jacques. As margens da ficção. Trad. Fernando Scheibe. São Paulo: Editora 34, 2021.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar?. Trad. Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa, André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

VIGNA, Elvira. Como se estivéssemos em palimpsestos de putas. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.32.2.331-349

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2023 Gleydson André da Silva Ferreira

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.