O cabelo e o pertencimento étnico-racial negro em O mundo no black power de Tayó, de Kiusam de Oliveira / Hair and black ethnic-racial belonging in O mundo no black power de Tayó, by Kiusam de Oliveira

Débora Lopes dos Santos, Élio Ferreira de Souza

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir a construção da identidade negra a partir da análise da obra O mundo no black power de Tayó da escritora brasileira Kiusam de Oliveira. Como aporte teórico recorreu-se às discussões acerca do racismo e da identidade negra. Os autores utilizados como referência para construção deste artigo foram: Almeida (2020); Cuti (2010); Fanon (2008); Ianni (2004); Kilomba (2019); Oliveira (2013); Ribeiro (2017). O cabelo da mulher negra é um mecanismo de identidade, já que desde a infância os cabelos são uma extensão de sua condição feminina e de reconhecimento como negra. A metodologia básica aplicada para construção deste artigo é caracterizada como análise-crítica qualitativa, tendo como corpus de análise O mundo no black power de Tayó, de Kiusam de Oliveira. A obra em estudo dialoga acerca da ressignificação do valor da cultura negra no Brasil e, ao enfatizar o penteado, a escritora traz a marca da resistência negra, além de ser uma obra que permite ao leitor refletir sobre igualdade e justiça social, assim como entender os atos de racismo, preconceito e discriminação que acontecem em diferentes esferas da sociedade.


Palavras-chave


literatura afro-brasileira; identidade; cabelo; racismo; O mundo no black power de Tayó.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, S. L. de. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro: Editora Pólen, 2019.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Articulação Interfederativa. Temático Saúde da População Negra. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. (Painel de Indicadores do SUS; v. 7, n. 10). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/tematico_saude_populacao_negra_v._7.pdf. Acesso em: 3 fev. 2023.

CUTI. Literatura negro-brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010. (Coleção consciência em debate).

FANON, F. Pele negra, máscaras brancas. Tradução de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

IANNI, O. Dialética das relações raciais. Estudos avançados, [s. l.], v. 18, n. 50, p. 21-30, 2004. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142004000100003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/78rQndTBbYLBzHMdc3ygj4w/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 3 fev. 2023.

KILOMBA, G. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

OLIVEIRA, K. de. O mundo no black power de Tayó. São Paulo: Peirópolis, 2013.

RIBEIRO, D. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento: Justificando, 2017. (Coleção Feminismos plurais).

SILVA, A. de M. S. e. EscreVivência: itinerário de vidas e de palavras. In: DUARTE, C. L.; NUNES, I. R. (Orgs.). Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020. p. 114-133.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.0.0.%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Débora Lopes dos Santos, Élio Ferreira de Souza

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.