Representação do Tambor de Mina pela literatura afro-brasileira de Bruno de Menezes / Representation of the Tambor de Mina in Bruno de Menezes’ Afro-Brazilian Literature

Állan Sereja dos Santos, Felipe dos Santos Matias

Resumo


Resumo: Este estudo tem o objetivo de investigar o modo pelo qual o literato negro Bruno de Menezes representa a afrorreligião Tambor de Mina em sua poética. Para isso, analisa-se o poema “Toiá Verequête” – presente na obra literária Batuque (1931) –, que narra a incorporação do vodum Toiá Verequête na mãe de santo Ambrosina, em um terreiro. No que concerne aos aportes teórico-críticos, dialoga-se com os estudos de Eduardo de Assis Duarte (2010), Abdias do Nascimento (1978), Mundicarmo Maria Rocha Ferretti (1996), Anaíza Vergolino (2003), Taissa Tavernard de Luca (2010), Naiara Larissa Raiol Valcacio (2022), Aldrin Moura de Figueiredo (2001), Paulo Nunes (2002), Luiz Augusto Pinheiro Leal (2011) e Mariana Janaina dos Santos Alves (2021). Bruno de Menezes, ao colocar em seu poema uma mãe de santo e um vodum como personagens principais e a guma como espaço de um texto poético, contribui para a valorização da afrorreligião Tambor de Mina. O ponto de vista construído pelo poeta em seu poema não folcloriza ou erotiza os personagens negros. Pelo contrário, valoriza o protagonismo destes e de sua cultura ancestral.
Palavras-chave: Tambor de Mina; Bruno de Menezes; Literatura Afro-Brasileira.


Abstract: This study aims to investigate the way in which the black writer Bruno de Menezes represents the Afro-religion Tambor de Mina in his poetics. To do so, it analyzes the poem “Toiá Verequête” – present in the literary work Batuque (1931) –, which narrates the incorporation of the vodum Toiá Verequête in the mother of saint Ambrosina, in a terreiro. Regarding the theoretical and critical contributions, we dialogue with the studies by Eduardo de Assis Duarte (2010), Abdias do Nascimento (1978), Mundicarmo Maria Rocha Ferretti (1996), Anaíza Vergolino (2003), Taissa Tavernard de Luca (2010), Naiara Larissa Raiol Valcacio (2022), Aldrin Moura de Figueiredo (2001), Paulo Nunes (2002), Luiz Augusto Pinheiro Leal (2011) and Mariana Janaina dos Santos Alves (2021). Bruno de Menezes, by placing in his poem a saint mother and a vodum as main characters and the guma as the space of a poetic text, contributes to the valorization of the Afro-religion Tambor de Mina. The point of view built by the poet in his poem does not folklorize or eroticize the black characters. On the contrary, it values their protagonism and their ancestral culture.
Keywords: Tambor de Mina; Bruno de Menezes; Afro-Brazilian Literature.


Palavras-chave


Tambor de Mina; Bruno de Menezes; Literatura Afro-Brasileira.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. J. dos S. Batuqueopiques: tradução cultural e negritude nos poemas de Léopold Sédar Senghor e Bruno de Menezes. 2021. 292 f. Tese (Doutorado em Estudos Literários) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2021. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/210993. Acesso em: 11 mar. 2023.

DUARTE, E. de A. Por um conceito de literatura afro-brasileira. Terceira Margem, Rio de Janeiro, v. 14, n. 23, p. 113-138, jul./dez. 2010. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/tm/article/view/10953/8012. Acesso em: 11 mar. 2023.

FERRETTI, M. M. R. Desceu na guma: o caboclo do Tambor de Mina no processo de mudança de um terreiro de São Luís – a Casa Fanti-Ashanti. São Luís: EDUFMA, 1996.

FIGUEIREDO, A. M. de. Eternos modernos: uma história social da arte e da literatura na Amazônia, 1908-1929. 2001. 315 f. Tese (Doutorado em História Social) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2001. Disponível em: https://repositorio.unicamp.br/acervo/detalhe/218808. Acesso em: 11 mar. 2023.

LEAL, L. A. P. Nossos intelectuais e os chefes de mandinga: repressão, engajamento e liberdade de culto na Amazônia (1937-1951). 2011. 231 f. Tese (Doutorado em Estudos Étnicos e Africanos) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/8602/1/Leal.pdf. Acesso em: 11 mar. 2023.

LUCA, T. T. de. Tem branco na guma: a nobreza europeia montou corte na encantaria mineira. 2010. 260 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2010.

MENEZES, B. de. Batuque: poemas. 6. ed. Belém: Editora Conselho Estadual de Cultura, 1984.

NASCIMENTO, A. do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1978.

NUNES, P. Os brasis contidos no Brasil: a modernidade na Amazônia. Revista Princípios, São Paulo, n. 65, p. 68-72, maio/jun./jul. 2002. Disponível em: https://www.marxists.org/portugues/tematica/revistas/principios/pdf/065.pdf. Acesso em: 11 mar. 2023.

VALCACIO, N. L. R. Memória, transe e sincretismo: ensaio sobre as narrativas do poema “Toiá Verequête” de Bruno de Menezes. 2022. 28 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências da Religião) – Centro de Ciências Sociais e Educação, Universidade do Estado do Pará, Belém, 2022.

VERGOLINO, A. Os cultos afro no Pará. In: FONTES, E. J. (org.). Contando a história do Pará: diálogos entre a Antropologia e a História. Belém: Emotion, 2003. p. 10-34.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.0.0.%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Állan Sereja dos Santos, Felipe dos Santos Matias

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.