A descrição do mundo de Verônica Stigger ou uma antropofagia desidratada

Ângela Maria Dias

Resumo


O ensaio se propõe a interpretar o último relato de Verônica  Stigger, Opisanie Swiata, a partir da sua abordagem de Raul Bopp e da  antropofagia modernista. Partindo de tal objetivo, o texto procura levantar  os recursos utilizados pela autora, a fim de valer-se, na composição da  narrativa, do legado de diversos intelectuais e escritores do período  em pauta. Nesse sentido, aponta-se, na construção da novela, além da  bricolagem de pequenos textos e de ilustrações na estruturação do volume,  a importância central do pastiche, segundo é apresentado por Antoine  Compagnon, no livro O trabalho da citação. Entretanto, a avaliação do  rendimento deste sofisticado trabalho de elaboração textual surpreende  uma certa fragilidade crítica pela ornamentalidade das apropriações  concatenadas sob o enfoque humorístico, com um tipo de jocosidade  leve, de feitio francamente gratuito. 


Palavras-chave


pastiche; bricolagem; antropofagia; humor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2358-9787.24.1.61-76

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Ângela Maria Dias

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira
ISSN 0102-4809 (impressa) / ISSN  2358-9787 (eletrônica)

License

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.