O domínio da concessão: uma análise baseada nos usos de construções oracionais com mesmo que, ainda que e se bem que

Maria Maura Cezario, Thiago dos Santos Silva, Juliana Sant’anna

Abstract


O artigo trata de uma análise de três construções similares na forma e na função: as orações adverbiais iniciadas por ainda que, mesmo que e se bem que, que tradicionalmente são consideradas orações adverbiais concessivas. A partir do princípio da não-sinonímia (GOLDBERG, 1995), considera-se, nesta pesquisa, que tais construções, embora tenham papéis e formas semelhantes, apresentam diferenças contextuais. A partir de um conjunto de fatores linguísticos, comparam-se os usos de orações adverbiais iniciadas por esses conectivos. O trabalho utiliza os pressupostos teórico-metodológicos da Linguística Funcional Centrada no Uso (LFCU), que considera, em suas análises, os pressupostos funcionalistas norte-americanos, a abordagem construcionista baseada no uso e ainda outras abordagens, como a da sociolinguística variacionista. A nossa pesquisa, restrita a questões sincrônicas, busca verificar as motivações para os usos de construções adverbiais com valor básico concessivo. O esquema mais abstrato que instancia as orações adverbiais é [CONECT (S) V (C)]ORAÇÃO ADVERBIAL.. A pesquisa baseou-se na coleta e na análise de trezentos dados de construções oracionais adverbiais, sendo cem iniciadas com ainda que, cem com mesmo que e cem com se bem que,  todos os dados extraídos da aba Web do Corpus do Português. A partir de um conjunto de fatores linguísticos, a pesquisa se volta para a questão da variação, sobretudo no que se refere à análise das relações horizontais entre subesquemas. Os principais resultados apontam para diferenças nos usos principalmente em decorrência da maior ou menor subjetividade e da maior ou menor força de articulação de cada subesquema oracional e oração matriz.

 


Keywords


construções oracionais adverbiais; concessão; articulação de orações

References


BARTH, D. "that's true, although not really, but still": Expressing concession in spoken English. In: COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000. p. 411-438.

BYBEE, J. Language, usage and cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

CASTANHEIRA, D.; CEZARIO, M.M; BRITO, R. Análise dos usos de orações iniciadas por só que no português brasileiro. Palimpsesto, Rio de Janeiro, 2021.

CEZARIO, M.M. Uses of adverbial clauses introduced by [sempre que] and [toda vez que] in Portuguese no evento on line UK Cognitive Linguistics Conference 2020. Universidade de Birmingham. Birmingham. Julho de 2020.

CEZARIO, M.M. A construção com oração adverbial. UFRN, CAPES. Relatório de estágio de Posdoutoramento, 2020.

CEZARIO, M. M. & ALONSO, K. A contribuição do modelo da construcionalização e mudanças construcionais: reflexões em Português. Soletras, N.37 – 1, 2019.

CEZARIO, M.M.; ALONSO, K; CASTANHEIRA, D. Linguística Baseada no Uso: Explorando Métodos, Construindo Caminhos. Rio de Janeiro: Rio Books, 2020.

CEZARIO, M.M. A construção com oração adverbial. UFRN, CAPES. Relatório de estágio de Posdoutoramento, 2020.

CEZARIO, M.M Variação do sujeito na primeira pessoa do singular. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras, 1995

CHAFE, W. Givenness, contrastiveness, definiteness, subjects, topics, and point of view. In:

Subject and Topic, Academic Press, New York, 1976.

CONCEIÇÃO, Priscila Thaiss. Planos discursivos em diferentes níveis de escolaridade: estudo de recontagem de Figura e Fundo. Dissertação de Mestrado em Linguística. Faculdade de Letras, UFRJ, 2010, 117p.

COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000.

CREVELS, M. Concessives on different semantic levels: A typological perspective. In: COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000. p. 313-340.

CROFT, W. Radical Construction grammar: syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press, 2001.

CROFT, W; CRUSE, A. Cognitive linguistics. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

DANCYGIER, B.; SWEETSER, E. Constructions with if, since, and because: Causality, III epistemic stance, and clause order. In: COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000. p. 111-142.

DIESSEL, H. Adverbial subordination. In: Bloomsbury Companion to Syntax. London: Bloomsbury Academic. P. 341-353, 2013.

DIESSEL, H. The Grammar Network: linguistic structure is shaped by language use. Cambridge: Cambrigde University Press, 2019.

FERRARI, Lilian. Introdução à Linguística Cognitiva. São Paulo: Contexto, 2011.

FURTADO DA CUNHA, Ma Angélica et al. Linguística Funcional Centrada no Uso: conceitos básicos e categorias analíticas. In: CEZARIO, Ma Maura & FURTADO DA CUNHA, Ma Angélica (Orgs.). Linguística centrada no uso: uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad X : FAPERJ, 2013.

GIVÓN, T. Functionalism and grammar. Amsterdam: John Benjamins,1995.

GIVÓN, T. Syntax: a functional-typological introduction. Amsterdam; Philadelphia: John Benjamins Publishing, 1990. v. 2.

GIVÓN, T. On understanding grammar. New York: Academic Press, 1979.

GOLDBERG. A. Constructions at work: the nature of generalization in language. Oxford: Oxford University Press, 2006.

GOLDBERG. A. Constructions: a construction approach to argument structure. Chicago: The University of Chicago Press, 1995.

GOLDBERG. A. Explain me this: creativy, competition, and the partial productivity of constructions. Princeton: Princeton University Press, 2019.

GOSKY, E. Condições de entrada e de continuidade do referente em narrativas orais. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro: UFRJ, 1985.

HILPERT, M. Construction Grammar and its Application to English. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2014.

HILPERT, M. Inside the construct-i-con. In: Construction Grammar and its application to English. Edinburgh University Press, 2014.

HOPPER, PAUL J. Aspect and Foregrounding in Discourse. In: Discourse and syntax. New York: Academic Press, 1979, p.213-41.

HOPPER, Paul ; TRAUGOTT, E. C.. Grammaticalization. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

KINTSCH, W.; VAN DIJK, T. A. Toward a model of text comprehension and production. In: Psychological Review. vol. 85, nº 5, p. 363–394. 1978.

KÖNIG, E. Concessive Clauses. In: R. E. Asher (ed.), The Encyclopedia of Language and Linguistics, 679-681. Oxford: Pergamon, 1994.

LAMBRECHT, K. Information structure and sentence form: Topic, focus, and the mental representation of discourse referents. In Cambridge Studies in Linguistics 71. Cambridge: Cambridge University Press. 1994.

LI, Charles; THOMPSON, S. “Third Person Pronouns in Zero-Anaphora in Chinese Discourse,” in T. Givon (ed.), Syntax and Semantics, Volume 12: Discourse and Syntax, Academic Press, New York, 1979.pp. 311–335.

MAAT, H. P.; SANDERS, T. Domains of use or subjectivity? The distribution of three Dutch causal connectives explained. In: COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000. p. 57-82.

MACHADO VIEIRA, M. dos S. Língua, Sociedade e relações de poder: a produção escrita de surdos. In: FREITAS JUNIOR, R; SOARES, L. A. A.; NASCIMENTO, J. P. S. (Org.). Aprendizes surdos e escrita em L2: reflexões teóricas e práticas [livro eletrônico]. 1ª ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2020. p. 36-56.

MARTELOTTA, M. E. Mudança linguística: uma abordagem baseada no uso. São Paulo: Cortez, 2011.

MYER, P. G. The relevance of causality. In: COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000. p. 9-34.

NEVES, M. H. M. As construções concessivas. In: NEVES, M. H. M. (org.). Gramática do

Português Falado: Novos estudos. v. 7. Campinas: Editora da UNICAMP, p. 545-591, 1999.

NEVES, M.H.M. Gramática de usos do português. 2 ed.São Paulo: Unesp, 2011.

NOORDMAN, L. G. M.; BLIJZER, F. On the processing of causal relations. In: COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000. p. 35-56.

PAREDES SILVA, V. L. Cartas cariocas: a variação do sujeito na escrita informal. 1988. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1988.

PRINCE, E. F. Toward a taxonomy of given-new information. In: COLE, P. (ed.). Radicalpragmatics. New York: Academic Press, 1981.

ROSÁRIO, Ivo da Costa do, & OLIVEIRA, Mariangela Rios de. (2016). Funcionalismo e Abordagem Construcional da Gramática. Alfa: Revista de Linguística (São José do Rio Preto), 60(2), 233-259.

SANT’ANNA, J. S. Usos de orações hipotáticas introduzidas por [se bem que] no português brasileiro contemporâneo. Monografia – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2020.

SANTOS SILVA, T. A formação de conectores concessivos e concessivo-condicionais instanciados pelo esquema [XQUE] em português: uma análise construcional de mudança. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Letras, 2019.

SANTOS SILVA,T. Formação dos conectores contrastivos ainda que e mesmo que: uma análise construcional. In: Linguística Baseada no Uso: Explorando Métodos, Construindo Caminhos. Rio de Janeiro: Rio Books, 2020.

SANTOS SILVA, T. O domínio da concessão: uma análise do uso de construções oracionais do esquema [[X QUE (S) V (C)ORAÇÃO HIPOTÁTICA ADVERBIAL em português e espanhol. Texto de Qualificação, UFRJ, 2021.

SANTOS SILVA, T. CEZARIO, M.M. Construcionalização e competição de conectores concessivos e concessivo-condicionais instanciados pelo esquema [Xque] em português. Revista Odisseia, v. 4, n. Esp., p. p. 132 – 153, 23 nov. 2019.

SILVEIRA, E. Relevância em Narrativas Orais. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1990.

SILVEIRA, E. O aluno entende o que se diz na escola? Rio de Janeiro: Dunya, 1997.

SWEETSER, E. From etymology to pragmatics: metaphorical and cultural aspects of semantic structure. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

TRAUGOTT, E. C; TROUSDALE, G. Constructionalization and constructional changes. Oxford: Oxford University Press, 2013.

TROUSDALE, G. (Near) mergers in constructional change: the history of the English discourse markers nonetheless and nevertheless. IV CONECT Virtual, 2021.

VAN DIJK, Teun A., Episodes as units of discourse analysis. In: Deborah Tannen, ed., Analyzing discourse: text and talk. Georgetown: Georgetown University Press, 1982. 177–195

VERHAGEN, A. Concession implies causality, though in some other space. In: COUPER-KUHLEN, E; KORTMANN, B. (Eds.) Cause - condition - concession - contrast: cognitive and discourse perspectives. 1ª ed. Berlin; New York: Mouton de Gruyter, 2000. p. 361-380.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.0.0.%25p

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2021 Maria Maura Cezario, Thiago dos Santos Silva, Juliana Sant’anna

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional